quinta-feira, 29 de junho de 2017

15 Anos... 15 Palavras ou Frases que fazem lembrar o nome TNA/IMPACT Wrestling (1ª Parte)

Gostou deste artigo? Então clique nos botões ao lado para o curtir! Se assim o desejar, deixe-nos um comentário no fim que nós e os visitantes agradecemos!


Tal como a Ring of Honor (ROH), há outra companhia que completou 15 anos de existência neste passado dia 19 de Junho e o seu nome atualmente é IMPACT Wrestling e como tal, há sempre momentos históricos que ficaram na memória dos fãs.

Visto que completaram 15 anos, 5 colaboradores do Wrestling Notícias que mais conhecem a companhia e a sua história, decidiram aceitar o desafio de arranjar 3 palavras/frases cada (num total de 15) e descrever porque é que determinada palavra ou frase faz lembrar a TNA/IMPACT Wrestling.

Quando falamos do nome IMPACT Wrestling, quais são as palavras ou frases que vos vêem à cabeça? Acompanhem as próximas linhas nesta 1ª de 3 partes…



Ringue Hexagonal (6 Lados)

Uma das grandes características da TNA, o ringue de seis lados começou a ser utilizado quando a TNA começou o programa semanal iMPACT! em 2004. Esse tipo de ringue é muito característico da promoção mexicana Asistencia Asesoría e Administración (AAA). A TNA era a única grande promoção norte americana a utilizar um ringue de 6 lados.

Visualmente era interessante ver as Cage Matches, chamadas de 6 Sides of Steel. Outra luta visualmente bonita era a Steel Asylum Match, onde o ringue era cercado por grossas grades de metal de cor vermelha, e o vencedor era aquele que conseguisse escalar as grades e sair por uma saída localizada no topo da cupula.

Havia também a Lethal Lockdown, onde duas equipas, geralmente com 5 membros cada uma, se enfrentavam em uma Cage Match onde cada participante ia entrando uma um, como na Royal Rumble Match, e, quando o último participante entrava, o teto da jaula descia, e haviam vários objetos (como latões de lixo, cadeiras, guitarras, escadas e kendo sticks) para serem usados como arma.

O ringue deixou de ser utilizado por um período a partir de 2010, durante a administração Hogan/Bischoff. Na mudança para o modelo de ringue padrão de 4 lados, Hogan falou que o ringue de 6 lados tornou a TNA conehcida, mas era no ringue de 4 lados que se fazia o wrestling profissional.

Alguns (ex) wrestlers da TNA como Austin Aries, Christopher Daniels e Ethan Carter III eram defensores do uso do ringue de 4 lados. Daniels chegou a dizer que alguns wrestlers se confundiam com qual corner eles deveriam ficar nas lutas de equipas.

Após uma votação popular em 2014, o ringue de 6 lados voltou a ser usado. A voz do povo foi mais forte, e os 6 lados continuam na TNA até o dia de hoje.



Combates Inovadores

Com a utilização do ringue de 6 lados, a TNA na altura conseguiu ser uma enorme alternativa à WWE por ter combates tão diferentes e interessantes ao mesmo tempo como foi o caso do “Ultimate X Match” que era dos combates que mais exigia dos atletas, pois os lutadores tinham de agarrar com as mãos nas cordas até chegar ao centro e retirar o símbolo “X” que estava no meio da estrutura.

Foi esse o combate que distinguia bem a X-Division, mas não ficou só por aqui pois na época inicial da TNA, também chegou a ocorrer duas edições do “Elevation X Match”, onde os lutadores tinham de batalhar bem acima do ringue numa estrutura em X, cujo objetivo era derrubar o adversário do topo da estrutura até cair no ringue.

Como também já falado, os diferentes tipos de combate dentro da jaula como um “Electric Cage Match”, um “Doomsday Chamber Match”, o normal “Six Sides of Steel Match”, o “Steel Asylum Match” e claro que não nos podíamos esquecer do “Lethal Lockdown Match”.

Sem esquecer também do “Feast or Fired Match” e o facto da TNA ter sido das primeiras companhias a dar destaque às mulheres com combates bem agressivos como o “Last Knockout Standing Match”, o “Queen of the Cage Match”, entre outros.

A realidade é que, cada vez mais, no mundo do wrestling não há limite para os pensamentos e para a imaginação e quando se fala de TNA ou do IMPACT Wrestling será sempre lembrado pelos diferentes combates inovadores, alguns que realmente tiveram muito sucesso e outros que falharam miseravelmente.



Knockouts

Durante 5 anos que a TNA nunca tinha dado destaque às mulheres no wrestling, mas com a ajuda de Gail Kim e da veterana Jackie Moore (mais conhecida na WWE como Jacqueline) a darem combates com alguma qualidade, surge a possibilidade de coroar a primeira Knockouts Champion no Bound For Glory de 2007.

Com Christy Hemme, Traci Brooks e Roxxi Leavaux já no “roster” nessa altura, houve a necessidade de ir buscar mais 5 lutadoras para que ocorresse um “Gauntlet Match” de 10 mulheres nesse mesmo evento…

Dessas 10 lutadoras, Awesome Kong foi quem começou a ganhar a atenção de todos os fãs e com Gail Kim a tornar-se na 1ª de sempre Knockouts Champion na história desta companhia, surgiu a tão conhecida rivalidade que pôs esta divisão no mapa entre a Gail e a Kong!

E não foi só esta rivalidade, mas também o facto de haver 10 lutadoras com diferentes personalidades e com um wrestling bem diferente foi o que tornou nesta divisão um “must-see” desta companhia.

Não se pode deixar de falar do marcante grupo de longa duração chamado The Beautiful People (tendo várias pessoas, mas as primeiras e originais são Angelina Love e Velvet Sky) e também na ODB (uma mulher “redneck” que só queria dar cabo de mulheres).

Quando na altura (em 2008), Awesome Kong estava dominante e ninguém a conseguia derrotar, surgiu também a “Upset Queen” Taylor Wilde que foi outra Knockout marcante desta companhia!

Já para não falar que a TNA foi das poucas companhias americanas que tinha inicialmente uma divisão de equipas feminina e que chegou a existir os TNA Knockouts Tag Team Championships, até serem retirados das mãos de ODB e Eric Young em 2013…

Falando também em 2013, esta divisão voltou a ser bastante falada graças ao conhecido “Last Knockout Standing Match” entre Gail Kim e Taryn Terrell, que não só teve uma rivalidade bem construída por trás, mas também para mostrar aos fãs que as mulheres não são só para mostrar o corpo.



Atualmente, a nova geração de Knockouts representada por Allie, Rosemary (que está a dois meses de ser a campeã com o maior reinado na história do Knockouts Championship), Sienna, Laurel Van Ness, Diamanté, Alisha e ainda com veteranas da divisão como Gail Kim e Angelina Love, certamente há um futuro assegurado para estas mulheres.

A divisão das Knockouts foi sempre bem falada pelo mundo do wrestling e a completar 10 anos de existência no próximo Bound For Glory, esta divisão foi uma das primeiras impulsionadoras para que hoje em dia, haja a dita “Women’s Revolution” e sem dúvida que é uma palavra que ficará sempre marcada na história desta companhia.



Sting

A grande lenda da WCW começou na TNA com aparições esporádicas entre 2003 e 2004, se tornando um membro ativo do roster da TNA a partir de 15 de Janeiro de 2006, no PPV Turning Point.

Bastava ouvir o característico riff de guitarra e o escorpião surgir no telão para identificar que o grande ícone do wrestling estava para chegar.

Além de fazer parte da lendária stable nWo, ele fez parte de outra grande stable na TNA, a Main Event Máfia (MEM), ao lado de Kurt Angle, Scott Steiner, Kevin Nash, Samoa Joe e Traci Brooks.

Durante sua carreira na TNA, teve grandes rivalidades e combates com AJ Styles, Kurt Angle, Rob Van Dam, Mr.Anderson e outros. Sting reviveu sua rivalidade com Hulk Hogan, quando este teve um heel turn na TNA formando a stable Immortal.

Durante a rivalidade com Hogan, ele adotou uma facepaint mais borrada, se assemelhando ao Coringa de Heath Ledger tanto em visual quanto em loucura. Eles tiveram um último e sangrento combate, que resultou no face turn de Hogan.

Sting também participou de um período vergonhoso da TNA, quando ele lutou (se é que podemos chamar aquilo de luta) contra Jeff Hardy, que, visualmente, não estava em seu estado normal (provavelmente sob influência de álcool), no PPV Victory Road em 2011, o derrotando para vencer o TNA World Championship.

Nas últimas participações dele na TNA, Sting teve rivalidade contra a stable Aces & Eights, onde houve uma nova e breve formação da MEM, uma rivalidade com Ethan Carter III e Dixie Carter, e um combate final contra o TNA World Champion Magnus em 2014, o qual Sting perdeu e teve seu contrato encerrado, pois o combate se tratava de um Title vs. Career.

Sting foi incluído no TNA Hall of Fame em 2012. Ele foi incluído no WWE Hall of Fame em 2016, sendo ele e Angle os únicos wrestlers a serem parte do Hall of Fame das duas empresas.



Oportunidades

Um ponto bastante interessante no Impact diz respeito às várias oportunidades dadas a lutadores independentes e ex-lutadores de outras companhias (em especial da WWE). Não é difícil ver fãs pensando que algum determinado lutador se dê melhor na TNA, e isso se deve bastante a forma como a promotora aposta em lutadores já experientes.

Por exemplo, foi na TNA que Christian ganhou seu primeiro título mundial, muito antes de conquistar o cinturão da WWE. Para a surpresa de muitos, foi na TNA que R-Truth conquistou seu único título mundial da carreira. Também foi na empresa de Dixie Carter que Ken “Mr” Anderson se tornou campeão mundial pela primeira vez.

Mas um dos casos mais visíveis de oportunidades é o de Ethan Carter III. Enquanto na WWE, ele atuou como um jobber por maior parte do tempo, na TNA ele se tornou uma das principais estrelas da companhia, tendo inclusive uma sequência invicta de dois anos e se tornando campeão mundial.

Claro que houveram alguns casos raros de desperdício de talentos pela companhia, como El Mesías e Kazuchika Okada, mas eles têm pouco destaque frente às inúmeras oportunidades que a companhia apresentou a outros wrestlers.



Terminada a 1ª parte, são já 5 palavras que realmente descrevem o que estes 15 anos do IMPACT Wrestling querem dizer, mas e para vocês? Que palavras vos vêem à cabeça quando se fala desta companhia?

Artigo escrito por:
Fábio Santos, Diego Meira, Gonçalo Mateus, Kleber e Pedro Soares

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Enviar um comentário

O blog tem os comentários abertos a todos aqueles que gostem de wrestling e o queiram discutir com responsabilidade e sobretudo de maneira construtiva.

Não são permitidos insultos pessoais entre leitores, bem como a autores do blog. Não é permitido spam. Qualquer comentário fora do contexto, fica a cargo da administração a decisão da sua permanência.

3 comentário(s):

Anónimo disse...

A TNA sempre vai ser um passo para a frente 2 para trás.
Sempre na corda bamba porque mal sai faz merda e volta para lá.
Já fui fã de TNA mas desde 2012 que desisti.

Anónimo disse...

Sting é a maior estrela da história da TNA. O que ele fez pela TNA sempre será mais importante do que qualquer coisa que fez ou faria na WWE.

Joel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.