quinta-feira, 21 de julho de 2016

Top 10 Mistakes (04.07.2016 - 17.07.2016)

Gostou deste artigo? Então clique nos botões ao lado para o curtir! Se assim o desejar, deixe-nos um comentário no fim que nós e os visitantes agradecemos!



E sejam bem-vindos a mais uma sessão de queixas, alternativas e mais uma data de coisas que ninguém me perguntou. Uma quinzena interessante, esta que tivemos, a antever uma mudança no panorama com uma brand split à porta. E apagam-se irmãos. Com drones e tudo. E isso vale por todas as semanas de wrestling a que já assistimos. Mas sejamos menos introdutórios e avancemos logo para o que interessa.

10 - E assim se despede...


Em véspera de "Draft", a novidade pairará sobre o Smackdown, que conhecerá o seu plantel exclusivo e verá o seu formato alterado para transmissões ao vivo. O último Smackdown com o anterior formato apresentou-se de forma vulgar, com desenvolvimento morno de histórias e um main event à moda Smackdown, com um combate tag team entre a dupla de Seth Rollins e Kevin Owens e a do WWE Champion Dean Ambrose e Sami Zayn.

O que está errado: Tão ou mais seco que os outros Smackdowns sem interesse. Bem achei que podiam elevar um pouco a fasquia por ser o último antes do renovado "Smackdown Live!" mas parece ter sido tão despachado e tão cheio de chouriço como outro qualquer.
O que se aproveita: Assim até que se sente uma mudança mais radical, talvez...
Podia ser pior: Podia mudar o Smackdown... Para ficar quase igual a isto!
A alternativa: Nem era preciso muito, só elevar um pouco mais a fasquia. Eles que gostam de repetir palavras e termos até à exaustão, podiam vender isto como o "último Smackdown antes da Nova Era" e preenchê-lo com alguns combates especiais e com algum significado.

9 - X-Division ao molhe


Em mais uma reviravolta e com o Destination X à porta, Mike Bennett é forçado a colocar o X Division Championship em jogo mais uma vez, permitindo a Eddie Edwards recuperar o título e combater pelo TNA World Heavyweight Championship de Lashley... Colocando também o seu X Division Championship em jogo!

O que está errado: Muitas voltas com o título a causar muita instabilidade antes do Destination X. E o processo de colocar Mike Bennett em desvantagem e a ser forçado a combater não é o mais usual ou ideal para um Heel, ainda para mais como ele.
O que se aproveita: Tenho a certeza que papo bem melhor um Lashley vs Eddie Edwards do que um Lashley vs Mike Bennett, sem lhe tirar o apelo...
Podia ser pior: Bennett recuperar o título... Mais tarde na mesma noite. Mas vá, isto ainda não é a WCW.
A alternativa: Por mim o Edwards, como ex-Campeão Mundial, já podia ter ficado com ele e ser ele a partir para a "option C" de imediato. Se isto é pretexto para vingança de Bennett, tudo bem, que o seja. Podia fazer-se assim mas talvez mais espaçado. Muitas semanas seguintes e o cinto anda a saltitar demais.

8 - Pelo bem da nação


No Monday Night Raw especialíssimo transmitido no dia 4 de Julho, feriado de celebração do Dia da Independência dos Estados Unidos, o show ficou marcado por um main event que colocou uma equipa American constituída por Big Show, Mark Henry, Kane, Zack Ryder, Jack Swagger, Apollo Crews e os Dudley Boyz a enfrentar e a vencer, obviamente, uma equipa internacional constituída por Cesaro, Alberto Del Rio, Chris Jericho, Kevin Owens, Sheamus, Sami Zayn e os Lucha Dragons.

O que está errado: Nem todos se entenderam, claro, isto não foi fácil, mas era escusado o conceito de juntar equipas meramente pelo bem da nação e fazê-los entender-se simplesmente por isso. E sim, mais um EUA vs O mundo!
O que se aproveita: Ao menos o Kevin Owens e o Sami Zayn não estiveram com tretas!
Podia ser pior: Estarem mesmo todos unidos, com diferenças de parte, para combater pelo país... Ou contra ele.
A alternativa: Bora não fazer disto, é mais fácil, já percebemos que são uma nação fixe e o feriado parece divertido, mas pode muito bem fazer-se melhor que isto.

7 - WE, THE PEOPLE!


Directamente ligado ao ponto anterior, mas separado pelo factor mais abrangente deste. Um Monday Night Raw celebratório do 4 de Julho, tão especial que quase fugiu ao cânone e às histórias para celebrar o patriotismos. As audiências falaram por si.

O que está errado: O patriotismo Americano a disparar já não resulta em 2016 da mesma forma que resultava na década de 80. E não é só pelo produto estar mais global, já muito povo Americano não tem tanta pachorra para isto. Fizessem eles uma celebração do actual panorama eleitoral e talvez se apercebessem da paródia de si mesmo que um mero país, contra o qual não tenho nada e pelo qual até tenho o meu apreço, se tornou...
O que se aproveita: Prestígio ao United States Championship, algum segmento engraçado aqui e ali. Podia ter sido isso com mais conteúdo que ninguém se aleijava.
Podia ser pior: Pois, olhem que já vimos pior. Até já falai da década de 80. Se não nos apareceu o Hulk Hogan às cabeçadas a uma bandeira Comunista, só saímos a ganhar!
A alternativa: Tudo bem, celebre-se, dê-se prioridade ao United States Championship - um main event disso, por exemplo - cordas com as cores da bandeira, hino ao início, segmentos de backstage com piada. Coisas mínimas. Que não interfira muito. Ou nada.

6 - Oh... Final Deletion!


A culminação que não o é bem porque isto ainda não acabou. E ainda bem. O mundo do wrestling parou boquiaberto a assistir ao combate/segmento que colocou Matt e Jeff Hardy frente-a-frente naquele que seria o luxuoso quintal de Matt. O segmento foi repleto de surrealismo, comédia, acção e... Muita coisa nunca antes vista. Matt Hardy venceu este embate de outro mundo e afirma que o seu "Brother Nero" foi... deleted.

O que está errado: Não é um erro que aponto aqui. É uma dificuldade, um obstáculo, uma inconveniência. É que já mergulharam tão fundo neste clima surreal que não os vejo a voltar ao panorama regular do Impact Wrestling tão cedo. Como se ficassem presos nesta história e nestes segmentos. Como se passa daqui para o ringue a pedir uma chance ao título? Deixa-me a coçar a cabeça mas nem me preocupa tanto... Consigo ver isto por muito tempo!
(Se formos a apontar erros: Vangaurd 1. Uma cereja no topo do bolo que era o segmento só podia ser uma gralha!)
O que se aproveita: Marimbo para tudo, isto foi o melhor segmento de todos os tempos. Exactamente como é. Não vejo um gajo a perseguir drones que projectam a cara do vilão num programa de wrestling tão cedo. Ou mais nunca.
Podia ser pior: Podiam ter estado com muito cuidado, procurar familiaridade e sair um segmento constrangedor. Nada disso, vão de cabeça e sai o segmento mais doido que já se viu em TV, a causar riso, surpresa, confusão, algum choque, tudo. Se é para fazer maluqueira, que seja a sério!
A alternativa: Eh pá, que se lixe. Que continue assim. Se dá para "voltar à realidade" ou não, depois vê-se, agora quero mais disto! Um segmento hilariante a dar nova relevância à TNA, a dar-lhes audiências e a tornar-se inesquecível. "So Bad, It's Good"? Talvez, mas costumo ser fã disso. Justifica o anterior segmento de assinatura de contrato que já pasmou muito boa gente e já me deixou a citá-los - especialmente ao Matt - muitas vezes ao longo do meu dia-a-dia. A minha alternativa é: que venha mais!

5 - Anúncio ao pontapé


Estendeu-se a especulação acerca da presença de Brock Lesnar no SummerSlam. Confirma-se que lá competirá, com um anúncio de um anúncio - ah, Dixie! - do seu adversário para o grande PPV do Verão. Confirma-se que é Randy Orton que regressará de uma lesão e o "The Viper" já tem presença marcada no Battleground, como convidado no Highlight Reel de Chris Jericho.

O que está errado: Não sou dos maiores adeptos de combates marcados meramente para um certo lutador marcar presença num evento e ser-lhe dado um adversário, sem história. Eles terão segmentos juntos e acredito que construam e alimentem uma rivalidade mas prefiro que ela culmine com um propósito além de "ele estará cá e enfrentará fulano".
O que se aproveita: Era uma das colisões recentes de Lesnar com nomes grandes que faltava, pode trazer atenção ao regresso de Randy Orton e pode muito bem dar um combate bem jeitoso.
Podia ser pior: O anúncio ser alguém com quem ele já tivesse lutado. Rematch com o Cena, já!
A alternativa: Construir uma rivalidade primeiro. Podia muito bem ser um Raw em que já estava anunciado há várias semanas que Lesnar regressaria. A esse anúncio se juntaria outro grande regresso: Randy Orton. Na noite, seria este a dirigir-se ao ringue primeiro e a ser atacado por Lesnar que não teria gostado que alguém lhe tentasse roubar a "spotlight" na noite do seu regresso. Se o show é sobre Lesnar, é sobre Lesnar. Randy não seria menino de se ficar por aí e daí talvez já se pudesse partir para algo. Qualquer coisa melhor que apenas anunciar nomes e datas.

4 - Final Deletion: Versão Booty


Após semanas a atormentar os New Day, especialmente o mais assustadiço Xavier Woods, finalmente a Wyatt Family lança o desafio e convida os Tag Team Champions a visitá-los no seu pantanoso lar para uma briga. Com receio aceitam e trava-se uma luta também ela repleta de ângulos de câmara cinematográficos e outros factores reminiscentes do lendário "Final Deletion". No que se regista no papel, os da casa saem dominantes nesta batalha.

O que está errado: Aponto aqui duas coisas que se perderam. Sou apologista de qualquer paródia e aqui perdeu-se uma oportunidade disso. Muitos iriam tomar a mal e ver isso como um acto infantil mas a paródia, seja como for, é sempre legítima e no meu caso, bem-vinda, se bem feita. Mas não, quiseram mesmo fazer disto sério, trocando a paródia e celebração satírica pelo roçar na imitação e correr atrás. Outra coisa que desperdiçaram, já que a coisa era para ser séria, foram uns New Day sérios completamente badass. Eles estavam excelentes ali, mas naquele segmento não se ia ver ou tirar grande coisa por aí além.
O que se aproveita: Vou ter mesmo que ir pelos Badass New Day. Eles já ficaram sérios antes quando era preciso mas aqui distanciaram ainda mais as linhas do cómico e sério e ficou-lhes bem.
Podia ser pior: O Bray Wyatt só invoca relâmpagos quando se quer meter com o Undertaker. Ali, felizmente, já não tem poderes sobrenaturais.
A alternativa: Algo dentro do que mencionei que desperdiçaram. Ou, já que tinham os New Day, faziam uma comédia autêntica com a Wyatt Family a servir dos sérios frustrados a tentar impor-se num ambiente de palhaçada e com constantes piscares de olho inteligentes ao segmento dos Hardys ou fazia-se um segmento sério mas normal, sem brincadeiras cinematográficas. Uma "brawl" de backstage tradicional só que naquele ambiente mais tenebroso.

3 - E o título?


Após semanas de tormenta por parte da Women's Champion Charlotte e a sua protégé Dana Brooke a Sasha Banks e esta normalmente responder com vitórias, começam a aumentar o jogo do dois-contra-um. Para o Battleground desafiaram-na para um combate Tag Team, se Sasha conseguir encontrar alguém que se disponha a ser sua parceira!

O que está errado: E vai mais um PPV e mais um combate de equipas em vez do título em jogo, que é o que interessa muito mais!
O que se aproveita: É a escalada de Sasha Banks para o título e até abre a possibilidade de que a sua conquista se dê num palco maior, como o SummerSlam.
Podia ser pior: Kickoff Show. Sasha perde. Charlotte vs Dana Brooke no SummerSlam.
A alternativa: Bem, já que estão com pressa para fazer a Triple Threat dos Shield já no Battleground, também fico com a pressa para que seja Charlotte e Sasha no Battleground. Ou a vitória de Sasha logo ou alguma tramóia da Dana Brooke obrigaria o combate a ser repetido com alguma estipulação especial e aí entra o SummerSlam e a sua dimensão de Wrestlemania de Verão...

2 - Longa vida aos McMahons, pois claro


Muita antecipação para o penúltimo Monday Night Raw antes do WWE Draft. Com algo muito importante em relação a esse mesmo Draft e o Raw que o antecedia. Não podia ser um anúncio feito por qualquer um e de qualquer maneira. É claro que tinha que ser Vince McMahon! Vince marcou presença e, junto dos seus filhos, nomeou Shane McMahon para o Smackdown e Stephanie McMahon para o Raw como... Comissários. Que teriam que nomear General Managers no Raw seguinte e que competiriam como nunca competiram antes. O que Vince mais deseja... Uma guerrinha!

O que está errado: Tudo bem, há General Managers a mandar nos programas. Mas cheira-me que essa "guerra" vai ocupar muito tempo de antena e que a competição deles vai ofuscar o resto. É mais uma história centrada em McMahons!
O que se aproveita: Pronto, ao menos existem os General Managers!
Podia ser pior: Shane e Stephanie como General Managers. Reside muito nesse factor.
A alternativa: Descansem, McMahons, que a gente também pode tirar um descanso de vocês. São bem-vindos de vez em quando, até dão bons momentos. Mas todo o santo programa é muito e não faz nada para opôr à ideia de um ego descomunal naquele seio familiar.

1 - Redimido?


Com Roman Reigns suspenso, não foram alterados quaisquer planos do Battleground, mantendo-se Reigns na Triple Threat pelo WWE Championship. Até lá ainda se vai vendendo a sua redenção e segmentos de "Road to Redemption" brindam a WWE Network para um futuro programa.

O que está errado: Era isto! Assim vão todos apoiar Roman Reigns! Finalmente a manobra para o tornar o babyface adorado! Ou então não e as vaias vão ser mais ruidosas ainda.
O que se aproveita: Posso dizer, muito honestamente, que não sei.
Podia ser pior: Vitimizar Reigns e fazê-lo sair vencedor como um herói... Ou é já isso mesmo que está a acontecer?
A alternativa: Não, não o enterrem, claro. Mas após um período a atafulhá-lo pelas goelas abaixo do povo, aproveitar um erro grave para atafulhá-lo com mais força ainda é burrice. Esta paragem, este erro podiam muito bem servir para remodelar Reigns com alguma inteligência!

E com uma primeira posição que eu realmente considere um erro e que realmente me cause moça, como não é habitual, é capaz de ser realmente o artigo mais negativo! Ou então não, continuo a minimizar a minha mesquinhez para o quase-nulo e a criar isto para ver se vos faço debater. Espero que tenham gostado e que se sintam encorajados para comentar estes momentos e apontar outros que achem que deviam aqui constar. Vêm aí semanas grandes com Drafts e PPVs e muita coisa a deixar o povo em pulgas! Top 20 daqui a quinze dias? Nada disso, relaxemos. Vejo-vos na próxima edição, continuação de umas boas férias para quem as estiver a desfrutar!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Enviar um comentário

O blog tem os comentários abertos a todos aqueles que gostem de wrestling e o queiram discutir com responsabilidade e sobretudo de maneira construtiva.

Não são permitidos insultos pessoais entre leitores, bem como a autores do blog. Não é permitido spam. Qualquer comentário fora do contexto, fica a cargo da administração a decisão da sua permanência.

2 comentário(s):

- disse...

tudo à volta do FINAL DELETION (delete!!!!) é puto génio.

é de lamentar a fraca e patética tentativa da WWE de os TENTAR copiar.

força, TNA!

vitor oliveira disse...

Bom top. Acho que nunca vou entender a wwe "castigar" o Reigns dando a ele uma chance pelo title