segunda-feira, 29 de maio de 2017

[REVIEW] World Stars of Wrestling: Up For Grabs

Gostou deste artigo? Então clique nos botões ao lado para o curtir! Se assim o desejar, deixe-nos um comentário no fim que nós e os visitantes agradecemos!



Sejam bem-vindos a mais uma review do Wrestling Notícias.

Desta vez a equipa do Wrestling Notícias deslocou-se a Oeiras para acompanhar o evento que marcou o regresso da WSW (World Stars of Wrestling), após alguns anos de hiato.

Para este evento tivemos um bom card de lutadores internacionais, que com alguns dos talentos nacionais, nomeadamente do Wrestling Portugal (WP) compuseram o roster para o evento.

De destacar nomes como Salvador, Bammer, Korvo, Kelly e o regresso de Pegasus. Talentos internacionais tivemos o destaque dos “main eventers” Chris Master, Carlyto e Juventud Guerrera, assim como Johnny Moss, El Ligero, Jonny Storm entre outros.

Passaremos então aos combates:

1.º Combate
Battle Royal para determinar o candidato principal ao WSW European Championship

Participantes: Korvo, Salvador, Pegasus, Luís Mira, Gonçalo Cardoso, Johnny Moss, Jody Fleisch, Jonny Storm, Greg Burridge e El Ligero.

(Battle Royal para determinar o Candidato Principal ao WSW European Championship)

Esta Battle Royal começou com todos os participantes europeus presentes no evento, dando assim a oportunidade a cada europeu de conseguir uma oportunidade pelo título, com o campeão Bammer a acompanhar o combate junto ao ringue.

Uma nota para este combate, é que foi o regresso de Pegasus à actividade dentro do ringue.

Os últimos dois lutadores em ringue foram Jonny Storm e Johnny Moss. Moss atira Storm para fora do ringue, mas este último consegue se segurar nas cordas sem cair. Moss vê afinal não tinha eliminado Storm e vai direito a ele mas leva um forearm. Storm com confiança demais vira costas e aparece Moss para o eliminar.
(Johnny Moss conquista a vitória e confronta o Campeão Europeu Bammer)

Vencedor e novo Candidato Principal ao Título Europeu: Johnny Moss

Após o fim do combate, Bammer dirige-se a Moss que ainda celebrava no ringue a sua vitória para uma ligeira confrontação. Bammer levanta o seu Título e em forma de provocação, Johnny Moss faz o sinal do sinto à sua cintura, sinal de que quereria vencer e tirar o Título a Bammer.

(Confrontação entre o Campeão Europeu Bammer e o Candidato Principal, Johnny Moss)

Promo no ringue:

De seguida surgiu uma promo em ringue com os três candidatos ao Título Mundial interino da WSW, Chris Master, Carlyto e Juventud Guerrera.

Nesta promo praticamente não houve falas nenhumas, somente os três em ringue com Axel, para promover o Main Event, a Ameaça Tripla Sem Desqualificações pelo Título.

(Chris Master, Carlyto e Juventud Guerrera juntos no ringue)

Já com os três lutadores em ringue e com Axel a segurar o Título Mundial, Carlyto é o primeiro a agarrar o Título e levanta-lo no ar, seguiu-se Juvi que lhe tira o Título e de seguida Master segue o exemplo.

Ao inicio, parecia haver respeito entre os três homens mas aparentemente para Carlyto não era bem assim. Ataca Juvi e manda-o para fora do ringue, para depois atacar Master com um golpe baixo e usar uma cadeira para lesionar o seu braço direito, ficando em risco de não competir no Main Event.

(Carlyto usa golpe baixo e ataca Chris Master)

2.º Combate
Combate feminino
Nina Samuels vs Kelly

No segundo combate do dia, chega a vez de as mulheres mostrarem o que valem.

(Primeira troca de olhares em ringue entre Nina Samuels e "Killer" Kelly)

Uma Nina Samuels bastante confiante aparece perante o público português. Confiança e arrogância. Mas a nível de confiança Kelly não lhe ficava atrás, já com a sua característica presença, sempre de olhar fixo e impenetrável, sempre pronta para a batalha. Mas desta vez iria ser um pouco diferente.

(Nina Samuels após derrubar Kelly)

Havia uma diferença que Samuels iria levar consigo logo no inicio, a sua estatura. O inicio do combate revela alguma vantagem sobre Kelly, conseguindo-a derrubar algumas vezes incluindo algumas contagens de dois. Mas Kelly não se deixa ficar atrás e volta ao combate.

Um desses momentos, quando Kelly e Samuels estão no centro do ringue, com uma troca de kicks, que acaba com as duas atingindo uma a outra em simultâneo, ficando as duas no tapete.

(Nina Samuels e Kelly em uma troca de kicks)

Kelly consegue alguma vantagem com a sua ofensiva forte conseguindo algumas contagens de dois incluindo um Rainkiller. Kelly partiu para o cover, mas Samuels tinha a perna de baixo da corda, por isso a contagem foi interrompida.

(Rainkiller de "Killer" Kelly em Nina Samuels)

No fim, Nina Samuels com um golpe à traição acabou por causar os danos suficientes para fazer o cover, contagem de três e conseguir a vitória.

(Golpe final de Nina Samuels em Kelly)

Vencedora: Nina Samuels

3.º Combate
Tag Team Gauntlet para o WSW Tag Team Championship
Equipas participantes:
James Bruiser & “O Veterano” Marcos Vitória, Salvador & Korvo, Jonny Storm & Jody Fleisch, Greg Burridge & El Ligero

Para começar este foi um combate histórico para a WSW, pois finalmente iria ser coroada a primeira equipa de sempre como sua campeã.

Esta Gauntlet começou com James Bruiser em ringue e à procura de parceiro, visto que por motivos desconhecidos, este apareceu sozinho em ringue. Por sorte (?) encontrava-se no público um lutador que aceitou o desafio de Bruiser, de seu nome Marcos Vitória, o “Veterano”. Bruiser ainda torceu o nariz, mas lá aceitou o seu companheiro de equipa.

(James Bruiser encontra o seu parceiro, "O Veterano" Marcos Vitória)

Os primeiros adversários foram Korvo e Salvador que vinham preparados para vencer esta Gauntlet. Tão preparados que acabaram por dominar praticamente os seus adversários nunca dando grandes hipóteses. Salvador quase que conseguiria a vitória sobre “O Veterano.”

(Luís Salvador quase consegue a vitória sobre... Marcos Vitória)

Marcos Vitória consegue o Tag com Bruiser e as coisas mudam um pouco de figura. A certa altura, Marcos distrai o árbitro e Bruiser usa as cordas contra Salvador. Depois acaba por ser Bruiser a causar a distração para Marcos estrangular Salvador no canto do ringue.

Já com Korvo em ringue segue novo domínio sobre Marcos aplicando um Dropkick seguido de um Leg Drop para uma contagem de dois. O domínio segue e Korvo aplica um Sharpshooter em Marcos para obter a vitória.

(Korvo domina "O Veterano" Marcos Vitória)

A equipa seguinte a entrar nesta Gauntlet foi a de Jonny Storm e Jody Fleisch que cedo procuraram aproveitar o cansaço de Korvo e Salvador. Fleisch a usar a sua agilidade em Salvador quando aplicou uma Hurricanrana do canto do ringue. Salvador foi salvo por Korvo que interrompeu o cover.

(Jody Fleisch em acção contra Salvador)

A equipa de Salvador e Korvo acabaram por perder o combate por contagem fora do ringue. Quando Salvador tentava recuperar e subir para o ringue, aparece Pegasus que o ataca, impedindo assim o regresso de Salvador ao ringue, acabando depois de fugir para os bastidores.

(Pegasus envolve-se com Salvador fora do ringue)

A última equipa a entrar foi Greg Burridge e El Ligero e a partir daqui o combate já se desenvolveu melhor.

Mas mesmo assim a dupla de Storm e Fleisch parecia levar vantagem, quando Storm faz um dive para fora do ringue contra Burridge. El Ligero safa-se a Fleisch com um kick na nuca vai para o lado de fora do ringue, no apron e salta sobre Burridge e Storm.

(... Dive)

Ligero e Burridge conseguem alguma vantagem quando em ringue aplicam ambos submissões aos adversários, mas tem que interromper as manobras pois ambos os adversários chegam as cordas.

(Jonny Storm e Jody Fleisch dominam os adversários)

Storm ia conseguindo a vitória para a sua equipa após um Moonsault da segunda corda. Faz o cover, mas a contagem só chega ao dois. Mas a vitória estava quase, Storm e Fleisch fazem um bom trabalho de equipa para o golpe final para conquistarem a vitória.

(Campeões de Equipas da WSW - Jonny Storm & Jody Fleisch)

No fim, a equipa derrotada ergue os braços dos vencedores e aplaude a conquista dos seus rivais.

(Jonny Storm & Jody Fleisch celebram a vitória)

Vencedores e os primeiros Campeões de Equipas da WSW: Jonny Storm & Jody Fleisch

4.º Combate
Combate individual pelo WSW European Championship
Bammer (c) vs Johnny Moss

O quarto combate do dia aconteceu pelo Título Europeu da WSW entre o campeão Bammer e o pretendente Johnny Moss que conquistou este lugar ao sair vitorioso da Battle Royal no inicio do evento.

(Bammer espera em cima do ringue pelo seu adversário e Candidato Principal, Johnny Moss)

O combate começa renhido com ambos os lutadores a fazerem demonstração de força, mas Bammer toma o controlo do combate usando a sua esperteza e conseguindo dois covers com contagem de dois.

(Bammer domina Johnny Moss)

Mas Moss consegue travar o ímpeto de Bammer com um Forearm seguido de um Belly to Belly Suplex. Moss parte para o cover mas sem sucesso.

(Johnny Moss aplica o Belly to Belly em Bammer)

Bammer tenta recuperar o ímpeto inicial ao tentar aplicar um Back Suplex, mas Moss trava o movimento e atira Bammer contra o árbitro deixando-o KO.

Mas Moss não consegue capitalizar e permite a Bammer aplicar a sua submissão. Moss acaba por querer desistir por não aguentar mais, mas com o árbitro KO, este não vê. Bammer tenta levantar o árbitro para este se recompor mas Moss ataca-o com um golpe baixo e parte de imediato para o cover. Com o árbitro já meio recuperado, faz a contagem e Moss ganha.

(Johnny Moss consegue a vitória sobre Bammer)

Vencedor e novo Campeão Europeu da WSW: Johnny Moss

(Novo Campeão Europeu da WSW - Johnny Moss)

Promo de bastidores
Axel entrevista Korvo e Salvador

De seguida, passamos para uma promo de bastidores onde Axel entrevista Korvo e Salvador no rescaldo da derrota na Gauntlet. Mas a surpresa viria a seguir.

(Promo de bastidores - Exel entrevista Korvo e Salvador)

Pegasus que já teria interferido na Gauntlet impedindo de Salvador regressar ao ringue, perdendo assim o combate, volta a atacar. Primeiro ataca Korvo e coloca-o fora de combate e depois segue-se Salvador.

(Pegasus ataca Salvador nos bastidores)

Este ataque de Pegasus torna-se num brawl que começa ainda nos bastidores da arena, chegando pouco depois à arena perante o público presente.

Este brawl desenvolve-se pelo meio do público que tem que se afastar e onde Salvador ganha vantagem, atirando Pegasus para o meio das cadeiras. Mais a frente Salvador aplica um Body Slam em Pegasus directamente no chão do recinto. O brawl segue para o ringue onde ai Pegasus aplica um golpe baixo em Salvador e quando se preparava para castigar mais Salvador, Korvo aparece e faz o save. Pegasus sai do ringue e enquanto Korvo se preocupa com o estado do seu colega, Pegasus sai apressado para os bastidores.

(Brawl pela arena entre Pegasus e Salvador)

5.º Combate
Combate individual “Showcase Nacional”
Luís Mira vs Gonçalo “Dnamite” Cardoso

Este foi um combate marcado para promover o Wrestling Nacional e os lutadores nacionais.

(Gonçalo "Dnamite" Cardoso e Luís Mira em ringue)

Começou algo lento e com nenhum dos dois a conseguir tomar vantagem significativa um sobre o outro.

Cardoso logo de inicio teve vantagem a nível físico, mas para Mira isso não seria impeditivo de mostrar que seria capaz de o derrotar. Após uma sucessão de golpes sente-se a frustração de Mira por não consegui derrubar Cardoso, mas finalmente consegue.

(Ofenciva de Luís Mira sobre Gonçalo "Dnamite" Cardoso)

Mas quando tudo parecia encaminhado para Mira aplicar o golpe final em Cardoso e sair vitorioso eis que soa um grito vindo do nada. Arte Gore estava presente na arena e fez a sua aparição para destruir os dois jovens lutadores. Primeiro Mira e Cardoso tentam jogar em equipa para tentar derrubar Arte Gore, mas não surte efeito nenhum. Para a destruição ficar completa, Arte Gore aplica um potente Double Chockeslam em Mira e Cardoso. Enquanto os dois jovens lutadores ficam estendidos no meio do ringue, Arte Gore abandona o recinto.

(Combate é interrompido por Arte Gore que ataca os dois lutadores)

Vencedor: No Contest

6.º Combate e Evento Principal
Combate Ameaça Tripla pelo WSW World Championship (interino)
“The Master” Chris Master vs Carlyto vs Juventud Guerrera

Este combate antes de começar já estava azarado. Na altura dos lutadores entrarem em ringue, quando chegou a vez de Chris Master, este tardava em entrar.

("The Master" Chris Master não comparece à primeira chamada)

Já com Carlyto e Juice em ringue é feita novamente a chamada para “The Master”. Este aparece mas com a sua roupa casual e com uma informação nada boa para todos os que se deslocaram a Oeiras para o ver. Devido ao ataque de Carlyto no inicio do evento, o seu braço ficou lesionado e por isso Master não pôde competir. Mas Chris tinha um trunfo na manga, um substituto para este combate e chama-o de imediato. Esse trunfo era Bammer.

(Chris Master anuncia o seu substituto para o Main Event)

A bem dizer, não ouve ninguém que se destacasse, pois acabou por ser um combate renhido. Cada um teve os seus spots e os seus momentos.

De destacar aqui, a altura em que Juice ia para um dive sobre Carlyto que estava fora do ringue, mas este atinge Juice com uma cotovelada.

Mais à frente, Bammer aplica um Dropkick de cima do canto do ringue. Carlyto rebola para fora do ringue, mas Juice tenta aproveitar o facto de Bammer estar distraído e com um Roll Up tenta a vitória, mas Bammer safa-se à contagem.

(Juice tenta aproveitar uma distração de Bammer)

Após uma troca de golpes e uns chops violentos em Bammer, Juice ataca ambos após uma investida de Carlyto e com Bammer preso. Após o ataque, Juice tenta o cover em ambos, mas sem resultado.

(Juice tenta capitalizar a sua ofensiva)

Para o fim, Carlyto apanhar Juice e aplica o seu Backstabber, mas não consegue ir para a cover porque Juice saiu do ringue a tempo. Com isso Carlyto procura Bammer, mas este joga Carlyto ao canto do ringue. Bammer procura investida, mas é surpreendido por um Superkick potente de Carlyto.

Com isto e quando Carlyto se preparava para capitalizar a sua ofensiva, aparece Chris Master que cria uma distração para Carlyto que perde a noção de onde está Bammer, que se aproveita, aparece por trás e com um roll up surpreende Carlyto que não consegue evitar o cover e a vitória para Bammer.

(Bammer aproveita a distração de Carlyto para a vitória)

Vencedor e Novo Campeão Mundial da WSW (interino): Bammer

(Bammer celebra a conquista do WSW World Championship com Chris Master)

Após o fim do combate, Bammer usou o microfone para os seus agradecimentos e lançar um desafio a Chris Master. Uma oportunidade pelo Título Mundial da WSW. Será que iremos ter Bammer a defender o Título contra “The Master” num futuro próximo?

Opinião Dead Wyatt:

Para mim e claro que esta é a minha opinião pessoal relativamente ao show inteiro, é que foi fraco. No geral teve mais pontos baixos do que altos.

Ainda não percebi a utilização de El Ligero no primeiro combate, a Battle Royal com todos os participantes europeus presentes no evento. Ok, a nacionalidade de quem interpreta El Ligero é do Reino Unido (Europa), mas a sua gimmick é de um lutador mexicano (America do Sul). Mais confuso fiquei quando uma semana depois, sensivelmente, vi o mesmo El Ligero a trabalhar em um evento da WCPW (WhatCulture Pro Wrestling), o Pro Wrestling World Cup em que a promotora britânica está a fazer qualificações de vários países para o derradeiro torneio. Sim o evento foi no Reino Unido, mas a qualificação era para lutadores mexicanos. (Continuo confuso)

Um dos melhores combates para mim foi o combate feminino onde até se viu alguma boa acção e alguns moves que tinham mais impacto que muitos lutadores masculinos presentes no evento (aqueles forearms durante o evento todo faziam cócegas de certeza). Gostava de ver mais ofensiva na Kelly e sei que ela poderá dar muito mais.

A Gauntlet por vezes parecia um caos. É o que dá ter lutadores a fazerem equipa quando não estão habituados a tal (pelo que sei). Notou-se muita falta de coordenação e ligação entre golpes e ataques. Salvou o brawl que teve a sua intensidade e teve realmente a única história a mover para o futuro digna de registo.

A intervenção de Arte Gore no combate entre Mira e Cardoso não ajudou em nada. O combate até começou muito lento e algo fraco, mas foi subindo de nível… até à intervenção de Arte Gore. Gostei de o ver porque o conheço desde a APW a alguns anos atrás, mas aqui, nesta altura ninguém saiu beneficiado.

Chris Master não lutou. E não compreendi toda esta situação. Se ele estiver mesmo lesionado, ok aceita-se. Estar contratado para aparecer e lesionar-se entretanto, também se pode aceitar. Ou então ser contratado para haver um dos grandes nomes no cartaz e ser chamativo. E chamou. Das várias razões possíveis uma é a certa e sinceramente não quero discutir isso, mas se pensavam que o Bammer iria ter um grande POP do público enganaram-se. Principalmente aqueles que pagaram para verem o Chris Master (sim, também se pagou para ver um show de wrestling, mas por algum motivo também trazem grandes nomes de fora e espero que não seja só para ir ao programa das manhãs do Correio da Manhã).

Em relação ao combate, este foi razoável e desde que Bammer foi anunciado que suspeitava que fosse ele a vencer, seria a razão lógica depois de ele perder o Título Europeu, quase como a lógica do Roman Reigns!

Não estou a falar mal do Bammer (nem de nenhum wrestler que participou no evento), porque pelos anos ao serviço do Wrestling em Portugal sem dúvida que merece uma distinção, apenas o booking foi mau… muito mau!

Falando ainda deste combate, ele estava a ser anunciado como sendo um combate sem desqualificações, o que acabou por não acontecer, sem qualquer aviso.

Espero que haja eventos futuros e que sinceramente a promotora aprenda com os erros, e que evolua para podermos ter mais, mas o mais importante, melhor wrestling.

Opinião Carla:

O retorno da WSW originou um hype que há muito não se via, em torno de um evento de Wrestling, com aparições mesmo nos media mais mainstreams, e publicitado em toda a parte. Assim, e pela quantidade de presentes, penso que tenha atraído muitas pessoas que não seguem habitualmente os eventos de Wrestling Nacionais. E, numa circunstância normal, isso deixar-me ia bastante satisfeita, mas não foi o caso, e posso explicar. Quando seguimos eventos nacionais, de ambas as promotoras que têm estado ativas até agora (WP e CTW), vemos uma qualidade e regularidade muito superiores, e esse sim gostaria que fosse o primeiro contacto de um fã não habitual com o Wrestling Nacional.

Este evento teve como principal lacuna, a meu ver, um booking muito fraco. Pois sendo uma parte dos lutadores, elementos regulares dos eventos do WP, e que demonstram sempre elevadíssima qualidade, e a outra parte lutadores com provas dadas no panorama internacional, não há outra justificativa para a fraca qualidade do mesmo. Acaba por ser desprestigiante que assim seja visto o forte potencial e a qualidade de todos os envolvidos.

Apesar disso, penso que a WSW pode tirar desta experiência, imensas anotações para no futuro poder melhor significativamente a qualidade dos seus eventos.

Uma nota positiva ao combate feminino, que acabaria por ser o mais estruturado e com história contida em si próprio de todo o evento. Ainda uma outra nota de destaque a todos os atletas que participaram no evento, que deram visivelmente o seu melhor apesar do contexto não ter sido o favorável para a apresentação de um trabalho de maior destaque.

Texto: Dead Wyatt & Carla
Fotos e vídeos: Dead Wyatt

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Enviar um comentário

O blog tem os comentários abertos a todos aqueles que gostem de wrestling e o queiram discutir com responsabilidade e sobretudo de maneira construtiva.

Não são permitidos insultos pessoais entre leitores, bem como a autores do blog. Não é permitido spam. Qualquer comentário fora do contexto, fica a cargo da administração a decisão da sua permanência.

1 comentário(s):

Luís Salvador disse...

Obrigado pela review! 💪