domingo, 6 de março de 2016

Forgotten Superstars #45 | O eterno monstro samoano

Gostou deste artigo? Então clique nos botões ao lado para o curtir! Se assim o desejar, deixe-nos um comentário no fim que nós e os visitantes agradecemos!


Saudações a todos os leitores do Wrestling Notícias! Estamos aqui para mais um Forgotten Superstars, falando de outra estrela, que, eventualmente, não conseguiu chegar aos títulos máximos que a WWE já teve, e acabaram sendo esquecidos pelos fãs, durante ou depois de seu trabalho.

No caso a seguir, este homem faz parte de uma família bastante celebrada na WWE, com seus descendentes trabalhando na empresa até hoje. Alguns conseguiram a glória máxima. Outros, se não conseguiram, pelo menos marcaram história de alguma forma, como este. 

Então, vamos aos fatos!

Quem é? - Edward Smith "Eddie" Fatu, nascido na Samoa Americana em 28 de março de 1973 e membro da prestigiosa família Anoa'i. Ele faleceu em 4 de dezembro de 2009. por ataque cardíaco causado por efeito combinado de medicamentos. Na WWE, ele foi mais conhecido como Jamal, ou como Umaga.

Sua carreira como wrestler começou em 1995, depois de treinar na Wild Samoan Pro Wrestling Center, dirigida por seus tios. Ele começou a trabalhar na empresa do tio Afa, World Xtreme Wrestling. Além disso, ele começou a trabalhar ao lado de seu primo, Matt Anoa'i (Rosey), no antigo território de desenvolvimento da WWF, a Heartland Wrestling Association, além de passarem por companhias independentes, onde conseguiram títulos juntos.

O que ele fez na WWE? - Sob o ringname Jamal, ele fez uma primeira passagem na WWE em 2002, juntamente com Rosey, formando a dupla 3-Minute Warning, que estava sob comendo do GM do Raw, Eric Bischoff, confrontando vários talentos na WWE a mando de seu chefe, como Goldberg, Jeff Hardy, e até mesmo algumas lendas. Entretanto, a dupla durou pouco tempo, já que em junho de 2003, Jamal foi liberado da WWE, por causa de uma briga de bar.


Depois de ter sido liberado, Jamal passou uma temporada no Japão, mais exatamente no All Japan Pro Wrestling, onde ganhou títulos e honrarias na divisão de duplas ao lado de Taiyo Kea.

Não demorou muito até ele voltar à WWE, em dezembro de 2005 para disputar dark matches em dupla. A ideia era que ele se reunisse com Rosey, para a volta do 3-Minute Warning. Mas com a saída de Rosey antes mesmo do retorno do time, uma renovação foi necessária para Eddie Fatu.

E dessa forma, Jamal se foi, para que Umaga fosse criado, em abril de 2006, um selvagem samoano que apenas Armando Estrada, seu manager, poderia controlar. Com esta gimmick, Umaga destruiu vários jobbers durante os eventos semanais e chegou a despachar ninguém menos do que Ric Flair no Backlash de 2006.


Isso o credenciou a rivalidades mais importantes e até à perseguições ao WWE Championship. Ele já tinha ganhado combates contra wrestlers como Triple H, John Cena e Shawn Michaels. Mas sua rivalidade seguinte veio contra Kane, que o atacou no SummerSlam de 2006, onde Umaga deveria ser um dos apoiadores de Vince e Shane McMahon contra a D-Generation X.

Depois de dois meses de rivalidade, Umaga venceu Kane em um Loser Leaves Raw Match, mandando-o para fora da brand, e posteriormente, no Cyber Sunday, eles se enfrentaram para uma nova vitória de Umaga.

Em seguida, ele foi elevado a posição de primeiro desafiante pelo WWE Championship, nas mãos do então campeão John Cena. No New Year's Revolution em janeiro de 2007, Cena acabou com o tabu que Umaga havia imposto na WWE, de nunca ter sofrido derrota via pinfall (ele sofreu duas derrotas por DQ, e um double count out).

Pelo resto do mês, o manager de Umaga, Estrada, tratou a vitória de Cena como um golpe de sorte, até a próxima luta entre ambos, uma Last Man Standing Match no Royal Rumble. Antes do combate, Umaga atacou Cena, para lhe causar uma lesão, segundo a storyline. Cena recusou-se a fazer os testes médicos que poderiam lhe obrigar a desistir do título, e lutou lesionado, segundo o kayfabe, para a vitória no Royal Rumble, fazendo Umaga perder mais uma chance.


Depois de sair da disputa pelo título principal, Umaga ganhou a chance de disputar o Intercontinental Championship contra Jeff Hardy, depois de ser escolhido por Vince McMahon como seu representante, no "Battle of the Billionaires", envolvendo Donald Trump e o representante deste, Bobby Lashley.

Umaga disputou o título e o venceu, conseguindo então o seu primeiro reinado na WWE. Na WrestleMania 23, ele perdeu para Bobby Lashley, o que fez com que Vince tivesse sua cabeça raspada. Entretanto, a rivalidade entre Lashley e Umaga continuou, com este último tendo apoio dos McMahon. Duas semanas depois da WrestleMania, Umaga perdeu o título para um fã no público, um wrestler plantado chamado Santino Marella. Este, foi ajudado por Bobby Lashley.

Isso fez com que a feud Lashley vs Umaga & McMahons esquentasse, e no Backlash, com uma 3 on 1 Handicap Match, Bobby perdeu seu título da ECW para Vince McMahon, ajudado por Shane McMahon e Umaga, voltando a pegar seu título de volta apenas na One Night Stand.

Com isso, Umaga voltou a rivalizar com Santino Marella, conseguindo seu título intercontinental de volta, em julho de 2007. Posteriormente, ele iniciou um face turn, quando começou a se unir com John Cena, para confrontarem Randy Orton e Carlito. Ele defendeu sucessivamente seu título contra oponentes como Carlito e Mr. Kennedy. E rapidamente, tornou-se heel mais uma vez ao atacar Jeff Hardy, que estava retornando no fim de agosto. Uma semana depois, em setembro, no Raw, ele perdeu o seu título para Jeff.

Uma rápida rivalidade contra Triple H foi iniciada, e que eventualmente se tornou em uma perseguição ao WWE Championship no momento em que Triple H conquistou o título, e teria uma luta com Umaga, posteriormente. Mas Umaga perdeu a luta, além de sofrer mais uma derrota na Survivor Series, com seu time, contra o time de HHH. Ele ainda saiu de uma feud com Batista por baixo na WrestleMania 24, além de perder para Jeff Hardy no One Night Stand mais tarde.

Depois de ser enviada para o SmackDown em junho de 2008, ele participou de pequenas storylines. A sua participação final, foi uma rivalidade com CM Punk, que terminou com a derrota de Umaga no Extreme Rules de 2009. Em junho daquele ano, Umaga foi liberado pela WWE, pela violação da política de bem estar na WWE. Era a sua segunda violação, porém a sua falta de cooperação para entrar em rehab fez com que ele fosse dispensado pela empresa.

Depois disso, ele passou a fazer parte do circuito independente, até um mês antes de sua morte. Eddie Fatu morreu aos 36 anos.

Ele poderia ter feito mais na WWE? - Acredito que Umaga está em uma boa posição, por aquilo que ele produziu, e pelos seus próprios atos dentro da WWE. Ele ajudou a mover rivalidades importantes, entre os main-eventers da WWE, mesmo sem nunca ter conseguido os títulos principais da empresa. Entretanto, creio que ele poderia ter feito um pouco mais entre as duplas.

Dessa forma, vamos às melhores características desse wrestler:

  • Família de wrestlers: Não adianta, a linhagem de um wrestler conta muito em várias empresas, principalmente na WWE. O fato dele ser pertencente aos Anoa'i, foi um grande trunfo para Umaga, além de lhe oferecer facilidades para treinar.
  • Físico convincente: Apesar de um pouco menor que outros chamados "monstros" na WWE, ele tinha o físico suficiente para se tornar também um, e de uma maneira original, como um selvagem indígena. Dessa forma, ele pôde interpretar um papel importante para impulsionar os maiores astros da empresa, e ser um oponente à altura deles.
  • Formação na WWE: Essa é uma característica que não concordo muito, mas que, na maioria das vezes, faz sentido para a WWE. Quanto menor o background que um wrestler tiver, melhor ele pode ser moldado pela empresa. Além disso, ele tinha o treino inicial dos Anoa'i, que de certa forma, já estavam inseridos no know-how da WWE. Então, alterar aspectos de Eddie Fatu não foi tão difícil para os McMahon, visto que parte do começo de sua carreira se deu nos territórios de desenvolvimento da empresa.
Dessa forma, vimos que Eddie Fatu fez um belo nome e uma bela carreira. Provavelmente, deve se juntar a alguns de seus parentes, ao Hall of Fame da WWE algum dia, mesmo que o seu fim na empresa não tenha sido tão belo. Seria legal ver um reconhecimento desses por parte de Vince e seus subordinados diretos.

Assim acabo mais um Forgotten Superstars, meus amigos! Não se esqueçam de comentar e deixar suas impressões, como sempre.

Um grande abraço!


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Enviar um comentário

O blog tem os comentários abertos a todos aqueles que gostem de wrestling e o queiram discutir com responsabilidade e sobretudo de maneira construtiva.

Não são permitidos insultos pessoais entre leitores, bem como a autores do blog. Não é permitido spam. Qualquer comentário fora do contexto, fica a cargo da administração a decisão da sua permanência.

5 comentário(s):

sandro castanho disse...

uma gloriosa carreira

vitor oliveira disse...

Aproveitando de seu grande retorno, o próximo artigo pode ser sobre Shane McMahon

Anónimo disse...

Se ele estivesse vivo e no roster de hoje, ele poderia ter sido facilmente World Champion pelo menos uma vez.

Diego Meira disse...

Umaga realmente fez uma bela impressão em sua carreira na WWE, e será lembrado como uma grande besta destruidora. Mas esperava q ele pudesse ter alcançado um título mundial enquanto ainda vivo.

Julio Rangel disse...

só acho q faltou uma rivalidade com Undertaker, acho que os dois teriam bastante quimica