sábado, 4 de junho de 2016

A Alternativa Fenomenal #32: Os TNA Originals na WWE - Parte 4

Gostou deste artigo? Então clique nos botões ao lado para o curtir! Se assim o desejar, deixe-nos um comentário no fim que nós e os visitantes agradecemos!






Saudações a todos, e bem-vindos a mais uma Alternativa Fenomenal. Hoje finalizarei uma pequena série de artigos que iniciei na segunda edição da coluna, onde eu falo sobre a passagem de vários dos TNA Originals pela WWE, onde, na maior parte das vezes, eles acabaram por sofrer com mal uso, tanto por serem novatos em busca de uma carreira promissora, ou por não terem correspondido ao que a companhia de Stanford queria deles.

Nesta série, eu considerei como "TNA Originals" os lutadores que, ou tiveram sua estréia no roster inicial da companhia, em 2002, ou que tiveram o maior destaque de suas carreiras enquanto lutadores da promotora de Dixie Carter. Nesta edição, trarei mais 5 nomes que se encaixam nessa descrição e tiveram alguma participação na companhia dos McMahon. Sem mais delongas, vamos aos nomes;





Hernandez - O polêmico 7 vezes campeão mundial de duplas pela TNA, teve uma breve e praticamente apagada passagem pela WWE de 2000 a 2001, onde atuou como um jobber competindo no Jakked e em dark matches. Seus dois únicos combates televisivos foram em 11 de julho de 2000, numa derrota para Crash, e em 4 de fevereiro de 2001, perdendo para Haku, tendo sido esta sua última aparição pela companhia.





Kid Kash - O ex-campeão da X-Division e duas vezes campeão mundial de duplas pela TNA, iniciou sua jornada pela WWE em 19 de junho de 2005, com uma derrota para Tajiri no Sunday Night Heat, competindo em seguida em alguns combates no Velocity, e enfim sendo transferido para o Smackdown, onde manteve uma rivalidade com os Mexicools (Juventud Guerrera e Super Crazy).

Dessa rivalidade, ele conquistou seu único título na WWE, o Cruiserweight Championship, ao derrotar Guerrera no Armageddon, em dezembro, tendo mantido o cinturão até janeiro de 2006, quando o perdeu para Gregory Helms, no Royal Rumble.

Após a perca do título, ele iniciou uma parceria com Jamie Noble, numa equipe chamada The Pitbulls, entrando na disputa pelos WWE Tag Team Titles de Paul London e Brian Kendrick. eles enfrentaram os campeões em julho, no Great American Bash, perdendo o combate, que foi a última aparição de Kash em um pay-per-view da WWE.

Em 29 de setembro, ele competiu em seu  último combate pela empresa, perdendo, junto a Noble, contra KC James e Idol Stevens, numa edição do Smackdown. Sua saída foi atribuída a sérios problemas de atitude do lutador em relação ao presidente da companhia, Vince McMahon.





Awesome Kong - Duas vezes Knockouts Champion e uma vez Knockouts Tag Team Champion, Awesome Kong aportou na companhia de Stanford em 1 de maio de 2011, no Extreme Rules, assumindo o nome Kharma, e atacando Michelle McCool. Nas semanas posteriores, ela realizou vários ataques a ex-campeãs, até que no dia 23 de maio, ao interromper uma 8-diva tag team match, ela simplesmente chora no ringue.

Na semana seguinte, ela explica suas ações dizendo que estava se ausentando temporariamente da WWE porque estava esperando seu primeiro filho, e não estava liberada para combater. Ela retornaria no Royal Rumble de 2012, sendo esta seu único combate oficial na Big E, tendo entrado no número 21, eliminando Hunico e forçando a auto-eliminação de Michael Cole.

Em 12 de julho ela confirma sua liberação da WWE, alegando que não estava pronta para retornar no período de tempo indicado pela empresa, devido ao trauma causado pela perda do filho que esperava. Ela disse que a saída foi amigável e que um dia poderia retornar para a empresa.





Austin Aries - Partindo para o caso mais recente, temos o seis vezes X-Division Champion e 5º Triple Crown Champion da TNA. Aries estreou em 2 de março deste ano na WWE, fazendo parte do NXT, onde foi atacado por Baron Corbin logo no momento de sua estréia. Isso levou os dois a terem um combate no NXT TakeOver: Dallas, que foi vencido por ele.

Ele mantém uma pequena sequência de vitórias neste momento, e irá enfrentar Nakamura Shinsuke no NXT TakeOver: The End, na semana que vem. Um pouco antes, em maio, os dois haviam competido juntos, em uma vitória contra Wesley Blake e Buddy Murphy, mas Aries queria mostrar que era melhor que o "King of Strong Style", conseguindo o combate após uma promo com Nakamura.





Consequences Creed - O último nome que citarei será o do ex-campeão mundial de duplas da TNA e atual duas vezes campeão mundial de duplas (ou trios nesse caso) da WWE. Creed estreou na FCW (território de desenvolvimento que se tornou o NXT de hoje), em 29 de julho de 2010, numa tag team match junto a Percy Watson, contra a equipe de Brodus Clay (Tyrus na TNA) e Donny Marlow (posteriormente Camacho, e atual Tanga Roa na New Japan).

Após sua estréia, onde usou seu nome real, ele recebeu a alcunha de Xavier Woods, e sob este nome ele iniciou uma parceria com Wes Brisco, com quem ganhou o FCW Tag Team Championship, seu primeiro título na companhia, ao derrotarem Johnny Curtis (Fandango) e Derrick Bateman (EC3 na TNA), em 4 de novembro. Em 1 de dezembro, eles tiveram que deixar os títulos vagos, após Brisco sofrer uma lesão, e Wods após uma tentativa falha de reaver os cinturões junto a Marcus Owens, passou a competir sozinho.




No seu tempo no NXT, ele competiu apenas como lutador solo, assumindo a gimmick de uma fã da cultura pop dos anos 90. Ele teve uma quantidade razoável de vitórias durante esta parte de sua carreira, apesar de sofrer derrotas para lutadores como Rusev e Leo Kruger (Adam Rose). Em 28 de novembro de 2013, ele estréia no roster principal, sendo o novo parceiro de R-Truth (ambos haviam competido juntos na TNA anteriormente, com a equipe Truth & Consequences), e participando com ele em rivalidades contra a 3MB e os Tons of Funk. Essa parceria encerrou-se de forma discreta após a derrota dos mesmos para Rusev, no Extreme Rules de 2014.

Em 21 de julho, ele se junta a Big E e Kofi Kingston para formar uma stable ainda sem nome, que tinha por intuito ajudar os dois últimos a voltarem a obter vitórias. Em 28 de novembro, a stable enfim ganha um nome, se tornando a New Day que conhecemos hoje, com quem Woods atualmente mantém os WWE Tag Team Titles.




Após todos os nomes citados nas quatro edições desta série, os leitores puderam verificar que muitos lutadores da TNA seguiram o pensamento de tentar obter maior visibilidade e uma carreira de maior sucesso competindo pela WWE. Muitos não conseguiram cumprir seus objetivos, mas outros tiveram (ou tem) seus momentos de glória na companhia dos McMahons.

Não creio que casos como esses deixem de acontecer, já que a vontade de se tornar um astro na maior empresa do ramo sempre existirá nos lutadores, mas acho que estes atletas já conseguem ter uma ideia do tipo de ambiente que verão na WWE, caso um dia se juntem à companhia, e também saberão ponderar o que será melhor para suas carreiras nesta situação.

Deixo para que os leitores digam se eles lembram de mais algum caso de Originals da TNA com passagens pela WWE, e se eles acham que é válido que estes wrestlers tentem sua sorte na promotora de Stanford. Boa leitura a todos, e até a próxima.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Enviar um comentário

O blog tem os comentários abertos a todos aqueles que gostem de wrestling e o queiram discutir com responsabilidade e sobretudo de maneira construtiva.

Não são permitidos insultos pessoais entre leitores, bem como a autores do blog. Não é permitido spam. Qualquer comentário fora do contexto, fica a cargo da administração a decisão da sua permanência.

3 comentário(s):

Manuel Victor Victor disse...

Dps os fãns da WWE diz que a TNA só pega os restos da WWE como ec3 , Drew Galloway , Bram e Eli Drake .
Bom artigo espero que tna contrate Cody Rhodes e Damien Sandow.

Matheus Machado disse...

Ótimo artigo. Como Diego disse, evitem usar os comentários para briga de empresas, como se fosse uma rinha. Quem gosta da WWE, OK, quem gosta da TNA, OK também.

Só dois adendos:
*Bram não é resto, ou não se sabe o que é Bram e o que aconteceu para ele sair da WWE, ou não conhece a habilidade do rapaz, que é tremenda.
*Eli Drake também não é resto e o caso é similar ao Bram, não saíram da empresa por serem ''restos'' e não são ''restos'' em qualidade. Bom é isso, é o segundo post que é feito que acaba nesse tipo de discussão, apenas parem com isto.

- disse...

^ o que eles disseram!