domingo, 24 de abril de 2016

Forgotten Superstars #52 | O Grande Caribenho

Gostou deste artigo? Então clique nos botões ao lado para o curtir! Se assim o desejar, deixe-nos um comentário no fim que nós e os visitantes agradecemos!


Saudações a todos os leitores do Wrestling Notícias! Mais uma vez, vocês pediram e traremos outro grande lutador que não chegou aos degraus mais altos da WWE. Obrigado a todos que participaram da votação, a contribuição de vocês para o quadro é muito importante.

Dessa forma, iremos introduzir aqui um lutador vindo do Caribe, com um nome forte, e uma imagem extremamente ligada à promotora World Wrestling Council, que lhe rendeu certo sucesso na WWE durante algum tempo.

Então, vamos aos fatos!

Quem é? - Carlos Edwin "Carly" Cólon Jr. Nascido em San Juan, Porto Rico, ele é mais conhecido entre os fãs da WWE como Carlito. Ele começou a ir para a academia aos 11 anos e, de início, não via o wrestling profissional como futuro, apenas como um esporte para se praticar, e para melhorar sua forma física. Apenas quando terminou seus estudos, decidiu treinar de verdade para seguir carreira, mesmo que ainda pensasse em, de início, trabalhar por apenas 10 anos como wrestler.

Seu debut foi em 1999, pela World Wrestling Council, a grande promotora de wrestling profissional em Porto Rico. Inicialmente, apareceu como um cameraman conhecido como "Carly", antes de ser introduzido à televisão, unindo-se ao seu pai, Carlos Cólon Sr., contra o top heel da companhia, Ray González.

Sua primeira participação, agora como um lutador, e não apenas como um apoiador de seu pai, foi em 2000, uma vitória contra Félix Tapia. E com isso, ele seguiu em um forte push, conseguindo o apoio dos fãs da WWC em pouco tempo, o que o levou a ser o mais jovem wrestler a ganhar o WWC Universal Heavyweight Championship da história, título esse que ele ganharia mais seis vezes, entre 2000 e 2003. Ele também foi campeão de duplas, duas vezes, uma com seu irmão Eddie Cólon (Primo) por um dia e outra com Konnan.

Em 2003, anunciou a sua saída da WWC, para a OVW, território de desenvolvimento da WWE, deixando o título maior da companhia de Porto Rico vago. Ele deixou uma imensa história em sua primeira passagem, e foi duramente criticado pelos locais. Mas ele disse que sempre teve o sonho de estar na WWE, por isso, aproveitou a primeira oportunidade que teve.

O que ele fez na WWE? -  Na OVW, ele continuou com o ring name "Carly". Seu debut aconteceu em julho de 2003, ao lado de Luther Reigns e John Hennigan (John Morrison/Johnny Nitro), perdendo para Tank Toland, Johnny Jeter e Matt Cappotelli. Sua primeira vitória se deu na divisão solo, contra Rob Begeley.

Depois de trocar vitórias e derrotas em lutas de duplas e solo, ele trocou o seu ring name para "Carlos Cólon Jr.". Ele aparecia na OVW e também em dark matches da WWE. Durante, esse tempo, ele chegou a fazer aparições em eventos da WWC, inclusive, ganhando o título maior da sua empresa anterior por duas semanas, no fim de 2003.

Em 2004, ele se juntou a uma stable heel, a Bolin Services, liderada por Kenny Bolin. Essa foi a sua primeira vez atuando como heel. Essa ação provocou uma grande storyline, tanto na WWC, quanto na OVW, e uma grande rivalidade entre Carly e seu irmão Eddie. Outra coisa que esta storyline revelou, foi a animosidade entre Carly Cólon e Jim Cornette. Os dois terminaram a rivalidade com três lutas. Uma vitória para Carly, um empate pelo tempo limite, e uma vitória para Eddie.

Foi no fim de 2004, que ele começou a ser preparado para entrar no roster principal. Depois de alguns problemas e trocas de ring namepor causa de direitos autorais, ele ficou conhecido como "Carlito Caribbean Cool", que mais tarde já no roster principal, se tornaria apenas "Carlito". Ele teve diversas lutas em house shows e dark matches contra lutadores como Shane Helms, Elijah Burke e Scotty 2 Hotty.

Seu debut na WWE não poderia ser mais marcante. No SmackDown!, em outubro de 2004, Carlito derrotou o então campeão dos Estados Unidos, John Cena, usando a corrente de aço do Doctor of Thuganomics, para derrotá-lo e se tornar o novo campeão, como um heel que cuspia pedaços de maçã em seus oponentes.


Depois disso, ele entrou em uma série de vitórias na defesa de seu título, contra nomes como Rob Van Dam, Eddie Guerrero, Rey Mysterio e outros. Ele perdeu o título para Cena, depois de sofrer uma lesão legítima, que o deixou longe de uma luta no ringue, fazendo apenas uma aparição posterior na Survivor Series de 2004, depois da lesão.

Durante o seu tempo de recuperação, ele foi obrigado por Teddy Long, o GM do SmackDown! a fazer tarefas como vender comida para a crowd ou limpar a neve de estacionamentos. Isso se mostrou como um segmento cômico.

Em março de 2005, ele voltou à sua atividade como wrestler, em uma luta contra Eddie Cólon, seu irmão, em Porto Rico. Sua primeira participação na WrestleMania aconteceu em 2005, quando interrompeu um Piper's Pit, que levou a uma rivalidade entre Carlito e Roddy Piper, em uma luta na WWC que Piper ganhou. Depois desse episódio, foi criado o Carlito's Cabana, o segmento de entrevistas do próprio Carlito. A partir dele, foi promovida uma rivalidade entre o lutador e Big Show a partir de maio de 2005, que terminou com a vitória do portorriquenho no Judgement Day.


No draft de 2005, Carlito foi movido para o Raw, onde venceu Shelton Benjamin e conseguiu o Título Intercontinental, perdendo-o tempos depois para Ric Flair, no Unforgiven. A rivalidade entre as brands Raw e SmackDown! fez com que Carlito deixasse seu segmento de entrevistas de lado, e se focasse nessa storyline, que culminou com o confronto entre as brands na Survivor Series de 2005.

Ele também apareceu em algumas disputas pelo WWE Championship, como na New year's Revolution de 2006, onde ele e John Cena ficaram até o fim da Elimination Chamber match, com a vitória de Cena no final. 

depois desse pay-per-view, Carlito uniu suas forças com Chris Masters. Lutaram contra Big Show e Kane pelo World Tag Team Championship na WrestleMania 22, onde perderam, por meio de um ataque mal calculado de Masters a Carlito. Os dois começaram uma rivalidade a partir daí, que terminou com Carlito saindo por cima, no Backlash.

Algum tempo depois de Carlito falhar na busca do título intercontinental no Vengeance, este começou umsa storyline de relacionamento com Trish Stratus, e fez assim o seu face turn. O que o levou a rivalidades com Johnny Nitro e Melina, além de andy Orton, onde perdeu duas vezes, mas teve uma vitória final no Tribute to the Troops. O relacionamento de Stratus e Carlito durou até Trish retirar-se do wrestling profissional, logo após o Unforgiven.

A sua gimmick passou por uma pequena mudança, quando Carlito passou a ser vendido como um conquistador, e passou a ser visto com Torrie Wilson, que seria mais uma storyline de cunho romântico. Enquanto isso, ele participava de uma perseguição ao título intercontinental, no fim de 2006, mas sem sucesso.

Depois disso, Flair e Carlito entraram em uma storyline, onde o primeiro reclamava da falta de paixão do portorriquenho. Este, por sua vez, desafiou o Nature Boy a uma luta, mas perdeu, e com isso, eles se tornaram uma equipe onde Flair serviu como mentor de Carlito, até a perda da condição de desafiantes principais do World Tag Team Championship, para Lance Cade e Trevor Murdoch. Isso levou Carlito a turnar contra Flair e se tornar heel novamente, e a reacender a animosidade entre ambos, que acabou no Judgement Day de 2007, com vitória de Flair.

Depois de ser envolvido em ângulos com Triple H e perder para este no Unforgiven de 2007, Carlito estava infeliz na WWE e estava desejando sair. Desde a WrestleMania daquele ano, ele vinha mostrando insatisfação com os gestores da WWE. Entretanto, foi convencido a ficar na empresa por Vince McMahon. Ele chegou a figurar em diversas disputas de título e contrato, como a disputa do Intercontinental Championship, a Money In The Bank Ladder Match e a disputa do título de duplas (ao lado de Santino Marella), mas sem sucesso.

Em 2008, ele foi enviado de volta para o SmackDown, e ele fez um debut em setembro de 2008, ao lado de seu irmão, Eddie Cólon, o Primo, ganhando junto com ele, dos então WWE Tag Team Champions Zack Ryder e Curt Hawkins. Pouco tempo depois, ganharam o título de duplas da WWE, o que os fez entrar em feud com os World Tag Team Champions The Miz e John Morrison, visando uma unificação dos títulos na WrestleMania 25.


Na WrestleMania, os títulos foram unificados com a vitória dos Cólons, que se tornaram a primeira dupla a manter ambos os cinturões. Em abril de 2009, eles foram enviados para o Raw, e no The Bash, os irmãos perderam os cinturões para Edge e Chris Jericho.

Em julho, depois de mais uma derrota para Edge e Jericho, Carlito se voltou contra Primo, tornando-se heel novamente. A rivalidade entre eles durou até o mês seguinte, quando Carlito derrotou Primo no Raw. Ele foi envolvido em storylines com um papel menor, como o confronto entre John Cena e Sheamus, onde Carlito apoiava o irlandês.

Carlito também foi o mentor de Michael Tarver, durante o NXT de 2010. Além disso, em maio de 2010, ele se reuniu com Primo, que se tornou heel, e junto com ele, atacou R-Truth, por ordem de Ted DiBiase Jr. Mas isso não durou muito tempo, pois Carlito foi afastado da WWE através da Wellness Program, e se recusou a entrar em reabilitação, dado ao seu vício por analgésicos. Dessa forma, ele voltou a atuar pela WWC, onde se encontra até hoje.

Ele poderia ter feito mais na WWE? - Não há dúvida de que, pelo menos, entre os portorriquenhos, o nome Cólon é extremamente forte, como os Hart no Canadá ou os Anoa'i entre os habitantes da Samoa Americana, no mundo do wrestling profissional. O que leva a pensar que, talvez, Carlito pudesse ter tido mais chances dentro da empresa. O que estranhamente, não ocorreu.

Vamos às suas melhores características, para entendê-lo um pouco melhor.

  • Família de wrestlers: Como foi citado anteriormente, ele era um Cólon. Uma família que vivia por e para o wrestling, em Porto Rico. Linhagens de wrestlers são coisas que atraem os olhos da WWE.
  • Interpretação de alinhamento: Enquanto que na sua primeira passagem pela WWC, Carlito fora na maioria das vezes alinhado como face, na WWE, ele adquiriu uma maior elasticidade entre alinhamentos, sendo por várias vezes, um heel, e sabendo irritar a crowd como se deve. A alternância de sua posição na WWE deu a Carlito um crescimento em suas habilidades, principalmente no microfone.
  • Atração latina: A WWE deve ser uma empresa que retrate vários representantes pelo mundo. A introdução de Carlito fez com que o Caribe, principalmente o Porto Rico, aparecesse de maneira ainda mais destacada no cenário do wrestling profissional, visto alguns eventos cruzados entre a WWE e a WWC.
Carlito deu uma boa audiência à WWE pela América Latina. Apesar de não ter ganho um título maior, ele pelo menos foi marcado como o primeiro a unificar os títulos de duplas da empresa, mostrando sua habilidade tanto em solo, quanto em equipes. E hoje, ele repassa a sua experiência, para se tornar um ícone ainda mais fortalecido em Porto Rico.

Este foi o término de mais um Forgotten Superstars, meus caros! Não se esqueçam de comentar como sempre, pois vocês são parte importante de todo este trabalho.

Um grande abraço!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Enviar um comentário

O blog tem os comentários abertos a todos aqueles que gostem de wrestling e o queiram discutir com responsabilidade e sobretudo de maneira construtiva.

Não são permitidos insultos pessoais entre leitores, bem como a autores do blog. Não é permitido spam. Qualquer comentário fora do contexto, fica a cargo da administração a decisão da sua permanência.

2 comentário(s):

Anónimo disse...

Bom Mid Carder. Faz falta no roster até hoje.

André Ribeiro disse...

Curtia dele, cumpria bem o seu papel no card - mas nunca houve propriamente algo que me fizesse vê-lo como um possível Main Eventer.