quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Opinião do Leitor | A Arte do Mr. Selling

Gostou deste artigo? Então clique nos botões ao lado para o curtir! Se assim o desejar, deixe-nos um comentário no fim que nós e os visitantes agradecemos!


Ziggler é o melhor da WWE a vender golpes e momentos

Quando se está a analisar um wrestler, muitas das vezes valoriza-se apenas a espetacularidade dos seus golpes ou da qualidade das promos. Esquece-se de algo fundamental num tipo de espetáculo que é encenado e programado, a capacidade de fazer com que a plateia acredite no que está a ver.

Quando um golpe é aplicado, quem o executa e quem o sofre tem técnicas para amortecer ou anular os danos reais, de forma a parecer bem mais impactante do que na verdade foi. Pouco importa se o move que se está a ver é a última bolacha do pacote quando, quem o sofre, não mostra algum… sofrimento.

Tantas e tantas vezes, numa WWE que se quer como companhia de topo, se vê tão nitidamente wrestlers a colocarem os braços para amortecerem o impacto de uma queda frontal ou de um Superkick. Big Show, por exemplo, é péssimo nisso. Até já caiu de costas num Pedigree. E cair de costas num Pedigree e a seguir sofrer um pin fall é das coisas menos legitimas que podem acontecer no ringue. Também há quem esteja preso em submissões com cara de frete, sem transparecer dor, falta de fôlego ou o desespero de quem está na iminência de desistir.


A essa capacidade de legitimar combates através de expressões corporais e faciais chama-se selling. E no panorama atual, não se encontra alguém melhor a desempenhar essa arte do que Dolph Ziggler.

Na recente luta frente a The Miz, no No Mercy, em que a sua carreira estava em jogo e os fãs estavam realmente preocupados com o desfecho, essa capacidade do Mr. Show-Off engrandeceu o espetáculo. Vendeu cada golpe e cada momento como se fossem reais, o que reforçou a emoção das near falls, da execução dos finishers e das interferências. Fez com que a encenação parecesse legitima, que por momentos acreditassem que o que estavam ali era o verdadeiro estado anímico e físico dos lutadores.

Felizmente que o boato não se confirmou, e Ziggler vai mesmo continuar na WWE. Poderá não ser o maior, o que tem os golpes mais espetaculares, o que melhor se dá nas promos, mas é aquele que nos faz mais acreditar que o que estamos a ver é verdade, mesmo quando estamos fartos de saber que não o é.

Artigo escrito por David Pereira, jornalista e antigo colunista do WN


Tens algum artigo que gostarias de publicar no WN?
Se sim, envia um email para wrestlingnoticias@gmail.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Enviar um comentário

O blog tem os comentários abertos a todos aqueles que gostem de wrestling e o queiram discutir com responsabilidade e sobretudo de maneira construtiva.

Não são permitidos insultos pessoais entre leitores, bem como a autores do blog. Não é permitido spam. Qualquer comentário fora do contexto, fica a cargo da administração a decisão da sua permanência.

1 comentário(s):

André Ribeiro disse...

Não me parece que seja o melhor a vender, nem de perto nem de longe. Claro que bumpa como ninguém tal como ninguém e quando o faz credibiliza imenso o golpe do adversário - mesmo que por vezes o faça de um modo super exagerado e até cartoonizado.

Mas vender ajudem a acrescentes drama e emoção ao um combate como por exemplo lesão/dificuldades progressivamente durante o combate - isso Ziggler sempre teve uma boa lista de lutadores à frente, e é esse tipo de coisas que fazem com que por exemplo Bryan tenha uma carreira recheada de combates épicos e que durante os seus combates tenha conseguido colocar o público investido emocionalmente no combate e nos lutadores, seja ele um heel ou um babyface - e é esse tipo de coisas que ajudam um lutador a ser adorado pela maioria das pessoas ou odiado.

Quem diz Bryan diz um Zayn quando era estava no NXT ou quando ainda era pushado no main roster, mesmo a própria Sasha Banks nos últimos anos tornou-se óptima nisso, bem como a maior parte dos lutadores que acabaram por tornar-se lendas