quarta-feira, 6 de julho de 2016

Top 10 Mistakes (20.06.2016 - 03.07.2016)

Gostou deste artigo? Então clique nos botões ao lado para o curtir! Se assim o desejar, deixe-nos um comentário no fim que nós e os visitantes agradecemos!


Mais uma quinzena, mais umas boas-vindas a uma nova edição de "Mistakes". Onde um gajo muito boa-onda, fácil de agradar e que se leva pouco a sério, posa como rabugento e implica com erros... Que até são bastante admissíveis, muitas das vezes. Isto dos queixumes é uma chatice, nem sei como é que tanto povo faz tanta vida disto. Mas vamos então reflectir!

10 - Honra feminina


Desde sempre que existiu uma divisão feminina na Ring of Honor, à qual chamavam de "Women of Honor". Sempre muito desvalorizada. Tem vindo a ter um destaque recente, com conteúdo online e uma edição televisiva inteiramente dedicada a ela na mais recente edição do Ring of Honor Wrestling em TV.

O que está errado: O tempo que demoraram a colocar em TV. Dão-lhe um nome diferente e até mudam o aspecto da arena para elas. Mas o destaque ainda é pouco e a divisão feminina podia muito bem ser misturada com a restante, ter competição em episódios regulares do ROH Wrestling e ver culminações em PPV. O episódio especial é bom por um lado mas também pode contribuir para um maior isolamento da divisão feminina da companhia, como não chegando para ser adicionada à programação regular.
O que se aproveita: E por outro lado... Um episódio inteiro dedicado às "Women of Honor"!
Podia ser pior: Estivemos muito tempo sem as ver sequer. Podia ainda estar assim.
A alternativa: O que já disse, juntar à programação regular. Combates nos programas semanais. Rivalidades palpáveis a chegar a PPV. Um título. Também não há isso, ainda.

9 - Undefeated No More


Um main event de enormes implicações marcou o Impact Wrestling. Uma Triple Threat onde Lashley defendeu o TNA World Heavyweight Championship numa Triple Threat contra Drew Galloway e Ethan Carter III. O combate foi equilibrado e coube um pouco de tudo, até as tensões entre Galloway e Carter a colidir com o factor do inimigo em comum. No final, a vitória sorriu para Lashley, que reteve o título com um pin sobre EC3.

O que está errado: Muito casual, esta segunda derrota de EC3. Não, ele não tem que ter outra streak por mais dois anos. Mas realmente foram precisos dois anos para conseguir sofrer um pin e este segundo veio com alguma facilidade aparente.
O que se aproveita: O combate em si, claro. E isto também não chega para matar o ímpeto de EC3.
Podia ser pior: EC3 não é o Crimson. Em aspecto nenhum. Esse tinha uma streak e assim que essa foi rompida, virou jobber. Mas lá está, o EC3 não é o Crimson. Graça-a-Deus!
A alternativa: O pin podia ser sofrido por Drew Galloway. E, para apimentar um pouco a coisa, até podia ser por culpa de EC3, mesmo que este não vencesse. Para aumentar as tensões, já que não há indicação de Heel Turn para ninguém, apenas uma colisão de interesses.

8 - Perfect 0


Tye Dillinger continua a ser um subvalorizado lutador muito over e admirado pelos fãs. Frequentemente utilizado como jobber, viu-se uma aberta para uma vitória logo ao abrir uma edição do NXT, com o menos conhecido Oney Lorcan - para quem não tiver conhecimento aprofundado nas independentes. Voltou a ser derrotado, desta vez tratado como uma surpresa.

O que está errado: Dillinger é muito popular para não ser capitalizado. E vitórias fazem falta nessa brincadeira.
O que se aproveita: Também admito que me esteja a precipitar um pouco. A sua derrota foi tratada com bem mais surpresa que o habitual e o próprio Tye reagiu de forma diferente. Pode bem ser o início de algo.
Podia ser pior: Jobbar a torto e a direito, sem significado e sem realmente estar a dar início a alguma coisa.
A alternativa: O que já disse. Um início mais conturbado, de caminho mais longo, para um push a Dillinger. Uma "streak" de derrotas que o faça reflectir e mudar a atitude. Mas não lhe mudem a personagem!

7 - Big Red Boredom


Após uma longa ausência - aqui sublinhada - o Campeão Intercontinental The Miz regressa e é de imediato ordenado por Kane (o Corporativo) a defender o título contra um adversário surpresa nesse mesmo Monday Night Raw. Quem responde ao desafio é Kane (o Demoníaco) e domina Miz até Maryse fingir uma lesão que levou Miz a retirá-la da zona de perigo e a perder o combate por contagem, mantendo assim o título.

O que está errado: Começo por dizer que foi uma manobra estranha, a de Maryse. Só quando vi Miz a retirar-se da arena com ela é que percebi a intenção. Antes disso parecia uma distracção a correr mal. E concluo a apontar que isto deixa um rematch em aberto, possivelmente para o Battleground, e uma consequente feud entre Miz e Kane. Um erro no meu livro.
O que se aproveita: Os segmentos com o Miz armado em estrela ainda são engraçados e Maryse é uma bela adição. Não foco só no "bela", é mesmo uma boa adição aos segmentos.
Podia ser pior: A resolução dar em Kane a ganhar um título.
A alternativa: Não há mais ninguém para o Miz? Dá a entender que só o veterano gasto é o que há disponível para perder para Miz e que qualquer Face que lhe apareça à frente é para ganhar. Kane é uma lenda, já fez tudo, mas não há nada entusiasmante a extrair dele em ringue, procurem outra pessoa para a caça ao título. Há um Zack Ryder vingativo, um Apollo Crews sedento, um Cesaro ainda sem resolução. Meros exemplos. Quanto à distracção de Maryse... Devia ser mesmo caso para esperar confuso a ver qual era o plano. Depois de executado, serviu.

6 - Problem Fixed?


Os "The Tribunal" de Basil Baraka e Baron Dax, liderados por Al Snow, continuam a fazer a vida negra a Grado e Mahabali Shera, desafiando-os para um 6-Man Tag. A dupla cómica precisava de um parceiro e tinha uma surpresa guardada: Tyrus. O grandalhão, sem grande explicação para a sua ajuda, domina e ajuda Grado e Shera a vencer. Os comentadores continuamente se referiram a ele como "problem fixer" e vinhetas de uma gimmick com esse tema já surgiram online, sugerindo uma remodelação de Tyrus.

O que está errado: Possível Face Turn de difícil adesão, integração repentina em nova história, gimmick bizarra.
O que se aproveita: Pode andar com o Grado por perto, no futuro. O gajo faz tudo resultar e puxa risadas com o que lhe derem. Olhem ali para o Shera!
Podia ser pior: Pois podia. Somebody call his momma!
A alternativa: Há mesmo muita alternativa por onde pegar para o indivíduo, onde quer que ele esteja? Já na WWE passou de um guarda-costas sem importância para personagem de comédia sem importância. Na sua nova casa, confirma-se a primeira parte e veremos onde dá a próxima, mas parece que nada o tira da cepa torta. Culpa do próprio?

5 - Campeão a jeito


Mike Bennett lá dá as voltas para as coisas lhe correrem a seu favor. Agora conseguiu uma chance pelo X Division Championship... Que conseguiu vencer. Aproxima-se o Destination X e com ele vem sempre uma "Option C", que dá uma oportunidade ao X Division Champion de competir pelo World Heavyweight Championship, cedendo o primeiro título. Bennett já tem algo em mente, com certeza.

O que está errado: Já não é a primeira vez que o fazem. Terem um X Division Champion em quem não estão 100% seguros e, muito perto da hora, alterar para alguém mais conveniente. Dar-lhe o jeito.
O que se aproveita: Bennett à caça do título pode muito bem ser um ponto positivo.
Podia ser pior: Ir para alguém que se encaixe menos no perfil da X Division. Só para dar o jeito, mas com menos jeito.
A alternativa: Arriscar mandar alguém de perfil mais "baixo" da X Division pode ter bastante interesse. Com Eddie Edwards nem era um factor de outro mundo. Ele já foi Campeão Mundial antes!

4 - Champion vs Champion para o ar


Uma entretida edição do MizTV no Smackdown contou com Dean Ambrose, o WWE Champion, como convidado. Como seria de esperar, após algum humor, a coisa deu para o torto e os dois Campeões pegaram-se. Resolveram os seus assuntos nessa mesma noite, num combate Champion vs Champion, do qual Dean Ambrose saiu vencedor.

O que está errado: Essas brincadeiras do "Champion vs Champion" costumam ser bem mais promovidas e um "big deal" habitual. Aqui foi atirado para o main event do Smackdown, programa que ainda não tem a importância que prometem devolver dentro de pouco tempo, com pouca promoção, com a forte chance de ser repetido no Raw com igual venda e com uma frágil derrota do Campeão Intercontinental que esteve ausente e ainda não tem facturado após o seu regresso.
O que se aproveita: Aquele MizTV foi engraçado por acaso. Especial destaque para o Ambrose apontar as gravações do filme "Maroon 5" em que Miz estaria a trabalhar.
Podia ser pior: Ser marcado sem história e para encher.
A alternativa: Se é para acontecer no Raw, que aconteça na mesma mas com alguma promoção mais. E que não seja uma vitória fácil para Ambrose, mas nem acho que tenha grande queixa por aí.

3 - Estranha escolha


O Full Metal Mayhem entre Jeff e o completamente pifado irmão Matt não chegou e o "Broken" Matt Hardy proclamou que a sua história ainda não estava "ovah", como ele mesmo soletrou na sua "hashtag". Vimos um intenso combate a encabeçar o Impact Wrestling entre os irmãos, dentro de uma jaula, um Six Sides of Steel. Jeff Hardy não se poupou e venceu, para não variar, colocando o próprio corpo em risco.

O que está errado: Bump estranhíssimo. Sei que é o Jeff Hardy a executar e colocar o corpo em risco é o seu ganha-pão, e Matt Hardy realmente estava envolto de objectos. Mas o que se vê é Jeff a obter o pin no irmão após se colocar a si mesmo através de uma mesa. E ainda questiono o uso do escadote, que mais estorvou, dificultando-o no salto.
O que se aproveita: Foi esquisito, diferente até. E aproveita-se o restante combate. A história entre eles? Caramba, é a maior das razões para se ver o Impact Wrestling actualmente, seja por que razão!
Podia ser pior: Alguém se lembra de um Chairs Match entre John Cena e Wade Barrett no TLC de 2010, em que Cena vence ao deixar cair, com brutalidade, um fio com dezenas de cadeiras, sobre Wade... Mas só depois de o colocar por baixo de uma tábua de madeira, para ter a certeza que nem um pêlo lhe tocava? Pronto. Não apresento aqui uma forma de o bump de Jeff Hardy ser pior, foi o que foi, estou mesmo a lembrar outro cenário que consegue ser pior!
A alternativa: Tira o escadote da equação logo. Colocou-o sobre o canto, para ficar com dificuldade em equilibrar-se, a cair, obrigando-o a apressar o arremesso. E ficou à mesma altura da parede da jaula, tornando a escada inconveniente e inútil. E aquela mesa... Jeff podia atirar-se apenas sobre Matt. Se queria "ensanduichá-lo" mais, não abria a mesa. Mas era um bump inseguro e mais doloroso ainda - para Matt, especialmente. O melhor seria, talvez, deixar a coisa mais simples, se não dá para inventar muito, é porque não dá e não se inventa.

2 - Club de Distritais


É claro que John Cena não pode levar a bem a sua derrota no Money in the Bank para AJ Styles. Foi-lhe prometido que não haveria interferência de Gallows e Anderson e deu-se o contrário. Styles ainda levou a treta de um pedido de desculpas mas não era isso que Cena queria. Queria acção e foi-lhe dado um combate com Karl Anderson que quase vencia... Não fosse nova interferência de Styles e Gallows a estragar-lhe os planos mais uma vez.

O que está errado: A interferência impediu a vitória de Cena. Mas viram o quão ridiculamente fácil e dominante ia ser?
O que se aproveita: Não foi levado até ao fim para Cena vencer, mandar taunts e AJ Styles ficar a olhar com olhar de nojo no cimo da rampa. É porrada!
Podia ser pior: Pronto, o que disse que não aconteceu!
A alternativa: Os Club são uma dor de cabeça para Cena e o Karl Anderson não é nenhum menino a aprender os primeiros passos. Percebo a necessidade de domínio, mas Cena devia ter bem mais dificuldades e não devia estar a vencer com a sua sequência de assinatura. AJ Styles e Luke Gallows deviam ter rompido um STF obtido com muito suor e à rasca.

1 - One vs All... Na mesma


O mundo do wrestling entrou em choque ao saber da notícia da suspensão de Roman Reigns, devido a uma violação da Wellness Policy. Especulou-se quanto ao seu futuro e quanto ao main event do Battleground, envolvendo Reigns, Rollins e Ambrose pelo WWE Championship. A suspensão de Reigns acaba imediatamente antes do PPV, mas estará fora do ecrã para vender a história. Seth Rollins dá uma promo a criticá-lo e a gozá-lo, mas confirma-se que o combate permanecerá uma Triple Threat.

O que está errado: Roman Reigns continuar no combate. Nem penso em castigos, penso mesmo na sua ausência na história.
O que se aproveita: Para quem tanto salivava pela Triple Threat com os três Shield... Vai acontecer na mesma!
Podia ser pior: E se ele vem... E ganha?!
A alternativa: Que avance o Battleground. Dean Ambrose e Seth Rollins já aconteceu várias vezes? Aconteceu, mas já bem pior se repetiu. É um espectáculo de qualidade elevada garantido. Reigns podia voltar e preparar-se para integrar o main event do SummerSlam, que podia ser essa Triple Threat. Já que é um combate bem mais digno de PPV grande como o SummerSlam e sempre achei que colocá-lo já no Battleground era apressar as coisas!

Por aqui me fico, chega de me armas em esperto. O que vale é que nem estou cá sempre nisto. Deixo também já um aviso em relação ao timing dos acontecimentos. Por vezes são apontados "erros" que acabam por ser invertidos em TV, na programação que vai para o ar antes do lançamento de cada artigo. No entanto, tem datas e é nesse período de tempo que me foco e em que trabalho. Por vezes quando faço as edições finais ao texto, noto que algumas coisas já foram alteradas. A perninha da edição final deste dia permite-me dizer que isso acontece neste mesmo artigo. Mas vocês são uns porreiros, vocês compreendem. E marquem lá presença daqui a duas semanas, a ver se também lá estou. Se não for consumido pela amargura e negativismo!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Enviar um comentário

O blog tem os comentários abertos a todos aqueles que gostem de wrestling e o queiram discutir com responsabilidade e sobretudo de maneira construtiva.

Não são permitidos insultos pessoais entre leitores, bem como a autores do blog. Não é permitido spam. Qualquer comentário fora do contexto, fica a cargo da administração a decisão da sua permanência.

1 comentário(s):

vitor oliveira disse...

Excelente edição. Realmente não entendo a wwe castigar o Reigns dando a ele uma disputa ao World Title, não faz sentido nenhum