quarta-feira, 18 de maio de 2016

Queen Of The Ring #11 - 5 Coisas Para a WWE Aprender Com Lucha Underground

Gostou deste artigo? Então clique nos botões ao lado para o curtir! Se assim o desejar, deixe-nos um comentário no fim que nós e os visitantes agradecemos!

O programa semanal de Lucha Underground tem sido aquele que acompanho mais fielmente em termos de wrestling, sendo já pouca ou nenhuma surpresa para alguém que é o meu programa favorito da actualidade, tendo ultrapassado em muito a restante concorrência.


Desta feita, hoje trago novamente esta temática para cima da mesa mas gostaria de fazer uma certa comparação com uma outra companhia que infelizmente tem perdido terreno já de há uns anos para cá. A verdade é que eu continuo a ver os programas da WWE, mais ou menos regularmente, mas algo deixa sempre a desejar. Se me perguntarem porque ainda vejo sinceramente não sei dar melhor resposta do que talvez meramente pela presença de determinado atleta ou talento aqui e ali, de quem posso ter interesse em seguir as pisadas mas fico sempre com algum amargor em relação ao próprio destino que esses mesmos atletas vão tendo, caindo inevitavelmente nos erros de praxe da WWE.

Se calhar perante o sucesso de outras companhias, e mais concretamente de Lucha Underground, a WWE devia começar a esticar o pescoço e ver além fronteiras e perceber o que raio se faz naquele templo que levanta tantas ondas e tem tido tanto sucesso. Não há vergonha nenhuma nisso e eu acredito que a própria WWE inconscientemente já saberá que teria muito a aprender ao seguir algumas pisadas vindas de outros lados. E aqui hoje enumero isso mesmo, uma escolha de 5 coisas que a Lucha Underground faz tão, mas tão bem e que poderiam ser benéficas para a WWE, sendo estas 5 apenas um exemplo do que muito que teria a aprender.

1. Qualidade vs. Quantidade


Uma das características que mais me chama a atenção em Lucha Underground é obviamente o talento de todo o roster envolvido na concretização deste programa. E ao olhar mais aprofundadamente para esse mesmo roster percebe-se facilmente que a LU prima não pela quantidade mas sim pela qualidade. Não temos imensos atletas, não temos pessoas infindáveis ligadas à companhia. Temos sim atletas em número mais do que suficiente para concretizar as expectativas, isto porque a Lucha Underground traduz na realidade, e de forma muito expressiva, o lema "poucos mas bons".

Pelo contrario a WWE é um mar infindável de talentos todos juntos, tem um balneário enorme onde por vezes quando leio noticias de mais alguém a ser contratado pergunto-me sempre “mas porque precisariam agora de mais gente?”. Ao contrário da LU a WWE prima pela quantidade em detrimento da qualidade, infelizmente. Tal poderia ser explicado porque a WWE, no caso do RAW por exemplo, apresenta um show de 3 horas em vez da Lucha Underground que é de cerca de 1h mas, para que precisamos de 3h de RAW? Enquanto durante um show de LU dificilmente alguém sente a necessidade de parar de ver ou querer “puxar para a frente”, isso já é algo muito recorrente na programação da WWE.

Além disso, curiosamente mesmo tendo um roster consideravelmente mais pequeno, a Lucha Underground consegue uma programação inovadora e sem repetições, sem casos desenvolvidos que são “mais do mesmo” o que torna o show absolutamente interessante do inicio ao fim. A WWE é mestre em repetições e em nos querer dar aquilo que já vimos, mesmo tendo um roster enorme mas que infelizmente, uma boa parte, deixa muito a desejar. o que leva muitos talentos a passarem meses e meses sem sequer aparecerem na televisão. Novamente pergunto, para quê?

2. Segmentos com objectivo


A questão desenvolvida no ponto um vem cair directamente neste segundo ponto. Quando estou a ver uma programação da WWE enfrento sempre o mesmo problema que é uma vontade incrível de puxar a programação para a frente porque não tenho grande paciência para “pseudo-storylines”. Por alguma razão a WWE insiste sempre em apresentar segmentos, quer de backstage quer no ringue, completamente desinteressantes e sem fundamento nenhum. Se calhar para justificar esses tais talentos que estão lá sem ninguém perceber porquê e então é preciso dar-lhes qualquer coisinha para darem o ar da sua graça. Mas para quê? Com que objectivo?

Em Lucha Underground acredito que todo e qualquer talento que seja apresentado durante o show, seja apenas para uma promo ou para um combate em si, tem um objectivo. Faz parte de algo, é parte integrante no desenvolvimento de uma storyline sendo portanto interessante e tendo uma razão de ser a sua presença. Em Lucha Underground não há necessidade de puxar para a frente porque todo e qualquer momento do show tem interesse e um objectivo bem definido. 

3. O wrestling feminino não precisa de extras


Uma das coisas que todos sabemos que a WWE passou anos a pisar e humilhar foi a sua divisão de wrestling feminino que até há bem pouco tempo se encontrava às portas da morte a implorar para que alguém acabasse com tamanho sofrimento. Não acho que hoje em dia a coisa esteja muito melhor mas, penso que porque, uma vez mais, a WWE seguiu um caminho estranho e ridículo.

Eu não acho que a WWE acredite nas capacidades dos seus talentos femininos, talvez não achem que um grupo de mulheres possam “roubar” o show mas em Lucha Underground vemos a prova do quanto não só isso é possível mas completamente viável. Precisamente há duas semanas tivemos um combate incrível entre a Sexy Star e a Mariposa numa estipulação No Mas, e este é apenas um exemplo.

Se a Lucha Underground consegue ter talentos femininos a serem impressionantes no ringue, quer entre elas, quer contra eles e com eles à mistura, porque raio a WWE não há-de conseguir? Porque eles não acreditam que as madames consigam, e como tal precisam de criar programas extra, como esse fantástico Total Divas, para dar mais ênfase e mais destaque à sua divisão feminina, mas sem qualquer necessidade (ou sucesso). Eu não preciso de saber o que estas senhoras fazem na sua vida, nem com quem namoram nem com quem querem namorar ou com quem os escritores do programa acham que devem ter um qualquer acesso dramático, só preciso de as ver no ringue a mostrarem o que sabem fazer, e o caminho que a Lucha Underground leva é extremamente interessante e a prova em como os talentos femininos conseguem estar em pé de igualdade com os masculinos.

4. Combates de trios a elevado ritmo (e duplas também!)


Se tirarmos alguns dos combates dos agora desmantelados Shield e alguns dos combates da outrora interessante e até promissora Wyatt Family, todos os combates tag-team da WWE que envolvem 6 participantes, 3 de cada equipa, são a coisa mais aborrecida que se pode assistir. Combates desleixados do início ao fim ou completamente lentos tornando-se incrivelmente desinteressantes.

Na Lucha Underground temos exactamente o contrário, todos os combates envolvendo equipas de trios são altamente bem desenvolvidos e interessantes, do início ao fim. A um ritmo rápido e frenético não há sequer tempo para pensar no que acabou de acontecer porque logo no segundo seguinte já há algo de novo em marcha. Uma das grandes vantagens de LU neste campo? Não há necessidade de andarmos com tags para que alguém entre no ringue e fique legal para estar em acção tornando todo o ambiente do combate mais dinâmico e mais imprevisível. A WWE poderia seguir estas pisadas e tornar estes combates interessantes, podendo aplicar o mesmo estilo de dinâmica em combates de equipas de dois que sabemos são muitas vezes igualmente desinteressantes, lentos e enfadonhos.

5. Booking consistente e coerente


O tendão de Aquiles da WWE é obviamente o seu booking e a sua equipa criativa. Todos sabemos e todos temos exemplos de vários wrestlers e talentos da WWE que foram vítimas do booking da mesma e que como tal acabaram sendo desperdiçados e não por falta de talento. Johnny Mundo que o diga!

Erros de booking e mau booking são a primeira razão para alguém deixar de ver um show de wrestling porque no fundo nós não queremos ver só pancada, para isso temos boxe, UFC entre outras coisas. Não! Queremos uma história contada mas que também envolva pancada. Mas essa história tem claramente de ser bem contada, fazer sentido e ter um mínimo de interesse além de ter um seguimento lógico. A WWE não tem ideias e não sabe o que mais há-de inventar porque o que inventa é péssimo e o restante já estamos fartos de ver, caindo sempre nos mesmos erros. Porque há-de alguém tão incrível como o Cesaro estar no mid-card? Porque é que o Kevin Owens não é suficientemente bom para ser um campeão heel a longo prazo? Porque é que alguém como o Dean Ambrose só serve para perder? Porque é que me querem fazer acreditar que o Roman Reigns é uma espécie de super-herói melhor que tudo e todos?

Só a WWE saberá e os erros sucedem-se, enquanto a paciência é cada vez menor e praticamente inexistente. Em Lucha Underground eu não vejo desses desperdícios e vejo boas decisões no seguimento de determinadas storylines. Tudo faz mais ou menos sentido, mesmo o campo mais out there da companhia tem uma lógica e uma razão de ser. Poderia a WWE aprender com isso? Não só podia como devia porque enquanto os erros se vão acumulando eventualmente não haverá volta a dar e quem se fartou, farto continuará.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Enviar um comentário

O blog tem os comentários abertos a todos aqueles que gostem de wrestling e o queiram discutir com responsabilidade e sobretudo de maneira construtiva.

Não são permitidos insultos pessoais entre leitores, bem como a autores do blog. Não é permitido spam. Qualquer comentário fora do contexto, fica a cargo da administração a decisão da sua permanência.

9 comentário(s):

Diego Meira disse...

Eu já desisti de pensar q a WWE vai conseguir melhorar algum de seus aspectos. Mas não digo isso por não quererem realizar alguma mudança (até porque sabemos o q acontece no NXT), mas sim porque a pesoa q dá a palavra final nos assuntos é um velho completamente obsoleto no negócio.

Quanto a LU eu num preciso falar mais nada. Os meus artigos elogiando a companhia, e os seus fazendo o mesmo, já ilustram bem o q penso sobre a forma q eles conduzem seu programa.

- disse...

e o melhor espaço de wrestling....está de volta.


"O tendão de Aquiles da WWE é obviamente o seu booking e a sua equipa criativa. "

nem mais: a lucha em 40 mins limpa com tudo que a wwe faz 1,2,3hs ou nas horas mais que eles nos quiserem aborrecer.

isto para os poucos que ainda vêm e vão aos poucos se fartando daquele festival de Zzzzz


já a lucha? bom...ia descrever mas o teu artigo é genial...a lucha tem tudo mais que uma empresa de wrestling devia ter para cativar os fans + velhos (que sim, somos + exigentes mas não somos impossíveis de agradar como se prova pela maneira como amamos TNA e especialmente Lucha)


parabéns pelo texto.

PyroMANiac disse...

Mais um artigo excelente. Concordo em absoluto! Bom trabalho :)

Anónimo disse...

que mais se pode dizer? wwe e as restantes empresas: APRENDAM com a LU!

vitor oliveira disse...

Excelente artigo, tenho que concordo com sua opiniao

Anónimo disse...

Ao post, como diria o Sr. Burns (personagem do seriado "The Simpsons"): Excelente!

1. Qualidade vs. Quantidade

Lucha Underground trata os seus talentos com respeito. Eles são poucos em comparação com a WWE, mas o tratamento é bem melhor. Na WWE, eu considero incrivelmente desrespeitoso um Wrestler ficar fora da televisão por meses e meses sem a garantia que será utilizado no futuro. É como se ele fosse mais um "bonequinho descartável" nas mãos de Vince McMahon e a incompetente equipe criativa.

2. Segmentos com objectivo

WWE em geral: Booking Sucks, Storylines Sucks e Talking Sucks. Não vou escrever "Sucks" para Gimmicks ou Characters porque isto está em bastante falta. O que é incrível em pensar nisto sobre a WWE, pois os dois maiores períodos da história da empresa, Golden Era e Attitude Era, foram baseados principalmente em Gimmicks/Characters e Storylines. A ação no ringue era secundária e não tão superestimada como hoje pela internet.

3. O wrestling feminino não precisa de extras

Ivelisse e Catrina têm melhores e mais desenvolvidos personagens do que todas as mulheres da WWE. Na verdade, a única que realmente tem algum traço de personagem na WWE é a Charlotte. Mas ela só tem graças ao Ric Flair. Se Ric Flair não fosse pai da Charlotte, ela seria apenas mais uma Maria no roster. Uma "Maria com adereço (o cinturão feminino)".

4. Combates de trios a elevado ritmo (e duplas também!)

Disseste tudo. Não acrescento nada. Nada mesmo.

5. Booking consistente e coerente

"O tendão de Aquiles da WWE é obviamente o seu booking e a sua equipa criativa."

Agradeça Stephanie McMahon. A filha do patrão é a responsável pelo início da equipe criativa há uma década atrás. Ela contratou pessoas que não entendem, não gostam e não assistem Pro Wrestling, além de fracassados de Hollywood e seriados ou filmes de baixa qualidade.

E o Diego Meira com a ilusão que o "grande narigudo bastardo" será o "salvador da pátria" no futuro. É mais fácil ele continuar a ser o "Puppet" da Steph.

Os shows semanais do NXT são um pé no saco em termos de desenvolvimento de storylines e gimmicks. Eles refletem também o Main Roster. Lutas fillers, squash matches e 90% com resultados previsíveis. Além do fato do NXT ser mais um "stereotypical smark jerkfest" do que território de desenvolvimento, perdendo totalmente o sentido de sua origem ou propósito.




- disse...

^o que ele disse.

Diego Meira disse...

Em nenhum momento eu disse q o Triple H iria ser salvador de nada. Eu apenas reconheço q o q ele faz com o NXT é melhor do q o q o Vince faz no main roster. Se ele conseguirá produzir resultados melhores, só o tempo dirá.

E também já faz bastante tempo q o NXT deixou de ser um mero território de desenvolvimento. Comece a observá-lo como uma brand em si.

- disse...

o NXT tem muitas falhas como já apontaram aqui no blog.

e como território de desenvolvimento, que é (basta ver como a storylines são afectadas pelas subidas ao main roster), limita muito a sua subida como potencialmente uma 'brand'