sábado, 27 de agosto de 2016

A Alternativa Fenomenal #36: Invasões pelo Mundo

Gostou deste artigo? Então clique nos botões ao lado para o curtir! Se assim o desejar, deixe-nos um comentário no fim que nós e os visitantes agradecemos!








Saudações a todos, e bem-vindos a mais uma Alternativa Fenomenal. Creio que muitos dos leitores conhecem o significado que o termo "invasão" representa no wrestling profissional. Desde os clássicos tempos da Invasion na WWE, que a ideia de termos lutadores de uma empresa invadindo outra passou a ser usada entre companhias parceiras. Alguns casos acabam não tendo tanto destaque quanto o pensado, como a recente invasão da GFW, de Jeff Jarrett, à TNA, ou por serem realizadas por empresas de menor porte, como a invasão da IWA-MS à CZW.

Entretanto, muitas dessas storylines acabam tomando rumos importantes, e assumindo grande destaque nas companhias onde ocorrem, com alguns dos "invasores" inclusive alcançando status de prestígio nas mesmas. Hoje, apresentarei quatro dessas estórias, onde invasões ocorreram e lutadores de empresa rivais (ou em um dos casos, remanescentes de uma empresa) se enfrentaram pela dominância da companhia invadida. Sem mais delongas, eis as invasões que destacarei:




EV 2.0 (ECW vs TNA) - Iniciada na edição de 15 de julho de 2010 do TNA Impact, a storyline de invasão dos ECW Originals à empresa de Dixie Carter contou com a participação de vários nomes de topo da antiga "Land of Extreme". No citado dia, enquanto Abyss enfrentava Rob Van Dam, um grupo composto por Mick Foley, Raven, Rhyno, Tommy Dreamer e Steve Richards invade o ringue e aplica um sonoro beatdown no "Monster", fazendo com que seguranças e vários lutadores da TNA venham para o ringue para tentar contê-los. 




Após derrotar vários lutadores, os oficiais Al Snow, D-Lo Brown e Pat Kenney vem ao ringue mas, em vez de ajudar seus colegas de Impact, começam a atacá-los junto aos Originals. Broher Devon junta-se a eles depois em uma brawl generalizada, que só termina quando a própria presidente anuncia que foi ela quem convidou os ex-ECW para virem ao show. Esse ocorrido veio após várias aparições dos Originals em edições do Impact, onde apenas permaneceram na platéia assistindo aos shows.

A razão para esse "convite" foi um acordo que Dixie fez com os lutadores para a realização de um evento especial de reunião da ECW, que foi o primeiro Hardcore Justice, exibido em 8 de agosto. A eles, juntaram-se ainda nomes como Bubba Ray Dudley, Sabu, "Little" Guido Maritato e Sandman. No Impact seguinte ao pay-per-view, Dreamer e os demais membros da chamada EV 2.0 (Extreme, Version 2 ou Extreme Violence 2) agradeciam no ringue aos fãs, lutadores da TNA e a Dixie Carter pela oportunidade de poderem combater juntos novamente, até que os membros da Fourtune, junto a Abyss, Doug Williams e Matt Morgan os atacaram violentamente, seguindo o pensamento de que nenhum dos Originals merecia estar na empresa de Nashville.




Isso levou Carter a contratar todos os membros da EV 2.0 para que estes pudessem combater os Fourtune. Entretanto, vários dos Originals acabaram saindo de cena devido ao fim de seus contratos (caso do Team 3D) e alguns outros problemas (como Sandman e Bill Alfonso, que faltaram às gravações do Impact e foram dispensados por isso). Para contrabalançar essas saídas, Brian Kendrick se juntou ao grupo, mesmo não possuindo nenhuma filiação com a antiga ECW. Os combates entre a Fourtune e a EV 2.0 ocorreram no No Surrender, em setembro, onde os Originals perderam todos os seus combates (Doug Williams venceu Sabu, Abyss derrotou Rhyno, e AJ Styles venceu Tommy Dreamer). 

No Impact seguinte ao pay-per-view, Dreamer tentou fazer as pazes com a stable liderada por Ric Flair, ao admitir que eles foram melhores que os ex-ECW, mas após ser duramente atacado outra vez, ele busca Dixie Carter, e com ela marca um Lethal Lockdown entre a equipe de Raven, Rhyno, Richards, Sabu e o próprio Tommy contra Styles, Kazarian, Matt Morgan, e os Beer Money, realizada no Bound for Glory, em outubro. A EV 2.0 saiu vitoriosa nessa luta quando Dreamer fez o pinfall em Styles.




A derrocada dos Originals começou ainda em outubro, quando Eric Bischoff anunciou que um dos membros da equipe da "Land of Extreme" era um traidor que estava trabalhando junto com ele e sua nova stable, Immortal. Isso fez com que Rob Van Dam (que já havia sido traído por Jeff Hardy no BFG, quando este juntou-se aos Immortal) começasse a duvidar de seus colegas, inicialmente culpando Raven, e depois entrando em altercações com Sabu, após perderem um combate de duplas contra a Beer Money por um erro do árabe, que o acertou com uma cadeirada.

Dreamer combateu Van Dam no Turning Point, em novembro, para resolver esse problema, e após vencer o combate, ele conseguiu fazer as pazes com seu companheiro de equipe. No mesmo evento, Sabu, Kendrick, Raven, Richards e Rhyno enfrentaram a Fourtune em uma 10-Man tag team match, onde caso a EV 2.0 perdesse, Ric Flair teria o direito de despedir um de seus membros. Os Originals perdem, e Sabu é demitido.




No Impact seguinte, Rhyno se revela como sendo o traidor e sai do grupo após custar um combate a Rob Van Dam e atacar Tommy Dreamer. Na semana seguinte, Raven é forçado a enfrentar Jeff Hardy pelo TNA World Title colocando sua carreira em jogo, também sendo derrotado e demitido. No Final Resolution, em dezembro, foi a vez de Rhyno sair da empresa, após perder um First Blood match contra Van Dam. Por fim, em janeiro de 2011, Steve Richards anuncia sua saída da TNA, encerrando o grupo EV 2.0 e a storyline que os envolveu.


El Consejo (CMLL vs AAA) - O início da "invasão" dos ex-lutadores da CMLL à grande rival AAA, começou em 16 de dezembro de 2011, no evento Guerra de Titanes. O main event do pay-per-view foi um combate entre L.A. Park e o então AAA Latin American Champion, Dr Wagner Jr, ambos ex-lutadores da Consejo Mundial, valendo o cinturão de Wagner. Logo antes da contenda iniciar, o recém-chegado da CMLL Toscano aparece na rampa e começa a insultar os lutadores, dizendo que "eles" eram superiores a todos os membros da AAA. Isso resultou num ataque de raiva de Wagner, que derrubou Toscano aos socos, para que o "invasor" fosse retirado da arena pelos seguranças da companhia.




Após o combate, que terminou na vitória de Park e consequente conquista do cinturão Latin American, Toscano retorna ao ringue, dessa vez acompanhado pelos também ex-CMLL Texano Jr e Máscara Año 2000 Jr, e juntos, o trio ataca Wagner e seu filho, Hijo de Dr Wagner Jr, que o acompanhou ao ringue, curiosamente deixando que Park fosse embora em segurança. Após finalizar o ataque, Texano fez uma promo onde declarou que a nova stable, El Consejo, estaria desafiando todos os lutadores da AAA, incluindo a mega stable heel La Sociedad, sendo o grupo expulso pelos Psycho Circus, que se tornariam seus maiores rivais na companhia.

Nas gravações de 20 de dezembro, o grupo firmou-se como a terceira força da AAA, ao atacar diversos lutadores, faces e heels. No dia 21 de janeiro de 2012, os ex-CMLL Semental e Mortiz se juntam ao Consejo, e em fevereiro, o grupo fecha sua formação inicial com a entrada de Argos na stable. Com essa formação, o grupo começa a participar de combates de equipe contra vários times da companhia de Dorian Róldan, sendo que sua primeira grande vitória ocorreu em março, no Rey de Reyes, quando Texano, Máscara e Toscano derrotam a equipe de Dr Wagner Jr, Eletroshock e Heavy Metal, devido a interferência de um suposto novo membro da stable, intitulado apenas como El Hombre de Negro.


                                                                                    Formação inicial da El Consejo


O grupo continuou demonstrando sua dominância ao vencer diversos combates de equipe ao longo das semanas, e em maio, no especial Noche de Campeones, do programa televisivo da AAA, Máscara, Texano e Toscano derrotam os Psycho Circus e se tornam AAA World Trios Champions, novamente com a ajuda do Hombre de Negro. Este indivíduo ainda veio a combater algumas vezes junto a Texano, até que no dia 16 de junho, ele é desmascarado e revelado como sendo Máscara Año 2000 Jr. Seguindo isto, o Consejo começa uma série de combates contra os Psycho Circus, trocando vitórias e derrotas, até que em agosto, eles derrotam os palhaços na primeira defesa do Trios Championship.




Após derrotarem os PC, o grupo  revitalizou sua feud com Dr Wagner, mas depois de algumas vitórias contra a lenda, o trio de campeões entrou em uma extensa série de derrotas em combates de equipe, iniciada em julho de 2012 e que só terminaria em novembro de 2013, com uma vitória sobre a equipe de Fénix, Jack Evans e Angélico numa dark match do Sín Limite. Nesse meio tempo, eles perderam vários combates em sua rivalidade contra os Psycho Circus, culminando com a perda dos títulos de trios, em uma No Disqualification Trios match, na edição de 18 de fevereiro de 2013 do Sín Limite. Após este combate, e cansado das sucessivas derrotas, Toscano abandona a stable.




Entretanto, a stable havia sofrido outras mudanças ao longo de 2012, com a entrada de Silver Cain (também conhecido como Silver King) e Ke Changuito, e a saída de Semental (que havia mudado sua gimmick). E, apesar de não estarem conseguindo muito destaque como time, alguns componentes do Consejo conseguiram obter destaque individual. Em agosto, Máscara Año 2000 Jr competiu no main event da Triplemania XX, onde perdeu um mask vs mask match contra Dr Wagner Jr, e em dezembro Texano venceu El Mesías para se tornar o mais jovem AAA Mega Champion, na Guerra de Titanes. Na mesma época, o Consejo formou uma aliança com a La Sociedad, visando a vitória de Texano sobre Mesías.

Em outubro de 2013, outro recém-chegado da CMLL se junta ao grupo: Hijo del Fantasma (King Cuerno na Lucha Underground). Junto ao seu novo colega, Texano e Silver Cain tentam novamente obter o título de trios, mas perdem nos dois combates que realizam contra os Psycho Circus, um em dezembro e outro em janeiro de 2014. Uma nova tentativa de conquistar os cinturões ocorreu em junho, mas resultou em nova derrota para o Consejo.




A partir de 2014, os combates em equipe da stable começaram a se tornar mais escassos, com os lutadores se dedicando mais a suas carreiras individuais. Fantasma inclusive, ganhou o AAA World Cruiserweight Championship, na Triplemania XXI, em agosto, enquanto Texano seguia com seu reinado como Mega Champion, o maior na história da empresa, encerrado apenas na Guerra de Titanes, em dezembro, onde ele perdeu o cinturão para Alberto El Patrón (Alberto Del Rio na WWE).

O último combate de equipes registrado do Consejo ocorreu em setembro de 2015, quando os Perros del Mal (Joe Líder e Pentagón Jr) venceram uma 3-Way Tag Team match contra Fantasma e Texano, e os Güeros del Cielo (Angélico e Jack Evans). Apesar de não combaterem mais em time, o grupo ainda é creditado pela AAA como ativo, mas como boa parte de seus componentes mantém o atual status de free agent (com alguns já fora da AAA inclusive), pode-se considerar a stable como encerrada.


A guerra de Chris Hero (CZW vs RoH) - Uma rivalidade menos duradoura que as apresentadas anteriormente, mas que foi notável por envolver lutadores de duas das mais prestigiadas indys americanas, foi a que envolveu a CZW e a Ring of Honor, iniciada em dezembro de 2005, no Cage of Death 7, quando Chris Hero, então um dos principais lutadores da CZW, desafiou abertamente Bryan Danielson (Daniel Bryan na WWE), então campeão da Ring of Honor, pelo cinturão deste. Hero então passou a invadir eventos da RoH tentando atacar Bryan, que também começou a invadir eventos da CZW e a enfrentar lutadores da companhia de ultraviolent.

Em janeiro de 2006, no RoH Hell Frozen Over, Hero e Danielson se enfrentaram pelo RoH World Title, onde o "American Dragon" reteve o cinturão. Entretanto, a guera estava instaurada, e Chris, junto ao seu colega Necro Butcher começaram a invadir múltiplos eventos da "Rainha das Indys", sendo expulso destes ao interferir e atacar os lutadores durante as lutas. Em fevereiro, no RoH Fourth Anniversary Show, Hero, Butcher e boa parte do roster da CZW invadiram o evento, sendo postos pra fora por Samoa Joe e seus colegas da Ring of Honor.




A rivalidade entre as companhias se intensificou imensamente em março, quando ambas as companhias realizaram um evento simultâneo na arena da Combat Zone, onde a RoH realizou o Arena Warfare, e a CZW apresentou o When 2 Worlds Collide. Durante o Arena Warfare, quando Samoa Joe e BJ Whitmer se enfrentavam, o roster da CZW apareceu e atacou os lutadores, o que levou a uma brawl monstruosa entre os membros do roster das duas companhias, que terminou com a destruição do ringue montado pela Ring of Honor, e a expulsão dos lutadores da "Rainha das Indys" pelos wrestlers da Combat Zone. 

Ainda em março, o lutador da RoH Adam Pearce realizou um desafio para a CZW durante o Best in the World, e este foi atendido por Hero e Butcher, que em vez de o enfrentarem em combate, optaram por atacá-lo em conjunto. Este ato marcou o turn de Claudio Castagnoli (Cesaro na WWE), amigo e parceiro de longa data de Chris, quando este ajuda Pearce a expulsar Hero e Necro do ringue. A ação de Claudio leva Chris a invadir o Supercard of Honor no final do mês, anunciando que ele buscaria vingança pela traição. Mais tarde no mesmo evento, ele invade o ringue novamente e ataca Pearce, Whitmer e o Comissioner Jim Cornette, que revidaram com a ajuda de Samoa Joe e expulsaram os invasores do local.


                           Capa do DVD do Death Before Dishonor IV, evento que "encerraria" a guerra entre as empresas


O ocorrido no Supercard levou a marcação de um combate no RoH's 100th Show, onde o Team RoH (Joe, Pearce e Whitmer) perdeu para o Team CZW (Hero, Butcher e Super Dragon) quando Claudio atacou Samoa Joe e ajudou Hero a realizar o pin em Adam, mostrando que era aliado da Combat Zone. A guerra prosseguiu até o Death Before Dishonor V, em julho, onde equipes das duas companhias se enfrentaram na especialidade da CZW: o Cage of Death. Apesar dos combates serem 5 contra 5, os líderes dos times, Joe e Hero, não revelaram o quem era o quinto membro de suas equipes.




Assim os times anunciados foram: Joe, Pearce, Whitmer e Ace Steel, pela Ring of Honor, e Hero, Castagnoli, Butcher e Nate Webb pela Combat Zone. Na luta, foi visto que Eddie Kingston, rival de longa data de Chris foi o lutador surpresa do Team CZW, enquanto Bryan Danielson foi o quinto integrante do Team RoH. Porém, para a surpresa dos fãs da "Rainha das Indys", Bryan ataca Joe, que seria o próximo desafiante ao seu RoH World Title, e abandona o combate, o que fez todos pensarem que os ultraviolent wrestlers venceriam a disputa. Entretanto, Homicide surge e adentra a jaula, realizando o pin em Webb e vencendo o combate para o time da Ring of Honor.

Com o  resultado obtido, todos os lutadores do time CZW foram expulsos da RoH, com exceção de Claudio Castagnoli, pois este possuía contrato com a empresa de Maryland desde antes da rivalidade interpromocional começar, fazendo com que a guerra fosse declarada como encerrada. Entretanto, Hero não ficou satisfeito com os acontecimentos, e resolveu voltar a invadir a companhia de Joe Koff, aparecendo nos dois primeiros shows da turnê inglesa, ocorrida em agosto. Ele combateu nos dois eventos, perdendo para Colt Cabana no primeiro, e perdendo num Six Man Tag match, junto a Castagnoli e Chad Collyer, contra a equipe de Cabana, Nigel McGuinness e Robbie Brookside no segundo.


                                         Chris Hero e Claudio Castagnoli como RoH World Tag Team Champions


Ao fim do mês, ele e Claudio revelam que foram os responsáveis pelo roubo dos RoH World Tag Team Titles, que na época pertenciam a Austin Aries e Roderick Strong, fazendo um desafio aos mesmos para que os enfrentassem no Glory by Honor V, em setembro. A luta ocorre na segunda noite do evento, com vitória dos Kings of Wrestling (Hero e Castagnoli), que se tornaram os campeões oficiais. Com a conquista dos cinturões de duplas, Chris tornou-se lutador a tempo inteiro da Ring of Honor, encerrando assim sua guerra contra a empresa.


Suzuki-gun (NJPW vs NOAH) - A rivalidade que colocou a Suzuki-gun, stable heel originária da New Japan contra a Pro Wrestling NOAH, iniciou-se em 4 de janeiro de 2015, no Wrestle Kingdom 9, quando uma equipe composta por 4 membros da "Army", Iizuka Takashi, Shelton Benjamim, Lance Archer, e Davey Boy Smith Jr, os Killer Elite Squad (Vance Archer e David Hart Smith na WWE) , perdeu um 8-Man Tag Team match contra a equipe de Yano Toru e dos lutadores da NOAH Marufuji Naomichi, Mikey Nicholls e Shane Haste, a TMDK (atuais TM-61 no NXT).

A derrota fez Suzuki Minoru, líder da stable, declarar guerra contra a empresa concorrente, e na semana seguinte ao WK9, toda a Suzuki-gun aparece no evento da NOAH, ocupando o ringue após o main event do show e atacando Marufuji e qualquer um que tentasse impedir sua invasão. Na mesma semana, a "Army" realiza sua estréia em ringue, onde seus lutadores competiram em 3 diferentes combates e obtiveram expressivas vitórias sobre os representantes da NOAH.



A stable continuou competindo ao longo das semanas nos eventos da NOAH, até que em 11 de fevereiro, ocorre o primeiro grande acontecimento da storyline, quando a K.E.S. conquista os GHC Tag Team Titles ao derrotarem os TMDK com a ajuda de El Desperado. E no dia 15 de março, os membros da Suzuki-gun conquistam todos os demais cinturões da NOAH: El Desperado e Taka Michinoku vencem os GHC Jr Tag Team Titles em uma 3-Way Tag match; Taichi vence Kotoge Atsushi pelo GHC Jr Heavyweight Title; a K.E.S. retém os Tag Team Titles contra a TMDK; e Suzuki derrota Marufuji para conquistar o GHC Heavyweight Championship.


                                       Comemoração da Suzuki-gun após a conquista de todos os títulos da NOAH


Esta dominância sobre os títulos acabou fazendo com que todas as stables da NOAH, inclusive grupos heels, tentaram trazer os cinturões de volta aos lutadores da empresa. Além disso, Takayama Yoshihiro, que era membro da NOAH antes de se juntar a Suzuki-gun, decide cortar laços com o grupo, e se aliar à empresa de Misawa Mitsuharu, constituindo a primeira baixa da equipe na guerra interpromocional. Em abril, a stable entra com 3 times na Global Tag League, sendo que Smith e Archer conseguem chegar na final, onde são derrotados pelos Dangan Yankees (Sugiura Takashi e Tanaka Masato).

Com o passar dos meses, a dominância da "Army" continuou, com seus membros defendendo com sucesso seus cinturões, muitas vezes com interferências de outros integrantes da equipe. Em agosto, Taichi e Desperado competem na Global Jr Heavyweight League, mas não conseguem chegar às finais, onde o vencedor do torneio, Harada Daisuke, desafia Taichi pelo GHC Jr Title. Em setembro, após defender com sucesso o GCH Heavyweight Title contra Sugiura, Minoru é novamente desafiado por Marufuji, aceitando o combate sob a condição de que se Naomichi perdesse, a NOAH seria dissolvida. O desafiante aceita as condições, dizendo ainda que se algum membro da Suzuki-gun vencesse o vindouro Global League Tournament, ele estaria pronto para a dissolução da empresa.




Em outubro, enfim o monopólio da stable é quebrado, quando Kotoge e Harada, vencedores do NTV G+ Cup Jr Heavyweight Tag Team Tournament, vencem Taka e Desperado pelos Jr Tag Team Titles (ambos os times se enfrentaram no final do citado torneio, onde os representantes da NOAH também saíram vencedores).

Entre outubro e novembro, enfim ocorre o Global League Tournament, e 6 membros da "Army" entram no torneio, com Shelton Benjamim avançando à final, onde enfrentou e foi derrotado por Marufuji. Em dezembro, no Destiny 2015, a Suzuki-gun perde sua dominância, ao sofrer derrotas em cinco dos seis combates onde participou, onde apenas a K.E.S. manteve os cinturões ao derrotarem Chris Hero e Colt Cabana. Taichi perdeu seu GHC Jr Heavyweight Title para Ishimori Taiji, Desperado e Michinoku não conseguiram recuperar os Jr Tag Team Titles, e Susuki perdeu o GHC Heavyweight Title para Naomichi. Porém, como ponto positivo para o grupo, Sugiura ataca Marufuji em sua celebração e anuncia sua aliança com a "Army".




No final de janeiro de 2016, Sugiura alcança sua primeira conquista como membro da Suzuki-gun, derrotando Naomichi pelo GHC Heavyweight Title, com a ajuda de Archer. Além disso, Minoru deixou no ar que mais um dos membros da NOAH era um traidor, que revelou-se como sendo Kanemaru Yoshinobu, que ajudou Minoru no seu combate contra Shiozaki Go, e juntou-se à "Army". Em fevereiro, Kanemaru, com a ajuda de seus novos colegas, derrota Ishimori, trazendo o GHC Jr Heavyweight Title de volta para a Suzuki-gun.

Entre abril e maio, a "Army" volta a competir com três equipes na Global Tag League, e a K.E.S. volta a chegar nas finais, mas novamente são derrotados, desta vez para Marufuji e Yano Toru (também lutador da New Japan). Para completar, ainda no começo de maio, Yano e Marufuji derrotam Archer e Smith, e conquistam os GHC Tag Team Titles, encerrando um reinado de 15 meses da K.E.S., e no mesmo evento, Sugiura perde o GHC Heavyweight Title para Shiozaki.




O fim de julho ficou marcado por dois acontecimentos envolvendo a "Army". Primeiro, Shelton Benjamim sai da NOAH para voltar à WWE (infelizmente, este retorno foi adiado devido a uma lesão sofrida pelo lutador) encerrando seu ciclo na Suzuki-gun. Depois, Sugiura derrota Shiozaki na primeira lumberjack match da história da NOAH, para conquistar novamente o GCH Heavyweight Title, sendo esta a situação atual da storyline na companhia (é a única que ainda não foi encerrada).



Como os leitores puderam ver, algumas das invasões provaram-se storylines de grande sucesso no meio do wrestling, e, apesar de ser um tipo de estória muito usada, elas costumam se provar bastante divertidas, por fornecerem aos fãs a chance de ver grandes combates entre os melhores lutadores que as empresas envolvidas podem oferecer.

Sendo assim, deixo para que os leitores digam qual sua invasão favorita na história do wrestling, e que outra deveria ter aparecido na lista. Boa leitura a todos, e até a próxima.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Enviar um comentário

O blog tem os comentários abertos a todos aqueles que gostem de wrestling e o queiram discutir com responsabilidade e sobretudo de maneira construtiva.

Não são permitidos insultos pessoais entre leitores, bem como a autores do blog. Não é permitido spam. Qualquer comentário fora do contexto, fica a cargo da administração a decisão da sua permanência.

4 comentário(s):

Anónimo disse...

Seria incrível ver ROH vs CZW II

Anónimo disse...

Hoje, nem tanto, porque DJ Hyde destruiu a identidade da CZW criada por Zandig.

- disse...

gostei do artigo!

cadu disse...

Um dos melhores artigos que já li aqui, a descrição de antigas feuds me cativa muito e nos trás muito conhecimento.
Estas guerras de empresas foram ícones do Wrestling Mundial, mas ainda acho a Invasion a mais perfeita.