sexta-feira, 27 de maio de 2016

ROH Global Wars 2016 | Análise

Gostou deste artigo? Então clique nos botões ao lado para o curtir! Se assim o desejar, deixe-nos um comentário no fim que nós e os visitantes agradecemos!


Olá meninos e meninas, senhoras e senhores, pessoas e animais, caso algum já tenha aprendido a ler e por acaso tenha escolhido este site e este artigo, por qualquer razão que seja. O meu nome é Marco Paz e sou o vosso analista de hoje! Atenção, não confundir analista com aquele médico que faz o teste da próstata, são duas coisas completamente diferentes apesar do nome indicar o contrario. Mas bem, hoje trago-vos a minha analise ao Global Wars, um dos eventos da ROH que são passados em PPV, apesar de eles volta e meia fazerem eventos que nunca vêm para o publico. Vamos lá a isto, que já vem tarde e a más horas, mas mais vale tarde do que nunca!



Four Corners Survival – World TV Title #1 Contender’s Match
ACH vs. Roderick Strong vs. Dalton Castle (c/ The Boys) vs. Adam Page

Eu pensava que isto ia ser um Fatal For Way, mas acabou por ser algo do estilo de Tag Team, em que duas pessoas começam no ringue e duas ficam no ringside à espera de poderem entrar através de um tag. O inicio do combate foi engraçado, eles não estavam a fazer muita coisa mas estavam a ter ação suficiente para prender o publico. Eles trabalharam as blind tags bastante, com toda a gente a querer ter a oportunidade de ganhar a contenda.

Roderick Strong foi o primeiro a ter uma fall neste combate depois de trabalhar um pouco em Dalton Castle, este que é o favorito do publico. O Castle faz o comeback e ACH, que ainda não tinha feito grande coisa até agora, taggase para Castle mandar-se num suicide dive para cima de Strong. Adam Page fez o shooting star press do apron para cima de Castle e Strong e, de seguida, ACH voa lá para fora. O combate já tinha em modo de all out com ninguém a respeitar as regras. No final vimos o Roderick a matar toda a gente numa rampage: um Superplex em ACH e uma “knee party” nos outros, só com Dalton Castle a para-lo com o Bang-a-rang para cima de Page. Dalton faz o cover no Page e ganha o combate.

Isto foi bem entretido e a ação foi boa para o que se pedia. Cumpriu e pos o Dalton e o Strong over. Foi bom para começar o show e o Castle a levar a vitoria é a escolha certa a meu ver.



Tag Team Match
The Addiction vs. Jushin Liger and Cheeseburger

Não percebo o destaque descomunal que dão a alguém como o Cheeseburger. Ele é mau simplesmente. Um lingrinhas que sabe os básicos mas que é posto em combates com lendas. Enfim. O publico ama o Liger, o que é perfeitamente normal. O inicio do combate vê o controlo de Cheeseburger mas os Addiction rapidamente ficam por cima com algumas double team moves. Depois de algum domínio dos heels, Burger consegue um comeback e fazer o hot tag em Liger. Jushin distribuiu Palm Strikes por Kazarian e Daniels e atingiu uma Liger Bomb em Chris para uma near fall. Os Addiction voltaram ao domínio do combate e atingiram o celebrity rehab em que Liger caiu muito mal em cima da sua cabeça. O Daniels começou a trabalhar no Cheeseburger que depois conseguiu a vitoria com um victory roll.

Foi um combate normal se isto fosse um show semanal, mas isto é um PPV que o pessoal pagou 45 paus para ver. Acho simplesmente mau e ridículo os Addiction perderem, apesar do grande pop que o Burger teve quando venceu. Espero é que esteja tudo bem com o Liger depois daquele bump horrivel.



ROH Tag Team Title Match
War Machine © vs. The Briscoe Brothers

A história aqui é que os War Machines sentem que necessitam de vencer os Briscoes para tornarem-se os verdadeiros campeões de Tag Team porque eles nunca os venceram e eles são a principal equipa da empresa. Já os Briscoes querem reaver os títulos para provar que continuam a ser os melhores. Os campeões começaram com a vantagem, usando a sua vantagem em força para quase que brincar com Mark Briscoe. Entretanto o Jay envolveu-se e toda a gente está no ringue. Os Briscoes acabam por ganhar o controlo do combate, trabalhando sobre Hanson. Mais uma vez isto ficou descontrolado com um brawl e com o Hanson a atingir um dive para o exterior. A câmara acabou por falhar em apanhar o Jay a por o Hanson por uma mesa com um Double Stomp (eles simplesmente não podem falhar este tipo de spots, por amor de Deus, se não soubesse que isto é ROH, atrevia-me a dizer que era o Kevin Dunn que estava a comandar as câmaras), permitindo eles trabalharem o heat em Rowe com o Hanson estendido no chão do exterior.

Jay Briscoes e Raymond Rowe tiveram um spot muito fixe, onde eles tiveram a trocar moves e murros e assim, com cada um a pedir mais do outro. O Hanson voltou, eles tiveram um grande standoff e todos envolveram-se numa brawl. Muita troca de moves, com as duas equipas a vender o facto de se conhecerem muito bem e de que estão as duas ao mesmo nível. O Jay atingiu o Suicide Dive e o Mark o Block Buster do apron, permitindo aos Briscoes reganhar o controlo do combate. Uma boa troca de moves, eles estão a deixam a acção fluir bastante bem e o publico está a gostar. Os Briscoes conectaram com umas manobras aéreas e o Hanson deu o kickout ao dois. Os War Machines fizeram um grande comeback, mas Hanson falhou um Moonsault e Jay acertou o Jay Driller para um grande, grande, grande nearfall! O Jay Driller é dos finishers mais bem protegidos da ROH, de sempre, por isso quando alguém saca uma nearfall deste, é vendido como um monstro!

De seguida o Rowe salvou Hanson de um Doomsday Device e atingiram o Fallout no Mark para reterem o titulo. O combate foi tremendo, visto que eu nunca esperei ver grandes combates dos War Machines, mas está visto que com os oponentes certos, estes meninos até sabem sacar coisas bem giras. Esta foi uma vitória tremenda para a equipa e estão solidificados como campeões credíveis, algo que ainda não tinha acontecido. Grande combate, grande história e isto sentiu-se mesmo que era importante.



Interpromotional Match
Tetsuya Naito vs. Kyle O’Reilly

No inicio do combate vimos Tetsuya a ser arrogante como ele sempre é, por isso, Kyle respondia com o seu grappling de MMA e concentrava-se no braço do campeão japonês. Boa troca de manobras entre os dois com a personalidade de Naito a ser o grande destaque. O'Reilly estava a prender submissões muito duras mas eles continuaram a troca de moves sem ninguém a ganhar o domínio do combate. Naito conseguiu a primeira near fall depois de uma RANA das cordas. Naito começou a tentar atingir o seu finisher, o Destino, mas o O'Reilly conseguiu escapar e depois de mais uma troca de moves, O'Reilly quase que decapitava Naito com uma Jawbreaker lariat.

Isto está bom mas está a pedir que passem para o próximo nível. O Naito teve um pouco de domínio e tentou outra vez o Destino, mas O'Reilly estava forte com os counters e atingiu um Regal-Plex para um near-fall. Mais um counter ao Destino mas rapidamente Naito dá a volta por cima e finalmente atinge o Destino para acabar o combate. O combate foi, na sua essência, uma boa troca de manobras com a historia de Naito não conseguir atingir o seu finisher. Mas isto pedia mais, muito mais, tendo em conta os nomes envolvidos. Foi bom ver o O'Reilly ter um combate bastante equilibrado com o IWGP Champion mas uma vez que ele saiu de uma grande feud com Cole em que saiu vitorioso, deviam ter bookado um combate em que ele pudesse ganhar para dar seguimento ao momentum que tem.



Interpromotional Match
Hiroshi Tanahashi and Michael Elgin vs. Kazuchika Okada and Moose

O combate começou com Okada e Tanahashi no ringue, o que conseguiu uma grande reação por parte do público. Depois de uma troca de moves gira entre os dois, Moose e Elgin entraram e trabalharam spots de força, incluindo o Moose a não vender um Delayed Suplex de Moose. Depois tivemos um pouco com todos dentro do ringue, com Moose e Okada a distribuir dropkicks nos adversários. Moose voa para o exterior e eles começam a trabalhar em Tanahashi para ganhar heat. Depois de um Spear falhado de Moose, finalmente Elgin consegue entrar e trabalhou no adversário.

Depois os dois aces da NJPW entraram e trabalharam um no outro com troca de moves até Tanahashi acertar com um senton da segunda corda para um nearfall. Okada tenta o Tombstone mas Tanahashi reverte. Ambos tentam o RainMaker, ninguém consegue e Tana acaba por acertar o Sling Blade para os dois ficarem estendidos no chão. Elgin e Tanahashi começaram a trabalhar double team moves em Okada até Moose fazer o save. Okada atinge um Dropkick e Mose o Spear em Elgin para depois estenderem Tanahashi. O combate acaba com um Rainmaker em Elgin. É interessante ver que, o Elgin e o Tanahashi que são uma equipa na NJPW, tenham perdido aqui. Isto foi sólido mas nunca foi mais que um bom combate com um bom ritmo. O foco principal foi o Okada vs Tanahashi com o Moose e o Elgin ali no meio a fazerem as suas cenas.



ROH TV Title Match
Tomohiro Ishii © vs. Bobby Fish

O Ishii não estava aqui para coisas e recusou apertar a mão a Bobby Fish. Fish começou o combate com uns kicks, mas Ishii deu no-sell e pareceu não estar impressionado. Eles basicamente começaram a destruir-se um ao outro com kicks e pontapés no inicio e o publico estava firmemente por trás de Ishii. O Stone Pitbull a dominar completamente Fish e a ficar irritado quando este tenta fazer o comeback foi engraçado e entretido. Depois de cerca de 7 minutos de domínio de Ishii, Fish consegue fazer o comeback e começa a atingir alguma ofensiva que acaba com um XPLODER para um nearfall. O Ishii haveria de atingir um delayed superplex para uma nearfall também. Tomohiro depois começou a destruir Fish, atingindo com várias high impact moves para conseguir algumas nearfalls. O Bobby estava a mostrar-se resistente e continuava a lutar. Eles trabalharam um pouco no apron, com troca de murros por um pouco até que Ishii atingiu com um Chop na garganta do adversário. Eles acabaram por ir para o chão, ameaçando um final por countout, mas Fish conseguiu voltar ao ringue.

Bobby continuava a tentar atingir um Sleeper, sendo que nos comentários eles estavam a vender que Ishii nunca tinha desistido na sua carreira (não sei até que ponto isto será verdade). Fish puxou Ishii para o tapete, com o Sleeper preso, e Ishii acabou por desmaiar e temos novo campeão! Eles continuaram a vender que Fish tinha 39 anos e que esta podia ser a sua ultima oportunidade para lançar a sua carreira a solo. Isto foi muito bom, muito stiff com o Ishii a mostrar o seu estilo destrutivo, e com o Fish, não apenas a sobreviver, como também a superar as expectativas e a vencer no combate. Eles também necessitavam de tirar o titulo do Ishii, pois ele andava bastante ausente e isso não estava a resultar.



8 Man Tag Match
Bullet Club (Matt Jackson, Nick Jackson, Tama Tonga, Tanga Loa) vs. Motor City Machine Guns (Chris Sabin and Alex Shelley), KUSHIDA and Matt Sydal

Isto começou com o Mr.Wrestling III (aka Steve Corino, WE KNOW IT’S YOU STEVE! WE KNOW!) a ter um Contador de superkicks, pois os Young Bucks prometeram estabelecer um novo record esta noite. O inicio do combate foi bastante rápido, com toda a equipa face e os Young Bucks a conectarem bastante bem. O Tonga e o Loa usaram o seu tamanho e a sua força para abrandarem as coisas, permitindo o Bullet Club trabalhar o heat no Alex Shelley. Os BC dominaram durante um bocado, até que Matt Jackson atingiu, sem querer, Tonga e Loa, o que permitiu a Shelley fazer o tag a KUSHIDA. Algumas trocas engraçadas entre KUSHIDA e os Young Bucks, com KUSHIDA a conseguir reverter as Double Team moves dos irmãos e a taggar em Sydal.

Tonga e Loa estavam a tentar cortar o balanço de Sydal, mas Sabin fez o save e os faces começavam a distribuir superkicks pelos heels. Mr Wrestling III recusou-se a gritar SUPAAAAKICK PARTYYYY porque estava à espera dos Young Bucks e da sua promessa. Isto não está a receber grandes reacções por parte do publico, fora os grandes spots. No final do combate as coisas começaram a aquecer e os Bucks atingiram o Meltzer Driver em Alex Shelley para conseguirem a vitória. Os Bucks tinham prometido o record mundial de Superkicks e afinal o contador ficou nos zero. O combate não foi mau mas pareceu demasiado genérico para os nomes envolvidos. Sem história, sem nada que realmente chama-se à atenção, isto ficou-se pelo mediano.



ROH World Title Match
Jay Lethal © vs. Colt Cabana

O publico de Chicago estava muito por trás de Colt Cabana, o homem lá do sitio. Ambos tiveram um pouco para brilhar no inicio do combate, com Cabana a ganhar nas trocas de wrestling técnico. Taeler Hendrix tentou envolver-se, conduzindo a um pouco de “Crash and Burn” de Lethal com um Suicide Dive. Hendrix estava a envolver-se demasiado, por isso, Nigel finalmente fez o seu trabalho e mandou-a para o backstage. Lethal começou a ganhar o heat e começou a trabalhar em Colt Cabana e a manda-lo a baixo, tentando até ganhar via count-out. Jay controlou o combate, com Colt a ter alguns pequenos comebacks mas a não dar em nada. Cabana conseguiu voltar ao combate quando começou a atingir cotoveladas e murros e, depois de um “Ass Attack”, conseguiu uma Nearfall.

Lethal estava a retornar ao combate, com a sua Lethal Combination e o seu Elbow Drop para o 2. Cabana reverteu o Rana do topo das cordas para um Chicago Skyline para mais uma nearfall. Eles a seguir fizeram um spot de reverter um tombstone, fazendo com que fosse Lethal a atingir a manobra para mais uma nearfall. De seguida, o Lethal foi para o Lethal Injection mas Cabana conseguiu prender Jay no seu finisher, o Billy Goat’s Curse. Hendrix voltou do backstage para distrair o arbitro e foi aqui que tudo descambou.

Os Young Bucks vieram ao ringue e começaram a distribuir superkicks (finalmente o Mr Wrestling III podia usar o seu contador), ao mesmo tempo revelando Adam Cole o novo membro dos Bullet Club. Eu a isto só tenho a dizer uma coisa… ADAM COLE BAYBAY! Não, agora a serio, eu acho que o combate estava a ir bem, ainda iriam ter algum tempo para o desenvolver mais um pouco e acho que iria acabar por ser um bom combate, mas não gostei que a interrupção tivesse sido feita antes do final do combate. Cortou todo o momentum que aquilo tinha e acabou por ficar tudo em águas de bacalhau, além de voltar a meter o Adam Cole na World Title Picture quando ele perdeu a feud com o Kyle O’Reilly.

__________________________________________________________________

Preto No Branco

Classificações:

Four Conners Survival – Roderick Strong vs. Dalton Castle vs. Adam Page vs. ACH - ** ¾
Tag Team Match – The Addiction vs. Cheeseburger & Jushin Liger - **
ROH Tag Team Title Match – War Machines © vs. The Briscoes - ****
Singles Interpromotional Match – Kyle O’Reilly vs. Tetsuya Naito – ** ¾
Tag Team Interpromotional Match – Hiroshi Tanahashi & Michael Elgin vs. Kazuchika Okada & Moose - ***
ROH TV Title Match – Tomohiro Ishii © vs. Bobby Fish - *** ¾
8-Man Tag Team Match – Bullet Club (Young Bucks & Guerrillas of Destiny) vs. Motor City Machine Guns, KUSHIDA & Matt Sydal - ** ½
ROH World Title Match – Jay Lethal © vs. Colt Cabana - NR

Termômetro:

Como é de se esperar de um show da ROH, existem sempre coisas boas a apontar e sempre boas razões para quais ver os eventos, apesar da qualidade do produto estar muito longe do que já foi outrora. Ora aqui estão os pontos positivos do show:

- Bobby Fish a ganhar o TV Title, retirando-o assim de um dos principais wrestlers da NJPW, mostra que a empresa tem esperanças no veterano e que este possa carregar o titulo nos próximos tempos. Ainda bem, porque este tipo de aposta em “novo” talento é sempre bom, é sempre bom ver pessoal “novo” a ganhar os títulos e caras “novas” de roda dos do ouro. Fish estava na sombra de O’Reilly e estava entranhado na divisão de Tag e, agora, temos mais um nome para se apostar para os títulos e feuds de singles.

- O combate dos War Machines e dos Briscoes foi o ponto alto do show, a meu ver. Um excelente combate a estabelecer uma equipa que necessitava de um grande combate para ficar over como campeões. Nunca fui grande fã dos War Machines, mas consigo reconhecer que existe talento e potencial neles, alem da gimmick ser bastante badass e ser algo bastante visualmente apelativo. Os Briscoes são fenomenais a pôr o pessoal novo over e não perdem nada com esta derrota.

- Os House of Truth perderam o domínio que tinham aqui à tempos e Jay Lethal é um campeão sem heel sem a protecção que tinha antes, por isso, faz sentido que se vá arranjar uma stable para começar a dominar a empresa. Ora, a stable face de Prince Nana tarde em começar a afirmar-se e, com os Young Bucks e o Kenny Omega presentes nos shows, quem melhor que os Bullet Club para dominarem a empresa numa altura que parecia que eles estavam completamente a perder o hype todo que tinham antes? Foi uma jogada de mestre dos bookers e a decisão de pôr o Adam Cole na stable foi simplesmente genial. Cole, Omega e Bucks numa só stable é muito mel. É pena estar o cepo do Loa lá envolvido. Coitado do Tonga, até gosto dele, mas o irmão é cá uma nódoa, jesus…

Como em tudo, não são só coisas boas que podemos encontrar neste show. Alias, o Global Wars até teve algumas coisas que fizeram coçar a cabeça até fazer ferida. Ora vejamos lá do que estou a falar:

- Primeiramente, alguem consegue explicar-me o porque do Cheeseburger e do Liger ganharem aos Addiction? (SPOILER ALERT: Que, por sinal, acabaram por retirar os títulos de Tag Team aos War Machines na noite a seguir. Isto significa que o Cheeseburger e o Liger têm uma shot aos titulos?) É que faz zero sentido. O Cheeseburger é ridículo, é uma amostra de wrestler, tem zero músculo, zero habilidade, zero carisma. Não percebo o que raio o Liger vê no miúdo. Ou sequer o publico da ROH que o adora. Enfim.

- Outra coisa que também não gostei e já referi acima foi que não gostei que eles tivessem interrompido o Main Event para revelar o Adam Cole como membro dos Bullet Club. Epá faziam isso depois do combate. É que não sei se vocês têm noção, mas isto foi um PPV em que o pessoal gastou 45 Dollars (algo como 40 euros; se fores brasileiro… temos pena. Senão se tivessem armado em maiores do mundo há 194 anos atrás e pedido a independência, hoje tinham a mesma moeda que nós e não tinham que ir ver quanto é que 40 euros é em reais. Pois, só pensam nas cenas depois de as fazerem não é? Aposto que só o trabalho que vão ter em ir ao Google ver quanto é que é o valor fazia vocês desejarem nunca terem pedido a independência. Pois… acho que desviei-me um pouco do assunto. Acho. Voltando ao que interessa…), e quando o pessoal compra o PPV, espera ver resultados concretos e não estes finais à WWE. Não me admirava nada que houvesse pessoal a pedir refund só por causa disso, os americanos quando toca a dinheiro são lixados.

- O facto de se tratar de um PPV e eles nem se preocuparem de preparar storylines suficientes para encher o card. Se não têm tempo suficiente nos programas semanais para fazer tantos PPVs anuais, não os façam, simples. Combates com história, dos 8 combates que houveram, só 2 é que foram trabalhados que foi o Main Event e o dos títulos de Tag. Depois o Fish vs Ishii também tinha alguma história mas não muito. O resto foi das cenas mais random que havia. E estão há espera que o pessoal pague 40 euros por isto? Delirius, acorda para a vida rapaz.



Figura da Noite:
Bobby Fish – Velhos são os trapos!

Podia ter posto aqui o Adam Cole pela surpresa que mostrou no fim da noite; podia ter posto aqui os War Machines pelo excelente combate que tiveram no final da noite, mas escolhi mesmo por aqui este excelente wrestler que, nos reDRagon, sempre ficou um pouco na sombra do Kyle O’Reilly, mas tem agora a oportunidade de brilhar a solo. O veterano de 39 anos consegue aqui o primeiro titulo de singles de relevo da sua carreira, depois de passar alguns anos nas divisões de Tag Team da ROH e da NJPW. Fish merece bastante este titulo, pois tem mostrado que é um lutador bastante completo, não só sendo um excelente lutador dentro de ringue, como tendo um grande carisma e boas mic skills. Espero que o reinado de Bobby seja bom e que, quem sabe, o catapulte para o titulo mundial ainda antes de se reformar, pois acredito que já só tenhamos mais uns 4 ou 5 anos no máximo a retirar deste senhor.

Classificação Final: *** ¼

__________________________________________________________________

Classificações Eventos:

(1) NJPW Wrestle Kingdom 10 – **** ½
(2) NXT Takeover: Dallas - ****
(3) PROGRESS Wrestling Chapter 25 – ****
(4) PROGRESS Wrestling Chapter 26 – *** ¾

(5) NJPW Invasion Attack 2016 - *** ¾
(6) WWE Payback 2016 - *** ½
(7) WWE Royal Rumble – *** ½

(8) ROH Global Wars - *** ¼
(9) WWE Wrestlemania 32 - ***
(10) ROH 14th Anniversary – ** ½
(11) WWE Fastlane – ** ½

10 Melhores Combates em Análise:

(1) NJPW Wrestle Kingdom – IWGP Heavyweight Title – Kazuchika Okada © vs. Hiroshi Tanahashi - *****
(2) NJPW Wrestle Kingdom – IWGP Intercontinental Title – Shinsuke Nakamura © vs. AJ Styles - **** ¾

(3) PROGRESS Wrestling Chapter 25 - PROGRESS Wrestling Title NO DQ Match - Will Ospreay © vs. Marty Scurll - **** ¾
(4) NJPW Invasion Attack 2016 - IWGP Jr. Heavyweight Title Match - KUSHIDA © vs. Will Ospreay - **** ½
(5) NXT Takeover: Dallas - Singles Match - Shinsuke Nakamura vs. Sami Zayn - **** ½
(6) WWE Royal Rumble – WWE Intercontinental Title Last Man Stadnding Match – Dean Ambrose © vs. Kevin Owens - **** ½
(7) NJPW Wrestle Kingdom – NEVER Openweight Title – Tomohiro Ishii © vs. Katsuyouri Shibata - **** ½
(8) WWE Wrestlemania 32 - WWE Women's 3-Way Title Match - Charlotte © vs. Sasha Banks vs. Becky Lynch - **** ¼
(9) NJPW Invasion Attack 2016 - IWGP Heavyweight Title Match - Kazuchika Okada © vs. Tetsuya Naito - **** ¼
(10) WWE Payback - Grudge Match - Sami Zayn vs Kevin Owens - **** ¼



Bem, e esta foi a minha analise ao Global Wars da ROH. Espero que tenham gostado, digam nos comentários o que acharam do evento, se concordam ou discordam de mim, o que acharam a analise e isso tudo. Meu amigos, eu também escrevo Reviews para uma pagina de Facebook, chamada Wrestling Ratings, por isso, não deixem de passar por lá! Infelizmente, vou ter que me ausentar no próximo mês devido aos exames escolares. Peço desde já imensa desculpa por isso mas prometo que quando voltar apanho isto do sitio onde o deixei, por isso, a próxima review será do Extreme Rules! Estou no ir, por isso, fiquem bem e não percam a próxima Análise, porque eu… TAMBÉM NÃO!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Enviar um comentário

O blog tem os comentários abertos a todos aqueles que gostem de wrestling e o queiram discutir com responsabilidade e sobretudo de maneira construtiva.

Não são permitidos insultos pessoais entre leitores, bem como a autores do blog. Não é permitido spam. Qualquer comentário fora do contexto, fica a cargo da administração a decisão da sua permanência.

4 comentário(s):

Federação Wrestling disse...

Excelente análise :)
Os meus parabéns.
Força e continua !

Manuel Victor Victor disse...

PPV fraco demais destacar 1 combate só .

Yahtzee disse...

Ainda não vi o PPV mas fizeste aqui uma excelente análise de tudo o que se passou, muito completo. Bom trabalho ;)

André Ribeiro disse...

War Machine vs. Briscoe Brothers foi o ponto alto do show e do inesperado reinado curto dos War Machine. Foi giro colocarem os campeões como a equipa que têm de vencer para mostrar realmente aquilo que vale. Foi uma brawl gira em que se sentiu o espirito de competição das duas equipas e a determinação dos War Machine. Btw, a reacção ao kickout do Jay Driller foi awesome - no PPV anterior, quando os ANX kickaram pela primeira vez o Fallout dos War Machine, não se ouviu nada lol.
Fish vs. Ishii foi o segundo melhor combate da noite e gerou um momento fixe! O Bobby merece por aquilo que têm feito - é um dos melhores promos da companhia e é bem consistente no ringue.

O angle final é todo ele muito giro, principalmente porque Adam Cole encaixa na perfeição no conceito do Bullet Club - mas era escusado terem feito um angle a meio do combate, acho que teria o mesmo impacto depois do combate terminar. Também não gostei do facto do Cole estar novamente na rota do ROH World Championship - mas como O'Reilly teve aqui um match equilibrado com Naito e nas tapings obteve o pinfall sobre o Lethal, acredito que seja desta que ele se sagre campeão e assim a rivalidade entre os antigo Future Shock voltará e possivelmente será esse mesmo o Main Event do próximo Final Battle : O'Reilly vs. Cole. Não ficava admirado tendo em conta que muitas vezes a Ring of Honor gosta que as suas top feuds sejam longas e com alguns períodos de pausa aqui e ali ( Briscoe vs. Cole é o último exemplo).