sábado, 11 de fevereiro de 2017

Folha de Avaliação 2016 | Lucha Underground

Gostou deste artigo? Então clique nos botões ao lado para o curtir! Se assim o desejar, deixe-nos um comentário no fim que nós e os visitantes agradecemos!


Mais um! Mas este é o último! E um menos comum, que me queria complicar um pouco o esquema, mas só por causa disso o simplifico ainda mais. Não é simplesmente um ano corrente, o Lucha Underground não é uma companhia de wrestling mas sim uma série à volta de uma sinistra companhia de wrestling fictícia. Sendo uma série, é óbvio que tenha "off seasons". Logo, o ano de 2016 foi constituído por uma temporada e meia. Outro factor relacionado com o mesmo, é que se trata de uma série sem um protagonista propriamente dito, tem daquilo a que se pode chamar de um "ensemble cast". Logo, não farei a divisão por categorias como fiz nos outros e analisarei um a um apenas. Eu disse, seria mais simples ainda:

Aerostar - Aerostar ou Aero Star é um viajante no tempo, porque vale disso por aqui. Vem lá dos tempos anciãos e viajou até ao presente para competir no templo e para utilizar a "It's My Life" dos Bon Jovi como entrada na AAA. Apesar de nunca se clarificar uma missão sua, ao que parece, até é muito simples: ouro. Teve uma medalha em mãos que lhe poderia dar o Gift of the Gods Championship mas não o conseguiu. 


Conseguiu um aliado no seu velho rival Drago e no ex-Campeão Fénix para conquistar os Trios Championships aos Worldwide Underground no Ultima Lucha Dos. É assim que se mantêm, para já, na terceira temporada, mesmo que com algumas dores de cabeça a atrapalhar. Como um Drago possuído que anda a abraçar as suas propriedades reptílicas e parece demasiado hipnotizado para colaborar com os parceiros. Esquisitices que um viajante no tempo vê...

Angélico - Uma estrela e um favorito mas vejam lá a sorte: mal houve Angélico em 2016. Perdeu os Trios Championships no final de 2015, recuperou-os em início de 2016, voltou a perdê-los e, com esse azar, lesionou-se. Não o vimos para o resto da segunda temporada nem ao começar a terceira. Já nem contávamos vê-lo em 2016. Mas ele lá se atirou de sítios altos como gosta de fazer para reaparecer. Mesmo ali em Dezembro, ao fechar da cortina. Infelizmente, ainda não venceu desde que chegou mas ainda não foi colocado em situações singulares e simples. O que vale é que já o temos quando a terceira temporada retomar agora em 2017...

Argenis - Inicialmente era um jobber do templo. Nos finais da primeira temporada e nos inícios da segunda, encontrou novo ofício: Barrio Negro era o seu nome e pertencia aos Disciples of Death, trio de identidade desconhecida. Como acontece em todas as outras companhias de wrestling, foi morto e reduzido a pó por superpoderes das trevas. Entretanto, já em 2016 retomou a personagem Argenis para competir na terceira temporada. De novo jobber. Mas antes isso que morto e em cinza!

Bengala - Sempre muito pouco notável, mal chegou à segunda temporada, com apenas um combate que deu em derrota. Deve valer bem mais a pena vê-lo como Ricky Marvin na AAA, onde tem um papel importante e tem ouro!

Black Lotus - Ainda das personagens mais misteriosas do templo. Mas também das menos activas. Ocupou toda a primeira temporada em segmentos. Cumpriu a sua missão - já trocada - no final e aliou-se a Dario Cueto, de quem foi guarda-costas ao longo da segunda temporada. Finalmente vimos um combate com ela, no Ultima Lucha Dos, com El Dragón Azteca Jr. Parece que fez de Pentagón Dark o seu novo alvo e fez-se acompanhar muito bem, de três meninas vistosas, tão ou mais perigosas que ela. Eu tentava não me fazer inimigo desta! Acredito que o seu papel continue a ser menos activo e que suba ao ringue em ocasiões mais especiais, trabalhando mais como personagem em segmentos.


Cage - Uma das estrelas do templo, continua a ser dos "big dogs" do sítio, se quisermos muito insistir nesse termo como se já o tivessem plantado na nossa cabeça como um chip. Uma das mais surreais junções de tamanho, massa muscular e atletismo, é gajo para chamar atenção facilmente. E para ter o povo do seu lado. A Face Turn na segunda temporada era inevitável. 

Com isso conseguiu uma boa feud com Johnny Mundo de onde obteve um Medalhão Azteca um combate violento em que andou a atirar a Taya por mesas dentro como quem faz isso todos os dias. Fez do seu ano caça ao ouro e conquistou o Gift of the Gods Championship que rapidamente tentou trocar pelo Lucha Underground Championship, falhando na missão de derrotar Matanza. Para a terceira temporada, entraria em loucuras como rivalizar com Texano sem saber porquê, apenas tinha a promessa de Dario Cueto de que era uma série "Best of 5" por uma "Ultimate Opportunity", que é a coisa mais Dario Cueto que possa ocorrer a alguém. Também sabíamos que estava dentro de uma mala. 

Cage por acaso até venceu e pudemos ver que ele conseguiu obter... um punho. Um bizarro punho a radiar electricidade e que lhe dá força (mais) sobrenatural. Coisas esquisitas mas que aqui por estes lados tornaram banais. E pronto, veremos os estragos que ele fará com aquilo quando retomar a terceira temporada. Como se ele já fosse muito manso no seu normal...

Catrina - Ai Catrina, Catrina... Lá qual seja o teu bruxedo, não foi só o Mil Muertes que lá caiu, não. E ainda por cima ainda lhe dá sempre para lamber pessoas! Aqui listada apesar de não ser uma lutadora activa, mas por ser uma figura incontornável. Por muito bom em ringue e tenebroso que Mil Muertes seja, seria ele tudo o que é sem a Catrina? Mete-se com tudo e todos, seduz tudo o que se mexa e faz estragos. Quem não gosta de uma assim? E parece que tem encontro marcado com a Ivelisse no próximo Ultima Lucha!

Cortez Castro - Na primeira temporada viu um parceiro a ser morto e comido vivo à sua frente. Na segunda descobrimos que ele já é um tipo de sangue frio. É um polícia à paisana, infiltrado no templo para tramar Dario Cueto. Para isso deve continuar a competir no templo, ainda aliado a Mr. Cisco e a aturar Joey Ryan. Pouco se parece ter desenvolvido desta história e o que mais vimos foi Castro a falhar vencer quase tudo, especialmente ouro e a desentender-se com Joey Ryan. 

Na terceira temporada, lá levaram o desentendimento mais longe e Joey Ryan "chivou-se" a Cueto, originando combates de castigo a Castro até o retirar do templo. Mas as investgações tinham que continuar logo ele devia lá voltar. Mascarado. Sim, claro que isso vai dar problemas, afinal qual é o programa a que estamos a assistir?

Daga - Foi pouco visto, mesmo que houvesse algum hype à volta da sua chegada. Perdeu alguns combates, ganhou outro, cumpriu pouco mais que um punhado deles. Foi tendo a Kobra Moon de olho nele e a aproximar-se de forma imprópria, aparentemente deixando-o desconfortável, lá o esquisito. Não voltou ao templo na terceira temporada. Ainda pode ser visto na AAA.

Dante Fox - O lutador independente AR Fox chega ao Lucha Underground como RJ Fox, para ser de novo remodelado como Dante Fox. Qual quer que seja o seu nome, com certeza que o Noam Dar o diria lindamente. Chegou como um tipo misterioso associado a Killshot, por si só, já bastante misterioso. Alegava-se que Fox tivesse sido morto em combate e fosse companheiro militar de Killshot, sendo esse o único background conhecido de Killshot. Mas não foi um reencontro feliz, foi mesmo para a bronca, surpreendam-se. Fox culpa Killshot e, imediatamente rivaliza com ele. Foi logo a ele e impressionou com uma vitória. Mas a coisa não se fica por aqui. Até porque ele ainda fez pouco mais que isso. Assim que retome o programa, ainda deve ter contas para ajustar...

Doku, Hitokiri & Yurei - As tais três meninas que acompanharam Black Lotus e que fizeram estragos, com Pentagón Dark como alvo. Muito atléticas e interessantes, mostraram os seus dotes pouco ortodoxos, todas a competir contra Pentagón, à vez. Não as tornamos a ver mas não acredito que tenha sido tudo. Até porque quero vê-las mais vezes!

Drago - Deu nas vistas na primeira temporada pelos seus dotes em ringue e pelo seu aspecto extravagante, que puxou uma referência de Matt Striker aos GWAR. Surpreendente porque já eu tinha pensado isso e porque não é sempre que há referências aos GWAR em TV. Na segunda temporada, podia ter retomado a sua rivalidade com Aerostar mas um só combate perdido por um medalhão Azteca foi suficiente. 

Havia já mais respeito entre esses dois luchadores e conseguiram novo aliado em Fénix para fazer um essencial trio. Essencial para acabar a segunda temporada, no Ultima Lucha Dos, com ouro, conquistando os Trios Championships. Ainda é com eles que se mantém até à actual interrupção mas... Anda meio esquisito. Desde que a Kobra Moon lhe deitou olho que o quis fazer voltar à sua origem reptílica ou algo assim. Aquela malta é toda tola, é não ligar assim muito ao que dizem. O certo é que Fénix e Aerostar já se começam a preocupar porque Drago não parece estar muito bem nele...

Dragon Azteca Jr. - Toda uma primeira temporada foi a vê-lo a treinar, para no final, tomar a máscara do seu mentor morto. A segunda temporada seria a derradeira, a sua estreia e onde marcaria a sua posição. Contava com a ajuda de um tipo que também queria ir lá visitar o templo, um tal de Rey Mysterio Jr. ou lá o que era, não sei se o conhecem. 


Causou muito boa impressão e, com a ajuda de Prince Puma, formaria um trio com o mais evidente propósito: conquistar os Trios Championships. Algo que conseguiriam, mesmo que não fosse para aguentar por muito tempo, até os perderem para os Worldwide Underground. Enquanto os seus parceiros lá resolviam assuntos e questões de honra, Azteca queria dar uns açoites à Black Lotus. Não pensem nessas coisas, ele estava mesmo chateado porque tanta coisa a treinar para a salvar quando afinal foi ela que até andou a estourar o pescoço ao seu mentor. 

Enfrentou-a no Ultima Lucha mas nenhum vencedor foi definido. Na terceira temporada, ainda a tinha pegada com Dario Cueto e qualquer seu aliado, primeiro despachando Chavo Guerrero Jr. e depois atirando-se a missão suicida: Matanza. Foi um Death Match no qual vimos este pobre desgraçado a ser arremessado por uma bancada dentro e a chamar um retornado Mysterio para o acudir, que fechou a primeira parte desta actual temporada. Foi descansar como uma peça fulcral. E toda partidinha, ao que parece.

Dr. Wagner Jr. - Na AAA é uma estrela de topo e até se envolve numa das histórias mais notáveis actualmente, a colocar a máscara em jogo contra Psycho Clown - ainda desconhecido aqui ao templo - num combate que ainda o estão a vender como um dos grandes combates de toda a história da companhia. Mas isso agora e isso na AAA, mãe do Lucha Underground. Quem vê isso também esperaria que o seu papel no templo fosse bem mais importante que o que realmente tem. Simplesmente aliou-se a Famous B no Ultima Lucha Dos e integrou o plantel na terceira temporada, apenas para prosseguir a rivalidade com Mascarita Sagrada, que contava com a ajuda de Son of Havoc. Para já, a sua ocupação é essa, sei lá se vem fazer mais quando o programa retomar...

Famous B -  Já não pode ser só o tipo que meio faz lembrar o JTG, tanto fisicamente como pela sua tendência natural para o jobbing bruto. Arranjou uma ocupação e ficou com a gimmick menos sobrenatural e misteriosa de todo o templo. Um "agente" que promete tornar qualquer um famoso, um caça-estrelas charlatão e bem acompanhado - pela Beautiful Brenda, neste caso. Podiam ter sacado dessa gimmick em qualquer outro sítio, mas o atrevido foi parar ao templo. 

Prometeu fazer de Mascarita Sagrada uma estrela e virou-se a ele para se aliar a Dr. Wagner Jr. Mais tarde, teria a sua atenção mais voltada para Texano, porque esse realmente precisa de ajuda de um indivíduo de fatinho branco para ser uma estrela, ninguém o conhece no México ou entre fãs mundiais de lucha libre. É mais de paleio que de acção, com poucas entradas no ringue. Quando lá vai, o mais frequente é que seja para levar na boca. Ou seja, por aí, não está assim tão diferente de antes. Mas pronto, agora cria fama!

Fénix - Foi um tremendo ano para Fénix. Se a sua primeira temporada foi feita à base de levar porradinha velha e reaparecer para ser grande, fechando a época tornando-se o inaugural Gift of the Gods Champion, a sua segunda temporada já foi a capitalizar tudo isso. Aré parecia que começava mal, perdendo logo esse cinto para King Cuerno mas este foi lento a trocar o cinto e Fénix foi rápido a reclamá-lo de volta. Recuperou-o e voltou a sua atenção para o Lucha Underground Champion, o seu velho rival Mil Muertes. E não é que conseguiu mesmo? 

Fénix torna-se Lucha Underground Champion mas, infelizmente para ele, era Sol de pouca dura. Logo a seguir foi obrigado a defender o título, como primeiro participante, no segundo Aztec Warfare. Nem ao fim chegou. O resto da temporada não foi tão feliz até conseguir aliança com Drago e Aerostar, para despachar os Worldwide Underground e ganhar os Trios Championships. Começou e acabou a temporada com ouro, tendo mais pelo meio. Primeiro Triple Crown Champion na história do templo. A sua terceira temporada tem sido com os Trios Championships em sua posse, com os tais problemas com Drago já aqui mencionados a destacar-se e, com certeza, a dar-lhe cabo da cabeça.

Ivelisse - Vou tentar ser imparcial nisto e deixar de lado qualquer paixão, mais ou menos saudável, que se desperte pela Ivelisse e olhar para tudo de forma objectiva. O que até se torna difícil quando ela até faz um bom "back up" a tudo com o que ela faz em ringue, tanto em termos de atletismo, como de atitude e de dureza. O que até contribui tudo junto para que um gajo ande aqui com o cerebelo do avesso por causa da moça, mas às vezes acontece. 

Impressionou na primeira temporada ao trabalhar lesionada - claro que não se forçou muito ao que não podia - e na segunda, já recuperada, teve ouro de trios de volta, teve oportunidades pelo Lucha Underground Championship e uma rivalidade com Taya que a levou ao Ultima Lucha, onde perdeu. Insatisfeita, já definiu alvo para a terceira temporada: Catrina, a quem desafiou para o Ultima Lucha Tres. Até lá, teve alguma desavença ou outra com os irmãos fritos Marty e Mariposa e, muito infelizmente, temos visto pouco dela. A ver se volta para mais do que o compromisso que tem para o Ultima Lucha que esta Ivelisse... Tinha-a em todos os episódios...

Jack Evans - Um tremendo atleta e extremamente convencido. Jack Evans já não era propriamente estranho para o público mas talvez se tenha estabelecido um pouco mais. Uma rivalidade com Drago levou-o a começar a chamar-se "Dragon Slayer", algo ao qual não ligou por muito mais tempo. Foi colocado com PJ Black e Fénix na caça aos Trios Championships, até chegar à final em que se aperceberam que estavam melhor com Johnny Mundo do que com Fénix e despacharam o desgraçado, formando os Worldwide Underground que conquistariam o ouro de trios em meados do ano. 

Perderam-no no Ultima Lucha, a fechar a temporada e entrou na terceira com a mesma aliança. A diferença é que Johnny Mundo já não tem muita paciência para os devaneios e falhanços dele - também eu fico a ranger os dentes quando eles começam com o "air guitar" mas pronto - e do seu parceiro Black e eles os dois também já começam a deixar uma janela aberta para entrada de tensões. Não sei se acaba o ano ainda como parte dos Worldwide Underground...

Jeremiah Crane - Este gajo! Sim, já o conheceram como Sami Callihan, como Solomon Crowe, e agora conhecem-no como Jeremiah Crane, mais um doido que tem algum assunto antigo com aquele templo e que tem um relacionamento com Ivelisse. Talvez desgostem essa parte tanto quanto eu e sou bem fã dele, aí são outros assuntos alheios. 

Apenas apareceu na terceira "season" e ainda há algum mistério à volta da sua personagem: está envolvido com Ivelisse mas sabem-se poucos pormenores, há algo que o leva àquele templo de propósito e até parece conhecer bem os cantos àquilo, é tramado no ringue mas nem sempre ganha quando lá está. Essa parte não é nova, por acaso. Não é ainda nome de topo que deixe pulga atrás da orelha quando a série retomar mas já o conhecemos e ele próprio é uma razão mais que boa para assistirmos ao Lucha Underground, à sua espera.

Joey Ryan - E depois há este gajo, que rouba o show onde quer que vá e seria um dos melhores nem que passasse uma duração de um combate algemado sem participar. Coisa que ele por acaso até fez mesmo. Aqui, Joey Ryan não é o famosíssimo lutador "sleazy" e pervertido que conhecemos, quer dizer, tem essas características na mesma, mas aqui é um polícia à paisana, a trabalhar em conjunto com Cortez Castro para investigar o templo. Só que no bom e velho "good cop, bad cop", Ryan e Castro não se entendem lá muito bem. 

Lá acaba por ser bufo e até se alia a Dario Cueto, estabelecendo-o como um vilão. Em ringue, nunca é apresentado como uma das maiores ameaças, não factura muito ouro, ganhando ocasionalmente e enojando Matt Striker ao transportar chupa-chupas directamente dos seus interiores para a sua boca. É o Joey Ryan, que mais esperar? É ou não é uma razão para ver qualquer coisa ou temos este espaço aqui tão cheio de Jims Cornettes?

Johnny Mundo - Este gajo, diz que é assim meio para o importante por lá. E que até era relativamente conhecido. E que é desenrascado em ringue com algum atletismo a apontar-lhe. E as meninas - e muito homem - também o devem achar meramente engraçadinho. De poucas apresentações precisa Johnny Mundo, que fez de tudo este ano, ao longo da temporada e meia que assistimos. De tudo mesmo, o sacana agora é Lucha Underground Champion mas ainda demorou bastante a lá chegar, foi só na terceira época quando ele já parecia destinado àquilo desde a sua primeira aparição. 

Foi acompanhado pela namorada real Melina no Ultima Lucha mas em 2016, na segunda temporada, já não a trouxe, apresentando Taya como sua acompanhante, na sua feud com Cage. Daí lá conseguiria esgueirar o seu caminho na luta pelos títulos de trios, arrumando Fénix e juntando-se a Jack Evans e PJ Black para fundar os Worldwide Underground e ganhar os títulos, que apenas perderia para o trio de Drago, Aerostar e Fénix. Na terceira temporada, a sua fome por ouro começaria a transformar-se em desespero. Para todos, não só para ele, então gajo parecia encaminhado para ser o Campeão inaugural! 

Recorreu a dinheiro, a subornos e a jogo sujo. Primeiro para tirar o Gift of the Gods Championship a Sexy Star. Depois para o trocar pelo Lucha Underground Championship que, entretanto, por acaso também já pertencia à Sexy Star. Voltou a vencer e fecha a primeira metade da época em rivalidade com The Mack, como Lucha Underground Champion e como o segundo Triple Crown Champion daquele pavilhão medonho.

Killshot - 2016 foi o ano de acrescentar profundidade ao lutador mascarado simplesmente conhecido como Killshot. Um background militar bastante intenso, um gajo que já viu e fez muita coisa. Não podia temer muita coisa dentro daquele ringue. Nem sequer aquele tolinho varrido do Marty Martinez que lhe roubou as valiosas chapas. Killshot nunca foi lutador de conseguir ouro e parece ter novo factor a empatá-lo na terceira temporada. 

É que lá nas suas aventuras ultramar, um grande amigo morreu em combate. Ou assim pensava ele, até aparvalhar ao vê-lo aparecer no templo e a tê-lo como seu alvo. O já aqui mencionado Danny Mack ocupá-lo-á, em princípio, até ao final da terceira temporada. É um tremendo atleta, também acho que eventualmente o devem premiar com ouro de alguma categoria.

King Cuerno - É verdade, já faz um tempo desde que se veja o indivíduo de nome engraçado que tem dos melhores Suicide Dives na indústria. E ele que parecia que ia ter todo um ano de categoria, a julgar pela sua segunda temporada! Começou logo a vencer o Gift of the Gods Championship que ainda reteria algumas vezes antes de o perder de volta para Fénix. Depois disso caiu numa esparrela: achar que a Catrina queria alguma coisa com ele. Depois faz estupidezes, ah pois claro que faz, por uma menina daquelas, quem daqui o vai julgar por isso? 

Rivalizou com Mil Muertes e até chegou a sair por cima em combates, convencido de que tinha Catrina do seu lado. Tudo fajuto. Pagou o preço de querer festa onde não havia com um bruto Death Match no Ultima Lucha Dos que nos tirou King Cuerno dos ecrãs até então. Até se fala em carreira acabada às mãos de Mil Muertes. O certo é que decorreu o último trimestre e uma primeira metade da terceira temporada e nada de King Cuerno! Voltará?

Kobra Moon - Também não sei se me queria meter muito com esta. Até deve ser engraçado ser o Daga e ter uma assim a fazer-lhe olhinhos. Mas não sei se ela é de confiança. Confirmou-o quando voltou os olhos para Drago e revelou a sua história: líder de uma tribo reptílica, ao qual Drago alegadamente pertence e para a qual ela o quer recuperar. Prevejo uma subida de protagonismo para Kobra Moon, o que tem o seu interesse. Ainda não vimos assim tanto dela, antes disto.

The Mack - No ano passado era um dos meus favoritos e continuou a sê-lo. De um atletismo ridículo. Ocupou a maioria da sua segunda temporada, a criar um forte laço de amizade com Sexy Star, a quem se aliaria contra os perigos dos tolos varridos que são Marty "The Moth" Martinez e Mariposa. Rivalizou com ambos, especialmente The Moth, e manteve-se aliado de Sexy Star até agora, ocupando o resto da temporada com tentativa de captura de ouro. 


O mais importante viria na actual temporada, que entra em pausa com este lutador na ribalta. Ainda amigo de Sexy Star, ganhou oportunidade pelo Lucha Underground Championship e com isso voltou a sua atenção para Johnny Mundo. Diz que da próxima vez que o virmos, que será a lutar durante um episódio inteiro. E nós importados!

Mariposa - E a Cheerleader Melissa chega ao Lucha Underground! Não como a conhecemos mas sim mascarada e revelada como Mariposa, a assustadora irmã do Marty Martínez, tão ou mais tola que ele, que torturou e traumatizou Sexy Star por toda a "off season". Ocupou a sua segunda temporada com essa adversária, que trabalhava para superar o seu medo. E conseguiu. 

Mariposa deu mas também levou uma boa sova num violento combate "I Quit" ou "No Mas" que deu bem que falar. Mesmo partindo para outras aventuras, não se afastou de Sexy Star, estranhamente fazendo parceria com ela para obter um medalhão Azteca que a levaria a uma chance pelo Gift of the Gods Championship o Ultima Lucha, que não conseguiu vencer. Na sua terceira temporada já não marcou tanto, mas foi estando lá, chegando até a retomar brevemente a sua rivalidade com Sexy Star. Como se encontra nesta interrupção da série? Atacada e capturada pelo próprio irmão, possivelmente virando Face no processo. É com cada tolo! Mas pronto, torcemos por ela então?

Marty "The Moth" Martinez - É tudo tolo naquele templo, mas à beira deste, estão todos em espera para a beatificação. Se a sua primeira temporada foi mais virada para o "comic relief" em que não era levado muito a sério, este ano foi de se impôr como um dos psicopatas mais assustadores e perigosos de todo aquele plantel já pouco aconselhável. Aliado à sua também endiabrada irmã Mariposa, torturou Sexy Star e com ela - e o amigo The Mack - rivalizou durante a primeira metade da segunda época, com a luchadora a ultrapassar o seu medo pelos aberrados irmãos. 

Voltou as suas atenções para Killshot e as suas preciosas possessões pessoais, que lhe valeu uma violenta sova num combate extremo, a destacar entre os combates do ano do Lucha Underground, já na terceira temporada. Quando o programa entrou no actual intervalo, Marty foi desencantar um estranho alvo: a própria irmã. As explicações virão quando a programação retomar. Acho eu. Este é tolo o suficiente para não ter grandes justificações para as coisas.

Mascarita Sagrada - A versão Lucha Underground de um lendário mini-luchador. Pouco mais que o mero "comic relief" de um underdog que todos gostam facilmente. Neste ano até teve uma storyline concreta, mesmo que fosse de plano secundário. A sua aliança a Famous B, com a promessa de fama que seria uma mera aldrabice. Num instante seria traído. Para já, na terceira temporada pôde contar com o apoio do amigo Son of Havoc. Não se estendeu mais para além disso. Duvido que façam dele Campeão em alguma ocasião. Pena...

Matanza Cueto - O besta. A sério, não o querem vender como muito humano. E, a julgar pela primeira temporada, nem devia ser humano sequer. O irmão monstruoso de Dario Cueto que este mantinha preso numa jaula, que matava pessoas e que as comia vivas, lá teve direito à sua estreia em ringue, onde afinal até se comporta como um wrestler. Mas mesmo assim monstruoso. Estreou-se no Aztec Warfare, onde venceu o Lucha Underground Championship imediatamente. Morte do artista, logo. E com isso refiro-me a todos os seus desafiantes. 

Manteve-se invicto, atropelando e destruindo todos os seus adversários, chegando ao ponto de obter competição através de uma roda que sorteava um desafiante que teria a sua tal "unique opporunity". Nada o derrubava. Isto até chegar a outro Aztec Warfare, na actual temporada, em que um lendário pequenote habituado a lidar com coisas maiores que ele o elimina. Rey Mysterio encarrega-se de o eliminar e de abrir caminho para a vitória de Sexy Star nesse mesmo combate. Já que o próprio Mysterio levou logo a seguir e nem pôde capitalizar. Anda sem título mas anda possuído, a querer despedaçar Rey Mysterio, que já mandou logo para a baixa. 

Ponto central do "midseason finale" em que Rey Mysterio lhe dá luta e o consegue arremessar pelo tecto de uma das várias divisões à volta do ringue dentro. Obrigou Dario a entrar em desespero e a mandar evacuar o templo. O Monstro foi abatido?

Mil Muertes - A maior ameaça de toda a primeira temporada, já viu novos desafios na segunda, onde já perdeu o título. Aí talvez precisasse de se reablitar um pouco. O certo é que uma Catrina reabilita qualquer um e Mil Muertes atirou-se logo de cabeça a grandes desafios como Matanza e o Lucha Underground Championship. Não sucedeu na conquista e parece que teve que precisar de se reabilitar mais um pouco. 

Que para um gajo que, aparentemente, não está muito vivo, consiste numa ida e volta aos quintos dos Infernos, assumo eu. Isso trouxe uma rivalidade com King Cuerno, com muita Catrina à mistura e em jogo. Foi disputado no Ultima Lucha, num Death Match tremendo. Fechou a segunda temporada com domínio. Na segunda continua tenebroso e até retomou uma rivalidade "back and forth" com Prince Puma, também aparentemente reabilitado e mais negro. 


Falhou conquista de ouro e actualmente, de novo à volta daquela fenomenal Catrina, parece que tem coisas a resolver com Jeremiah Crane. Tem sempre que fazer e ainda mete medo ao susto mas já faz um tempo que Mil Muertes tem algum objecto de significativo valor à cintura... 

Mr. Cisco - Desapareceu-nos da vista. O seu ex-parceiro dos The Crew foi mais à bruta ainda, por acaso. Ocupou o seu tempo na segunda temporada, ainda como parceiro de Cortez Castro, aparentemente sem desconfiar de nada dos seus planos secretos. Fez parceria tanto com ele como com Joey Ryan, dando frequentemente para o torto. Depois, como vai acontecendo sempre na WWE ou na TNA, é assassinado pelo patrão. O comum. Deixámos de ver Mr. Cisco mas não o atleta que o interpreta. Talvez seja novo para alguns, mas actualmente compete como Mala Suerte, uma das aberrações da "Rabbit Tribe" de Paul London. Nova ocupação. E... Diferente, vá.

Night Claw - Podem não se lembrar, mas Flamita competiu uma vez no Ultima Lucha, a lutar pelo Gift of the Gods Championship. Não fez mais e já nem na AAA trabalha.

Paul London & The Rabbit Tribe - Bem, tinham que buscar um tipo que não deve muit em loucura a todo o talento que tem para lhe dar uma das gimmicks mais fritas naquele espaço. Tem que ser qualquer coisa quando se assiste ao Lucha Underground e aparece alguém que nos faz pensar "Este gajo é um bocado esquisito." Acompanhado por Saltador e Mala Suerte - já aqui mencionado que é Mr. Cisco - formam os estranhos Rabbit Tribe, que ainda vimos poucas vezes em ringue. Infelizmente. 

Mas já deu para perceber que, ou não jogam com o baralho todo ou jogam com uma data deles. Vimos mais vinhetas do que combates com eles, que é uma pena, não só porque toda a psicadelia destas personagens é interessante mas também porque Paul London é um veterano e um atleta favorito de elite, de quem talvez se esperasse mais destaque. Mas, não sendo exclusivo ao templo, sempre muito ocupado, e com uma gimmick tão bizarra como esta, é possível que se mantenha como uma acto esporádico e que não se envolva em muitas histórias de mais alto calibre como outras estrelas que por lá andam.

Pentagón Dark - Nunca mais foi o mesmo desde que se revelou, no final da temporada anterior, que o seu mentor era Vampiro, a quem estes devaneios violentos não faziam muito bem à cabeça. No entanto, a mudança inicial foi para melhor com uma Face Turn logo ao início da temporada, em que fez de Mil Muertes alvo. O seu percurso era o mesmo: partir braços de quem lhe aparecesse à frente.

Eventualmente, teria que voltar as atenções para um alvo mais duro e pesado e não havia superior a Matanza Cueto, o Lucha Underground Champion, que se tornou o seu alvo no Ultima Lucha. Mas o simples Pentagón Jr, como ainda era conhecido, não chegava, por muito violento que ele já fosse. Teve que mergulhar mais fundo na escuridão, com Vampiro, e remodelar-se. Era Pentagón Dark o que era preciso para bater Matanza. Ou então não, nem isso, e Pentagón viu que nada estava a resultar e voltou a ser Heel, despachando Vampiro a quem se virou muito violentamente. 

Para a terceira temporada, competiu até ter nova ocupação: tornou-se alvo de Black Lotus que vinha demasiado bem acompanhada. Tem andado calmo por esta altura final, mas parece certo que ele mesmo é que se tornou um alvo, com Vampiro a querer vingar-se...

PJ Black - Uma das caras bem familiares que chegaram a nós na segunda temporada. Estupendo atleta, continuei a gostar bem dele em ringue como sempre gostei. Desde que não faça aquele "air guitar", aí só lhe quero dar um soco na nuca. PJ Black, repleto do seu talento, até conseguiu tornar-se bem notável mas a coisa não lhe corria bem inicialmente. 

Perdeu os seus primeiros combates e foi só com a aliança a Jack Evans e Fénix que começou a lucrar. Já se conhece a história já aqui descrita, da substituição de Fénix por Mundo para fundar os Worldwide Underground e para dar ouro ao trio, incluindo aqui ao antigo Justin. Desde então perdeu os cintos e tem continuado a jogar sujo, a irritar toda a gente com Jack Evans, a ajudar Johnny Mundo a vencer com borradices, por vezes até a estorvá-lo e a levá-lo ao limite da paciência. Por acaso dos seus últimos feitos foi tentar apurar-se para um combate por esse título, algo do qual não ficou muito longe. Mas rapidamente retomou a fidelidade a Mundo e fez de Mack o seu actual alvo...

Prince Puma - Mais um dos nomes de topo do Lucha Underground, mesmo que não tornasse a ser Lucha Underground Champion como foi na temporada introdutória. Contou, no entanto, com Rey Mysterio Jr. e El Dragón Azteca Jr. como parceiros para conquistar ouro diferente, o de trios. Assim que perdesse, a sua atenção manteve-se dentro desse grupo mas de outra forma. Para se estabelecer tinha que passar por uma das suas maiores inspirações. 

Uma rivalidade desportiva e de respeito com Rey Mysterio, uma batalha de gerações, levou Prince Puma a enfrentar Mysterio no evento principal do Ultima Lucha Dos, não conseguindo vencer e receber a tocha directamente. Pode ter desmoralizado um pouquinho e até quis mudar um pouco os seus métodos na terceira temporada, "escurecendo" um pouco a sua personagem. 


Com Vampiro a sussurrar-lhe ao ouvido, ficou muito mais "dark" e até se virou para um antigo rival duríssimo de roer: Mil Muertes, com quem trocou vitórias e derrotas, perdendo novamente num "Casket Match". Será um Prince Puma abalado mas focado e mais intenso que voltaremos a ver, mesmo que apenas até ao fim desta terceira temporada. Com os burburinhos e o interesse da WWE no performer, não renovou o contrato, mantendo o acordo de que não aparecerá em eventos televisivos de maior notabilidade até toda a terceira temporada ser transmitida. Depois disso, poderemos ver Ricochet em variados sítios, como os seus já habituais lares New Japan Pro Wrestling, ou Pro Wrestling Guerrilla ou... WWE?

Rey Mysterio Jr. - Olhem que alguns de vocês até são capazes de já conhecer este indivíduo. Diz que já fez qualquer coisa antes por aqui e por ali. Mas pronto, apesar desse seu anonimato e baixo "star power", vimo-lo na segunda temporada do Lucha Underground, como mentor de El Dragon Azteca Jr., até este conseguir inseri-los no Aztec Warfare. Foi lá que ele fez a sua aguardada e bem recebida estreia. E é por lá que ele consegue sempre grandes feitos. 

Ainda aliado ao seu protégé Dragón Azteca e já com Prince Puma do seu lado, Mysterio partiu atrás de ouro de trios e conquistou-o, perdendo-o para o Worldwide Underground. Desde então entrou numa rivalidade de respeito e honra, de mero desportivismo e de colisão de eras. Seria Rey Mysterio ainda a lenda que ele estabeleceu há mais de uma década atrás ou seria altura para passar o testemunho ao jovem Prince Puma, em quem tanto se revê? Melhor maneira de resolver isso seria mesmo fechando a segunda temporada, como main event do Ultima Lucha Dos onde Mysterio comprovou ainda fazer parte da elite e venceu, mostrando e recebendo todo o respeito ao seu adversário. 

Entrou, nessa maré alta, na terceira temporada onde retomou uma rivalidade de uma década de idade: com Chavo Guerrero. Muitos paralelismos com a sua rivalidade de há dez anos atrás, mas quiseram tornar esta mais intensa. E, como o próprio disse, o templo não era suficientemente grande para os dois e teve que derrotar Chavo para o expulsar e banir do templo, de vez. Pôde concentrar-se no Aztec Warfare, onde foi muito notável de novo, como eu disse. 


Desta vez foi o responsável pela eliminação de Matanza, tornando-se o primeiro a conseguir derrotá-lo. Claro que o monstro ficou possuído e mandou-o para a baixa e iniciou uma rivalidade de se prolongar. Tão enorme que foi a bulha entre eles que instalou o caos e o frenesim no templo, obrigando Dario Cueto e evacuá-lo, como fecho da primeira parte desta terceira temporada. Mas também, que achavam que o Mysterio ia fazer ao Lucha Underground? Aliar-se ao Famous B?

Ricky Mandel - Não, não o vimos este ano. Ou melhor, tecnicamente não o vimos. Não houve Ricky Mandel na segunda e terceira temporadas do LU. Mas houve Trece, um dos mascarados Disciples of Death, com quem entrou na segunda temporada como Trios Champion. Como devem saber, foi morto e reduzido a cinzas, à boa moda aqui do Lucha. Por acaso o próprio Mandel não tornou a aparecer, como se tivesse sido morto também. É reconhecido ainda como membro do plantel, mas nem sinal...

Sexy Star - Notável desde o início, a talentosa lutadora deu bastante nas vistas ao longo da segunda e terceira temporadas. Na segunda, tinha que se restabelecer ou, pelo menos, superar o trauma. Raptada por Marty Martínez e torturada por ele e a sua irmã Mariposa, a sua segunda temporada foi a rivalizar com os irãos, especialmente Mariposa com quem disputou um memorável e violento "I Quit" - ou "No Mas" - sangrento e de linguagem forte. 

Com ela semi-arrumada, mas sempre por perto, conseguiu conquistar o Gift of the Gods Championship no Ultima Lucha, possuindo um passe fortíssimo para o título principal. E a terceira temporada é que viria a ser de glória e história escrita. Talvez a glória não viesse logo, porque teve que perder o Gift of the Gods Championship para Johnny Mundo primeiro, mas afinal aquilo nem era preciso. Foi no Aztec Warfare que Sexy Star foi buscar força ao fundo das suas entranhas e venceu o colectico combate, eliminando o finalista Mil Muertes para fazer história e tornar-se a primeira Lucha Underground Champion feminina na história do templo. 

Olhando para o plantel e para as possibilidades, espero que não seja a última. Mesmo que fosse um reinado curto - o artista do Johnny Mundo, lá quão baixo tivesse que descer para tal, tirou-lhe também esse título no episódio seguinte - estava história feita e o "feel good moment" vivido. Passou o resto da série até à interrupção a tentar recuperar o cinto, a manter a amizade com The Mack e a receber tarântulas de presente, a servir-lhe de pretexto para retomar a rivalidade com Mariposa. 

Quanto ao seu futuro no Lucha Underground, está contado. Dulce Garcia desmascarou-se e anunciou uma carreira no box, finalizando a sua assosiação contratual com a AAA e o Lucha Underground. Voltou ao wrestling ainda em 2016, ainda desmascarada como Dulce Garcia, na Shimmer Women Athletes. O que está gravado será transmitido e veremos o que falta de Sexy Star no resto da terceira temporada, suponho eu. Para o futuro mais distante e para a quarta temporada já em gravações, já não temos Sexy Star. Ficou como uma das grandes!

The Snake Tribe - Pindar e Vibora são as duas aberrações que a Kobra Moon desencantou a algum pântano qualquer onde se luta. Aparentemente meros escravos da luchadora, lutam por ela e pela sua espécie reptílica. Afinal aquilo é autêntico, o que só se torna mais assustador ainda. Ajudam-na na missão de recuperar Drago para a sua tribo. Ainda os conhecemos pouco, já só pisaram o ringue em 2017 mas vimo-los nas vinhetas anteriores. São assustadores, sim. E lutam, o que só piora no factor do cagaço.

Son of Havoc - Continua a ser um dos favoritos dos fãs, mesmo que nunca o ergam lá para o topo. Não é só por ter a melhor voz de qualquer orador ali dentro, é mesmo um atleta fantástico. O ex-Tough Enough ocupou a maioria do seu tempo de volta dos Trios Championships que lhe tinham dado tanto trabalho a conquistar e a conseguir entender-se com os parceiros. Conseguiram recuperá-los aos Disciples of Death, que lhe retiraram os cintos no ano anterior, no Ultima Lucha. Voltaram a perdê-los, ao ser colocados em desvantagem. 

A lesão de Angélico e os novos "projectos" de Ivelisse deixaram-no com pouco rumo. No Ultima Lucha Dos até participou num torneio por uma "Unique Opportunity", que ele pensava ter ganho. Até levar com o estreante Dr. Wagner Jr., que lhe levou a "opportunity". Na terceira temporada tem andado mais discreto e ainda menos ocupado com assuntos de topo, aliando-se a Mascarita Sagrada e protegendo-o contra Famous B e Dr. Wagner Jr. É possível que já venha a ter mais quando a série retomar, é-lhe merecido. Senão, é um desperdício, muito bom competidor e muito bem recebido pelos fãs.

Taya - Chegou como companheira de Johnny Mundo e não tardou nada a fazer virar cabeças. Desengane-se quem achava que ela era uma boneca frágil, a Street Fight que teve com Cage colocou-a em posições e bumps que nem muitos gajos! Com a plateia já conquistada foi uma óptima Heel, como acompanhante dos Worldwide Underground e entrou em zaragatas com Ivelisse, que viria a derrotar no Ultima Lucha. Isto metendo alguns merecidos combates por títulos - mesmo que colectivos - pelo meio. 

Infelizmente, sinto que na terceira temporada a deixaram cair para uma simples "valet" dos Worldwide Underground com menos participações em ringue, mesmo que ainda lá fosse. Gostava que tivesse um papel mais agressivo e até, que se virasse a Johnny Mundo e aos amiguinhos, se possível. Sinto que tem o potencial e "toughness" para ter competição e apoio e adoração dos fãs a nível semelhante de Sexy Star ou Ivelisse.

Texano - A primeira temporada tinha-lhe dado uma Face Turn, algo pouco usual para um Heel, um Rudo, tão natural como El Texano Jr. Mas acontece que a malta até vai com ele e gosta de o ver em ringue, logo lá se deixaram levar. E não é difícil ficar do seu lado quando os seus problemas são com Chavo Guerrero, ainda para mais o Chavo do templo. Foram ainda esses problemas que ocuparam Texano no início da segunda época, acabando por derrotá-lo num combate "Bullrope". 

Desde então virou secundário no resto da segunda temporada, conquistando ainda um medalhão Azteca que lhe deu acesso ao Gift of the Gods Championship que não conquistou. Participou no torneio pela "Unique Opportunity" no Ultima Lucha, sem sucesso. Mas foi com outra "Unique Opportunity" que ocupou a sua terceira temporada, numa série de combates com Cage, pelo prémio misterioso de Dario Cueto - o punho - que não conseguiria vencer. Talvez "condenado" a ser uma estrela maior na AAA do que no Lucha Underground, não sei se Texano terá lugar em rivalidades e histórias de tão alto calibre no resto da terceira temporada.

Bom, espero que não me tenha esquecido de ninguém importante. E olhem que cheguei a ter que retomar por quase me esquecer de alguém. Espero que, pelo menos à primeira vista, esteja uma lista suficientemente completa e com resumos razoáveis. Há alguma especulação para o futuro mas não dá para ser assim tanta em relação a uma série que já tem a quarta temporada em gravações. De modo geral, faço um balanço suficientemente positivo do Lucha Underground. Existem várias fontes críticas profissionais mais duras com a segunda temporada do Lucha Underground, eu não vou tão longe mas também sinto que ainda não atingiram aquele alto nível da ainda superior primeira temporada. O "standard" estava muito alto? Não sei, mas continua a ser um programa que vale a pena ver e que ainda nos traz muito boa acção e muita coisa pouco usual que não se vê em mais nenhum lado - sempre temos os Hardys também a fazer esquisitices mas são diferentes. Que continuemos a desfrutar imenso do Lucha Underground ao longo deste ano e que volte a terceira season!

Por aqui ficam estes artigos extremamente úteis. Rescaldo completo do ano, pelo menos do que achei importante, espero que tenham gostado e que tenha sido completo. Obrigado pela vossa leitura e só me resta desejar que tenhamos um bom ano no que diz respeito a gajos aos trambolhões num ringue! Fiquem bem!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Enviar um comentário

O blog tem os comentários abertos a todos aqueles que gostem de wrestling e o queiram discutir com responsabilidade e sobretudo de maneira construtiva.

Não são permitidos insultos pessoais entre leitores, bem como a autores do blog. Não é permitido spam. Qualquer comentário fora do contexto, fica a cargo da administração a decisão da sua permanência.

5 comentário(s):

- disse...

melhor roster de sempre?

Unknown disse...

Alguém me sabe dizer o que aconteceu com o Lucha Underground que nunca mais encontrei nenhum episódio desde um episódio em Janeiro em que o Mack é atacado pelos Worldwide Underground? Era suposto acontecer o "All Night Long" entre o Johnny Mundo e o Mack mas nunca mais encontrei nada.

FaBiNhO disse...

Pois Unknown eu também assisti a esse último episódio, mas ao que parece foi o episódio final desta 1ª metade da 3ª temporada e agora só regressará no Verão! E deve ser aí que irá ocorrer o "All Night Long" creio! :)

Joel disse...

Ao que parece a presença da Lucha Underground no netflix limitava-se aos USA, canada e alguns países latinos, queria pedir um apoio a quem vir esta msg ,que divulguem o link onde podemos sugerir conteúdo ao Netflix, quem sabe se formos muitos a pedir no futuro adicionem lá as temporadas , e se possível as futuras sejam adicionadas lá também.

Queremos Lucha Underground em Portugal!

https://help.netflix.com/pt/titlerequest

Joel disse...

Já que vim aqui colocar outros tipos de informação , aproveitei para vir ler o artigo hoje...
Queria dar os parabéns a quem escreveu , esta muito bom , nem falo muito da parte da historia, mas como soube tirar o melhor da etapa de cada um dentro do Templo, e a descrição de cada personagem? Fantástico, muito bom mesmo , e partilho praticamente das mesmas opiniões do autor , tirando uma , na parte da Taya, acredito que a vão colocar num lugar de mais destaque ainda, mas tanto a opinião do autor como a minha são suposições , portanto valem o que valem.

Já agora comentar só acerca de um wrestler , The Mack , simplesmente não o conhecia, ou então passou me despercebido (como foi possível??) , mas que wrestler, depois que apareceu no Templo passei varias horas a ver o homem no youtube, a perguntar me como era possível alguém com aquele físico ter tanta agilidade e fazer movimentos que parecem que um Rey mysterio encarnou dentro do homem, é incrível como um wrestler pode a primeira vista parecer desleixado fisicamente mas que depois nos mostra em ringue que é um talento incrível, cheio de potencial e com movimentos tão variados.