domingo, 26 de junho de 2016

A Alternativa Fenomenal #33: Os WWE Originals na TNA

Gostou deste artigo? Então clique nos botões ao lado para o curtir! Se assim o desejar, deixe-nos um comentário no fim que nós e os visitantes agradecemos!







Saudações a todos, e bem-vindos a mais uma Alternativa Fenomenal. Na última edição da coluna, encerrei uma pequena série de artigos onde mostrei a passagem de diversos lutadores originais da TNA pela WWE, sendo que, na grande maioria dos casos, foram passagens bastante apagadas, ou até mesmo irrelevantes.

Pois esta semana farei o caminho inverso. Desta vez, citarei 4 casos de WWE Originals que tiveram passagens pela TNA e que, diferentemente de seus colegas originais da empresa de Nashville, tiveram passagens muito bem-sucedidas, ou até mesmo mais significativas do que as que mantiveram (ou mantém) na Big E.

De forma semelhante à série dos TNA Originals, considero aqui como WWE Original lutadores que iniciaram suas carreiras pela WWE, ou tiveram passagens de maior duração pela companhia de Vince McMahon (não levarei em conta lutadores que estiveram no roster inicial da promotora por razões óbvias). Desta vez, optei por não citar lutadores que estejam atualmente ativos na TNA, como Jeff Hardy, Matt Hardy, EC3, e alguns outros. Bem, sem mais delongas, passemos aos nomes;



R-Truth - O homem do "What's Up?", ex-campeão americano e ex-campeão de duplas da WWE, teve uma longa e condecorada passagem pela companhia de Dixie Carter, iniciada em junho de 2002 no primeiro ppv NWA-TNA da história (sim, ele também é um TNA Original, na própria concepção da expressão), combatendo sob o ring-name K-Krush. Durante este mês, ele manteve pequenas rivalidades com Brian Lawler (filho de Jerry Lawler), e Scott Hall, até que em julho, após um promo onde o mesmo se dizia uma vítima de racismo na companhia, ele muda seu ring-name e passa a se apresentar com seu nome verdadeiro, Ron "The Truth" Killings.




Desta forma, em 7 de agosto, ele derrota Ken Shamrock para se tornar o primeiro (e único) NWA World Heavyweight Champion afro-descendente na história. Suas defesas foram contra nomes como Jerry Lynn, Low Ki, Scott Hall, Curt Hennig (Mr Perfect) e Jeff Jarrett, que o derrotou pelo cinturão em 20 de novembro.

A partir de maio de 2003, ele passa a formar uma stable junto a Konnan e B.G. James (Road Dogg), chamada 3Live Kru, com quem ganhou duas vezes o mundial de duplas da NWA: a primeira em 26 de novembro (encerrada em janeiro de 2004, após derrota para a Redshirt Security), e a segunda em 7 de novembro de 2004 (encerrada em 5 de dezembro, após derrota para o Team Canada). 

Também junto à 3LK, ele conseguiu seu segundo reinado como NWA World Champion, vencendo uma 4-way match contra AJ Styles, Raven e Chris Harris, em 19 de maio de 2004. Ele perdeu o cinturão para Jeff Jarrett, em 2 de junho, em uma King of the Moutain match que incluiu todos os adversários da 4-way anterior.


                                                Truth e Adam Jones como TNA World Tag Team Champions


Após o término da 3LK, em 2006, ele seguiu como lutador solo, realizando uma rápida aliança com Sting (em sua rivalidade contra Jarrett), e em junho formando uma tag team com Lance Hoyt (Lance Archer na New Japan) que durou até dezembro, quando o mesmo se ausentou devido à uma lesão. Sua última grande conquista na TNA foi em setembro de 2007, quando ele e Adam "Pacman" Jones derrotaram Sting e Kurt Angle para se tornarem TNA World Tag Team Champions. O reinado durou até 14 de outubro, quando ele e Consequences Creed (Xavier Woods), que substituía Jones, perderam os cinturões para AJ Styles e Tomko. Em dezembro, ele negociou sua saída da companhia, sendo liberado em seguida.



Christian - O duas vezes WWE World Heavyweight Champion, e duas vezes ECW Champion (quando esta era uma brand da WWE), ingressou na companhia de Nashville em novembro de 2005, no Genesis, usando seu ring-name completo, Christian Cage. Em sua estréia, ele se envolveu com o Team Canada, quando seu líder Scott D'Amore e Bobby Roode, tentaram recrutá-lo para a equipe heel. No main event deste show, ele vem ao ringue como um aparente aliado do Team Canada, no ataque destes, de Jarrett e dos America's Most Wanted, contra Rhino e o Team 3D, mas revela que está do lado dos faces e os ajuda a afugentar os heels.




Em seguida, ele teve uma pequena rivalidade com Monty Brown, e em fevereiro de 2006, no Against All Odds, ele derrota Jarrett e se torna o NWA World Heavyweight Champion (seu primeiro título mundial da carreira). Durante seu reinado, ele desenvolveu uma extensa rivalidade contra Father James Mitchell, Abyss e Alex Shelley, onde estes ameaçavam a família de Cage e o atacando em sua casa, em Tampa, Flórida. Isso levou-o a combater Abyss em duas ocasiões pelo título, uma no Lockdown, em abril, e a segunda no Sacrifice, em maio, saindo vitorioso nas duas ocasiões.


                                Christian com o NWA World Championship, em seu primeiro reinado como campeão mundial


Seu reinado terminou em junho, no Slammyversary, onde foi derrotado por Jarrett num King of the Mountain match, que também contou com Abyss, Samoa Joe, Scott Steiner e Sting, que viria a se tornar number one contender pouco tempo depois. No combate entre Sting e Jeff, ele realiza um heel turn depois de atacar o "Icon" e permitir que Jarrett retivesse o cinturão. Isto o levou a uma rivalidade contra Rhino, um de seus melhores amigos fora dos ringues, que culminou com a vitória de Cage, em novembro, num Barbed Wire Six Sides of Steel match.

Em janeiro de 2007, agora contando com a ajuda de Tomko (seu antigo guarda-costas na WWE), que havia estreado dois meses antes, Christian volta a conquistar o NWA World Title, ao derrotar Abyss e Sting em uma 3-way Elimination match, no Final Resolution. Com a conquista do cinturão, ele entrou em longas rivalidades com Sting e Kurt Angle, até que em maio, no dia do pay-per-view Sacrifice, o presidente da NWA, Robert Trobich, retira o cinturão de Christian, devido ao mesmo se recusar a defendê-lo em eventos da NWA. Apesar de no ppv ele ainda usar o cinturão físico, o título foi referido apenas como World Heavyweight Championship, sendo que Cage o perdeu em uma controversa 3-way match contra Sting e Angle.




Em junho, ele tenta novamente conquistar o cinturão, agora nomeado como TNA World Championship, em uma King of the Mountain match, contra Angle, Samoa Joe, AJ Styles e Chris Harris, mas falha em vencer o combate. Depois, ele segue em várias rivalidades, contra nomes com Samoa Joe (que encerrou a sequência de 23 meses de Cage, sem sofrer pinfall ou submissão), Angle e Tomko (depois do mesmo traí-lo em fevereiro de 2008, no Against All Odds). Sucedendo isto, veio uma parceria com Rhino que durou até agosto, onde eles tentaram conquistar os TNA Tag Team Titles, mas nunca chegaram a ganhar os cinturões.

O último combate de Christian na TNA ocorreu em novembro no Turning Point, onde ele foi derrotado por Booker T em um combate pelo TNA Legends Championship (atual TNA King of the Mountain Championship), em que estava previsto que, se ele fosse derrotado, deveria se juntar à Main Event Mafia. No Impact do dia 13 de novembro, ele realiza sua última aparição como lutador da TNA, sendo atacado pelos membros da Main Event Mafia após Kurt Angle descobrir que ele retornaria para a WWE após o fim de seu contrato.

Ele só retornaria para a TNA no Slammyversary, em julho de 2012, para uma participação de uma noite, induzindo Sting no Hall of Fame da compahia.



Brian Kendrick - O campeão de duplas com reinado mais longo da história da WWE (pelo menos até a New Day superar a marca, se mantiverem os cinturões até o mês que vem) ao lado de Paul London, teve duas participações na TNA durante sua carreira. A primeira foi um único combate em novembro de 2004 (ano de sua primeira saída da WWE), onde ele venceu Kazarian, Matt Sydal e Amazing Red, num 4-way match. Neste combate, ele utilizou a gimmick de Spanky, criada por ele em seu tempo nas independentes.

Sua segunda passagem na empresa teve início em janeiro de 2010, com uma derrota para Amazing Red no Genesis, em um combate pelo X-Division Championship, onde atuou como heel. A partir de maio, ele começa uma extensa rivalidade contra Douglas Williams, onde realizou um face turn e tentou por duas vezes obter o cinturão da X-Division de Williams, tendo falhado em ambas as oportunidades. Seguindo isto, em setembro ele se junta à EV 2.0, stable formada por ex-lutadores da ECW, permanecendo até sua dissolução, no início de 2011, e sem ter conquistado nenhum título.




Em junho de 2011, ele volta à cena do campeonato da X-Division, entrando em uma rivalidade com Abyss, onde perde em sua primeira title match, uma 3-way match que também contou com Kazarian, no Slammyversary. O segundo encontro dos dois pelo cinturão foi em julho, no Destination X, onde Kendrick enfim conquista seu único reinado como campeão da X-Division na TNA.


                                                  Imagem oficial de Kendrick como X-Division Champion


Ele realizou defesas de título contra Abyss, Alex Shelley e Austin Aries, para quem perdeu o título no No Surrender, em setembro. A rematch entre eles ocorreu no Bound for Glory, em outubro, onde Aries novamente saiu como vencedor, tendo esta sido a última luta em pay-per-view de Brian. Seu último combate na TNA foi uma tag team match junto a Jesse Sorensen, vencendo a equipe de Austin areis e Kid Kash, na edição de  17 de novembro do Impact. Após isso, ele entrou em um período de três meses de inatividade até ser enfim liberado pela empresa, em fevereiro de 2012.



Victoria - A duas vezes WWE Women's Champion ingressou na companhia de Dixie Carter no episódio do Impact de 28 de maio de 2009, assumindo o ring-name Tara, e entrando em rivalidade com as Beautiful People (na época Angelina Love, Madison Rayne e Velvet Sky). Nessa rivalidade, ela começa a trazer para o ringue sua tarântula de estimação, Poison (por sinal, seu ring-name foi revelado ser uma abreviação de "Tarantula"), e após derrotar as BP em uma tag team match, ela coloca a aranha sobre o corpo de Velvet Sky. Ela tentaria repetir o feito num episódio do Impact em juhlo, para fazer Angelina Love lhe conceder um combate pelo seu Knockouts Title, conseguindo que seu desejo fosse atendido.

No mesmo dia, ela derrota Love e conquista seu primeiro reinado com o cinturão, que durou apenas até o Victory Road, duas semanas depois, perdendo-o de volta para Angelina. Em setembro, ela e a então Knockouts Champion ODB tentam conquistar os KO Tag Team Titles, de Sarita e Taylor Wilde, mas falham devido à interferência de Awesome Kong. Nas semanas seguintes, ela e Kong recebem oportunidades pelo título de ODB, mas como uma interferia na luta da outra, nenhuma conseguiu vencer a campeã. Por fim, no Bound for Glory, em outubro, elas competem numa 3-way match, onde ODB novamente retém o cinturão.


                                  Tara como Knockouts Champion, carregando a gaiola de sua tarântula de estimação


Em novembro, ela vence uma Ten-Woman Battle Royal e se torna a contender ao KO Title no Final Resolution. No evento, ocorrido em dezembro, ela derrota ODB e se torna KO Champion pela segunda vez, perdendo o título de volta para ODB no Impact de 4 de janeiro de 2010, e conquistando-o pela terceira vez no Genesis, duas semanas depois. Esse reinado terminou no Impact de 5 de abril, quando ela perdeu o cinturão num Eight-Knockout Lockbox match para Angelina Love. Isso levou que as duas iniciassem uma rivalidade que culminou no heel turn de Tara.

No dia 28 de abril, ela anuncia no MySpace que iria sair da TNA, dizendo que não renovaria seu contrato por não receber um aumento de salário. Ela então faz um "Career vs Title" match contra a então KO Champion, Madison Rayne, e perde, terminando sua passagem na companhia. Entretanto, durante sua ausência, ela negociou um novo contrato com a diretoria da empresa, e retornou às atividades em julho, atuando como a parceira misteriosa de Rayne, utilizando um capacete de motociclismo para esconder sua identidade.




Ela só mostraria seu rosto no Impact de 2 de setembro, ao vencer uma tag team match junto a Rayne, contra as BP. No Bound for Glory, em outubro, ela ganha pela quarta vez o Knockouts Title, ao vencer Rayne, Love e Sky em uma 4-way match, mas no Impact da semana seguinte, simplesmente deixou que Madison fizesse um pinfall nela e recuperasse o cinturão (este foi o reinado mais curto da história do título). Seguindo a isso, veio uma longa rivalidade com Mickie James que só terminaria no Sacrifice, em maio de 2011, quando ela trai Rayne, e faz um face turn, ajudando James a conquistar o KO Championship.

O próximo grande feito de Tara na TNA foi a conquista do TNA Knockouts Tag Team Championships junto a Ms Tessmacher, na dupla TnT, ao derrotarem Sarita e Rosita da Mexican America, no Impact de 21 de julho. Elas perderiam os títulos no Impact de 3 de novembro para Rayne e Gail Kim (que também era a KO Champion na época). Após algumas rápidas rivalidades durante o começo de 2012, Tara iniciou uma rivalidade contra sua ex-parceira, a então KO Champion Tessmacher, que terminou não só com um novo heel turn, como na conquista de seu quinto reinado com o título, ao derrotar "Tess" Bound for Glory, em outubro.




Durante este reinado ela realizou defesas contra a própria Tessmacher, Mickie James e Velvet Sky, e (para minha grande tristeza) introduziu ao público da TNA seu "namorado de Hollywood", Jesse Godderz, que a ajudou em vários title matches, interferindo em seu favor. Seu reinado terminou no Against All Odds, no Impact de 21 de fevereiro, perdendo para Velvet em uma 4-way que também contou com Gail Kim e Ms Tessmacher.

Durante os meses seguintes suas participações diminuíram consideravelmente, e no Xplosion de 14 de julho, ela realiza seu último combate pela companhia, perdendo para ODB. Dois dias depois, ela é liberada de seu contrato.


Como pôde ser visto, estes lutadores alcançaram grande sucesso em suas passagens pela TNA (com Kendrick sendo o que teve a passagem mais modesta pela companhia), muitas vezes até mesmo maior do que o que puderam experimentar na WWE. Muito se deve ao fato da companhia de Nashville apostar em seus talentos, que por vezes não são aproveitados adequadamente na Big E.

Isso no entanto, não quer dizer que a TNA se aproveita dos "restos da WWE" como muitos falam. Sim, eles desejam ter a presença de nomes famosos daquela empresa para tentar alcançar uma visibilidade maior, mas também desenvolvem lutadores que foram mal utilizados lá e os tornam em estrelas credíveis, como foi R-Truth, e como está sendo EC3 (e, em certo ponto, Drew Galloway).

O que deve-se ter em mente é que os lutadores por vezes desejam tomar ares novos, e a TNA é uma das alternativas mais interessantes, por ter uma boa fanbase estabelecida e por manter um ritmo de trabalho menos exaustivo que o da WWE (mas, eu conheço os defeitos de Dixie Carter e sua companhia, e sei que nem sempre foi uma boa ideia ir pra TNA, mas agora, acredito que isso tenha mudado um pouco).

Por fim, deixo que os leitores digam que outro WWE Original vocês creem que tenha obtido sucesso na TNA, e que não tenha sido citado aqui (mas sem pensar nos casos mais óbvios. Vamos exercitar um pouco a mente). Boa leitura a todos, e até a próxima.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Enviar um comentário

O blog tem os comentários abertos a todos aqueles que gostem de wrestling e o queiram discutir com responsabilidade e sobretudo de maneira construtiva.

Não são permitidos insultos pessoais entre leitores, bem como a autores do blog. Não é permitido spam. Qualquer comentário fora do contexto, fica a cargo da administração a decisão da sua permanência.

1 comentário(s):

- disse...

a Tara na TNA foi sensacional (aquele combate na jaula com a mickie...)...muito melhor usada que na WWE.

kendrick por outro lado nem devia ter sido contratado.