sexta-feira, 3 de junho de 2016

Overrated ou Underrated #18 - Brand Extension

Gostou deste artigo? Então clique nos botões ao lado para o curtir! Se assim o desejar, deixe-nos um comentário no fim que nós e os visitantes agradecemos!

Esta já é a 18ª edição do Overrated ou Underrated e tanto eu e Marco Paz voltamos, uma semana depois, para analisar... algo diferente, desta vez. Se até agora só temos analisado wrestlers (e uma tag team), agora analisamos uma organização que a WWE vai re-implementar. De Cody Rhodes passamos para a divisão de marcas.

Tanto eu como o Marco fazemos parte do nosso parceiro Forum de Pro Wrestling, que é um espaço humilde já com sete anos de existência, sendo que actualmente é o melhor (e único) forum nacional dedicado ao wrestling. Nas próximas linhas podem ver uma pequena explicação do conceito deste espaço, destinado a quem nunca leu um Overrated ou Underrated ou simplesmente está esquecido da essência do mesmo.

Underrated - Alguém que é subvalorizado ou não têm o devido reconhecimento seja aos olhos da industria do wrestling ou até dos fãs.

Overrated - Precisamente o contrário do ponto anterior. Alguém que é sobrevalorizado e que a industria do wrestling ou fãs dão demasiado crédito por aquilo que faz.

No ponto - Nem toda a gente ocupa um lugar acima ou abaixo daquilo que realmente merece. Existem lutadores que ocupam o lugar que ocupam na industria porque é exactamente nesse sitio que merecem estar e têm também exactamente o reconhecimento que merecem da parte dos fãs.

Por fim, gostaríamos sempre de saber a vossa opinião, quer concordem ou discordem da nossa avaliação sobre o wrestler em questão. Tentem também coloca-lo numa destas três categorias e caso se sintam à vontade podem sempre dar sugestões sobre wrestlers que gostariam de ver neste espaço.



Portanto, nesta semana a WWE anunciou uma nova "brand split" ou "brand extension". Ou seja, Smackdown e RAW voltarão a ter rosters distintos e não voltaremos a ver superstars da RAW à terça feira (novo dia da Smackdown - ao vivo) e vice versa, ou pelo menos com tanta regularidade. A ver vamos como a WWE vai operar o conceito mas, por agora, este duo vai analisá-lo com base nas nossas esperanças.


*************************************************************************

Moore (No ponto) - O buzz em torno da extensão tem sido elevado. Então volto a iniciar a minha análise com a exposição de um dilema quanto à opção escolhida por mim. Ora, é lógico que há motivo para haver buzz, uma vez que tudo vai voltar a ser, do ponto de vista organizacional, como há uns anos.

Porém, poderia dizer que há positivismo a mais (mas isso seria negativista da minha parte) porque tenho dúvidas quanto ao roster que a WWE tem a oferecer. Não me interpretem erradamente, acho que é o roster com mais qualidade de sempre.

Mas e o star power? É importante e a maioria do star power atual da WWE é coisa de part-time (Brock Lesnar, Triple H, Chris Jericho) ou está de fora (Randy Orton). Com star power relevante, restam John Cena, Roman Reigns, Seth Rollins, AJ Styles e Dean Ambrose. Portanto, dois para uma brand, três para outra. Não é muito reliable a não ser que se criem mais estrelas.

Contudo, temos um roster excelente para que se criem estrelas. E sinceramente não me importava minimamente de ter a RAW como “raw brand” e a Smackdown como “wrestling brand” com o título Intercontinental a ser o título principal da marca azul e a ser disputado por malta como AJ Styles, Seth Rollins, Roman Reigns (a exceção ao conceito), Cesaro, Kevin Owens e Sami Zayn, por exemplo.

Para além disso, há que realçar o facto de a Smackdown passar a ser à terça feira e ao vivo no mesmo canal da RAW, algo que nos diz que a marca azul será valorizada e não vista como a “second fiddle” da WWE. E isso... é bom.

Como tal, vai haver diferença e há razão por estarmos excitados. E se seguirem a linha de pensamento de diferenciação das duas marcas, haverá com certeza menos screw-up no booking.

*************************************************************************

Marco Paz (Overrated) - Antes que toda a gente comece a chamar-me nomes, tenham calma. Não estou a dizer que o CONCEITO da Brand Split é Overrated. Alias, o conceito da Brand Split é bom, alias, muito bom. A execução que a WWE lhe deu no passado é que foi má.

No passado, a Brand Split até começou muito bem. Os primeiros anos foram muito bons, com novas estrelas que viriam a carregar a companhia na próxima década (John Cena, Lesnar, Randy Orton, Batista, Jeff Hardy (kinda), Rey Mystério, Eddie Guerrero, etc.), feuds muito boas (apesar de também termos muita palha ali no meio) e deu origem ao período que eu considero ser o melhor do wrestling (sim, eu não acho que a Attitude Era tenha sido o melhor período do wrestling, longe disso até), a Ruthless Agression Era.

Até 2007 o conceito da brand split foi muito bem executado pela WWE, mas a partir dai, as coisas começaram a descambar. Começaram a vir os RAW Supershows, começaram a vir a aparição de estrelas da outra brand e deu origem a alguns reinados de pessoal que claramente não estava pronto para ser campeão ou sequer que tinha o potencial/qualidade para tal (Jack Swagger e The Great Khali com o WHC ou The Miz e Sheamus como WWE Champions).

Duvido que, cerca de 6 anos depois do fim da antiga brand split, que as coisas sejam diferentes desta vez. Prevejo um bom (senão um excelente) inicio, com algumas estrelas que vemos no midcard da companhia a ter mais espaço para poderem subir ao Main Event da companhia (como o Dean Ambrose, Bray Wyatt, Kevin Owens, Cesaro, Rusev, etc.), a criação de boas storylines, boas construções de feuds (isto se fizerem a separação dos PPVs como faziam antes), e por aí.

Mas vejo isto a perder-se no tempo e voltar-se a cair nos mesmos erros. Aposto que vai-se acabar por ter reinados de pessoal que claramente não está preparado para tal, apenas porque necessita-se de novas estrelas, aposto que vai continuar a existir graves falhas de booking em todos os sentidos e que daqui a uns anos, o conceito seja abandonado e volta-se a fazer o ciclo de erros que já se fez.

Concluindo, o conceito é muito bom, principalmente para a criação de novas estrelas que possam carregar a empresa para o futuro, mas sendo a WWE a WWE, as coisas não vão magicamente mudar do dia para a noite os programas não vão ficar, de repente, excelentes, apenas porque o visual muda. O conceito é excelente, a execução é horrível.

*************************************************************************

E pronto, foi mais uma edição do Overrated ou Underrated. Pela primeira vez analisámos algo que não um ser humano ou um conjunto de seres humanos, mas sim um conceito como a Brand Split. Ou seja, a divisão da WWE em Smackdown e RAW. Acontecerá em breve. Quais são as vossas previsões e digam de vossa justiça: o conceito é Overrated ou Underrated?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Enviar um comentário

O blog tem os comentários abertos a todos aqueles que gostem de wrestling e o queiram discutir com responsabilidade e sobretudo de maneira construtiva.

Não são permitidos insultos pessoais entre leitores, bem como a autores do blog. Não é permitido spam. Qualquer comentário fora do contexto, fica a cargo da administração a decisão da sua permanência.

5 comentário(s):

André Ribeiro disse...

Acho muito cedo para estarem a analisar esta nova Brand Split - até porque ainda não ocorreu, portanto não percebo por exemplo o que querem dizer quando dizem que a execução é horrivel - uma vez que ainda não vimos o resultado final.

Preferia que tivessem guardado esta edição para um dos wrestlers que regressaram ( Cena, Seth Rollins) ou de alguém que anda a brilhar no Best of Super Juniors( Ricochet aka Prince Puma, Ospreay, O'Reilly)

Manuel Victor Victor disse...

Moore colocar Aj styles como star power é exagerado o cara tem 6 meses na wwe.
concordo com marcos paz e digo que quem acredita que a brand split é a solução de todos os problemas de booking da wwe está enganado.
Sempre a wwe cria o buzz coloca as expectativas lá em cima dps decepciona então acho que a brand split nesse momento com esse roster não vai dar em nada.

Anónimo disse...

Manuel, o Moore considera que AJ Styles tem "Star Power" porque ficou over no Japão. Algo que só a IWC e os japoneses se importam.

AJ Styles foi um ridículo Draw na TNA. Angle e Sting carregaram a empresa nas costas, por exemplo, em termos de vendas de PPV's.

No Star Power relevante, John Cena está bem superior aos outros. Ninguém reconheceria esses caras em uma rua nos Estados Unidos, com exceção do líder da Cenation.

Temos um roster excelente em workrate, mas no resto...

Eu concordo com o Marco Paz sobre a Brand Split ser Overrated, exceto no ponto da Ruthless Agression Era ser melhor que a Attitude Era.

Opiniões são opiniões. É um conceito subjetivo.

Mas números são números. É um conceito factual e objetivo.

Em números, Attitude foi superior a Ruthless Agression.

Eu já dei a minha opinião sobre a Brand Split em outro post, com um tom crítico e considerado pessimista, mas sem avaliar como underrated, overrated ou no ponto. A minha resposta é OVERRATED.

Ricken The Experience disse...

Acho que esta no ponto, assim abre espaço para alguns wrestler claro se a wwe souber fazer isso, o que faltou foi uma storyline que deixasse essa brandsplit mais charmosa ficou tipo " legal vamos dividir em dois rosters" seria o ideal fazer o brandsplit ser um grande evento como antigamente essa rivalidade subtendida entre raw e smackdown ser trazida novamente a tona neste momento.

Manuel Victor Victor disse...

Passagem de aj na TNA foi de 12 anos ou próximo disso.