terça-feira, 8 de março de 2016

DezTaques da Semana (28.02.2016 - 05.03.2016)

Gostou deste artigo? Então clique nos botões ao lado para o curtir! Se assim o desejar, deixe-nos um comentário no fim que nós e os visitantes agradecemos!





Começa mais uma semana, tempo de recordar a anterior. O Sol já se pôs? Há algum tempo. Mas não ia deixar passar uma semana em branco devido a questões alheias. Há wrestling a recordar! Tanta companhia a dar-nos coisas boas, medíocres, mázinhas. É sempre assim e nós gostamos tanto, sempre. Faz parte. Mas deixemo-nos de conversa e recordemos dez desculpas de falatório da semana:

10 - É milagre!


Por razões de bom desportivismo e por questões éticas e correctas, vamos considerar que o tal milagre foi apenas uma mão cheia de calções. E a presença da Maria. Mas isso, para qualquer um de nós, ter a presença da Maria Kanellis, tinha que ser um autêntico milagre capaz de tornar qualquer um crente. Todos estes rodeios são para me referir ao esperado e promovido combate que resolve os problemas entre Drew Galloway e o "milagre" recém-chegado Mike Bennett, que até se tem mostrado uma aquisição jeitosa. São dois grandes atletas e levavam heat para constituir um combate. Mas já se sabe qual é a laia do Bennett e sabia-se que algo ia dar para o torto quando ele se visse à rasca. E torto estava ele quando Galloway o tinha preso no "Iron Maiden" e já não tinha grande saída. Lá está, valeu-lhe o milagre Kanellis desenrascar e puxar-lhe um pé para a corda para o salvar. Tudo isso uma distracção e não tardava nada até que Bennett encontrasse a sua aberta para um Roll-up com tecido a ajudar. Bennet vence e mostra que realmente se deve ter cuidado com ele...

Nota: Mas também a Maria pôde fazer das suas próprias asneiras. E a sua asneira foi provocar Gail Kim quando o que esta queria mesmo era distorcer-lhe um pouco a cara bonita à soco. Maria foi comparar-se a ela e às suas presenças na mídia exterior, mencionando feitos como a Playboy e largando uma das possíveis maiores bombas de heat: o seu contacto com Donald Trump no reality show "The Apprentice". Muito palavreado mas na hora, o que lhe restava era fugir... E a Jade. Com a vitória no Lockdown, Jade acha-se no direito de ir atrás do Knockouts Championship. E como melhor lutadora na divisão de Knockouts, a par com Kim, para além de uma questão de direito, também é de lógica...

9 - Mas quem ganha, afinal?


Seria o dia da grande decisão. Já estava anunciado que seria neste Raw que se decidiria entre as amigas-mas-não-amigas Sasha Banks e Becky Lynch quem é a digna de enfrentar Charlotte pelo Divas Championship. Visto que a Paige deve ter aprontado alguma, a Natalya mantêm-na pregada na cepa torta, a Bayley ainda está no NXT e é para fazermos de conta que a Emma não aconteceu ainda... Quem mais é que merece, realmente? E com isso também se garantia um bom combate, mesmo que já soubessemos que não seria tão bom como o que elas já fizeram antes. Com Charlotte e o pai a ver de perto, deram o tal combate de qualidade suficiente para chegar a um fim que também prevíamos. Como vemos ambas como dignas de disputar o título na Wrestlemania, esperávamos as duas a competir pelo título. Uma contagem dupla? Isso é chato, aparentemente. O melhor mesmo era optar por um pin duplo, com um posicionamento de corpos muito estratégico que permitiu que ambas sofressem o pin. Ambas ganham, ambas perdem? Ninguém ganha, ninguém perde? Instala-se a confusão e uma estranha e também confusa satisfação de Charlotte, mas esta anuncia que no Smackdown teriam uma nova oportunidade para decidir qual a melhor e quem partiria para a Wrestlemania. Tinha que ser desta! Ou então a Charlotte estava disposta a não o permitir, atacando ambas após uma hilariante distracção de Ric Flair. A dupla desqualificação ajudou Charlotte a transmitir a ideia de que nenhuma das duas merecia enfrentá-la. Teve que ser a Renee Young a avisá-la que - após terem que matutar tanto - seriam as duas recompensadas e ela defenderia o cinto na Wrestlemania numa Triple Threat! Ninguém via isso a acontecer!

Nota: Para aqueles que pausaram e olharam para a imagem do duplo pin delas por muito tempo. Depravados! Saiam do meu post!
Nota2: Todos confusos, os comentadores a perguntar o que se faria... E o público a cantar "Triple Threat". O público já está a servir de spoiler e a deixá-los mal vistos em dois sentidos: a) eles são muito lentos a processar. b) até os fãs são bookers mais directos e despachados que eles.
Nota3: Entretanto mais coisas acontecem e parece que se desenvolve uma rivalidade à volta de laços familiares e matrimoniais entre... Brie Bella e Lana? Confesso temer um pouco o que isto possa vir a dar. Para já, Lana gosta de mandar bocas ao casamento com Daniel Bryan e de assistir sorridente à Bella a perder, como aconteceu neste Raw para Naomi. A Wrestlemania está perto... E é isso que me assusta!
Nota4: Dou crédito onde é devido: Ric Flair a ser Flair à volta da Sasha e da Becky caídas é um dos grandes momentos da semana!

8 - Y2AJ para a frente!


Parece que a coisa é para levar a sério e a conversa é com os New Day, que detêm os Tag Team Championships. O trio lá estava com um acto dos seus, o que provocou esta aliança "Y2AJ" a desafiá-los. Já não existem os desentendimentos que outrora já existiram entre Styles e Jericho quando formavam equipa, existindo agora mais respeito (ainda) e cooperação. Ainda para mais com um inimigo e um objectivo em comum como os New Day. Daí que este combate fluísse melhor para os dois veteranos e os normalmente dominantes Campeões já se vissem mais à rasca. Demasiado à rasca. Na derradeira rasca quando Kofi Kingston se encontrou preso no Walls of Jericho que o obrigou a desistir e colocou esta nova equipa na frente da fila. Foi o próprio AJ Styles que trouxe o assunto à baila e desafiou-os para um campeonato... Já no próximo Raw! Pressas! E parece que é isso que vai para a frente, Tag Team Championships a ser defendidos no próximo Monday Night Raw contra os novos... Y2AJ - é, não sou grande adepto do nome para estar a repeti-lo tantas vezes.

Nota: Não estou sozinho na ideia de que Y2AJ é uma boa equipa, uma boa junção, mas que não queira que ande assim muito para a frente. Dá uma equipa muito boa mas não vejo isso como o que há de maior interesse para fazer com AJ Styles.
Nota2: Entretanto os New Day continuam o serviço de gozo com a League of Nations. Com vídeos online cómicos, constrói-se talvez uma feud como tweeners com a stable internacional. Apesar de ainda não me tirar a ideia da continuaçãod a tradição do combate com equipas múltiplas na Wrestlemania...
Nota3: Uma notinha sobre o Smackdown como é habitual fazê-lo à parte quando não é lá que decidem desenvolver grande coisa: uma vitória convincente de AJ Styles sobre Kofi Kingston.

7 - The greatest debut that ever lived!


Como é que uma estreia vive? Lá o raio do título que eu fui arranjar. O que importa é a menção e não há como ignorar este acontecimento no NXT desta semana, que já nos tinha sido noticiado até pelos próprios: Austin Aries chega à WWE, finalmente dando a sua graça no consagrado ringue do NXT que já tanto bom nome vai ali acumulando. Com um currículo riquíssimo - mas que eles não mencionarão porque já sabemos o que a casa gasta - e com títulos Mundiais no currículo, Austin Aries é mais uma adição de peso. Adorado pelos fãs. Típico Superstar que Baron Corbin não suporta. E fez-se sentir, atacando o "Greatest Man That Ever Lived" ainda nem ele tinha chegado ao ringue e estava a absorver aquele amor todo da plateia. Corbin transmite as mensagens que quer: uma para Aries, a mandá-lo voltar para o lugar de onde veio; Outra para William Regal que o "ignorava" enquanto se ocupava e entusiasmava com uma tal nova aquisição. É claro que Austin Aries não vai deixar as coisas ficar assim e ripostará. E nós vamos adorar vê-lo de volta a um ringue!

Nota: Dá para alinhar as coisas e desenvolver as histórias ao ponto de termos aquele tão irónico Austin Aries vs Samoa Joe? E umas subidas ao main roster, quem soltará uma risada quando vir um título a ser disputado entre AJ Styles, Austin Aries e Samoa Joe. O surrealismo na WWE ficou todo guardado para 2016! E é bem-vindo!

6 - Mais um para o Angle


Está quase a acabar. Penúltimo combate na digressão de despedida do Impact Wrestling de Kurt Angle. E começam a subir as emoções e a ser expostas e exploradas cada vez mais. Este é já com um velho rival com quem já vimos imensas e estupendas disputas: Bobby Roode. A qualidade é garantida. Mas Angle quer sair com um "Bang!" e tem que elevar a fasquia dos seus combates. E está em boa companhia. Espectáculo. Com um trimestre a entrar na sua derradeira fase, acho que já posso afirmar que é o melhor combate do ano, para já, na TNA. Foi um tal de construção progressiva de combate, culminando naquelas deliciosas inversões e contra-ataques técnicos que muitos querem fazer mas ainda só sabem e conseguem olhar. No final, já eles tinham tentado as suas submissões no outro, de todas as formas e feitios, mas Angle levou a melhor e fez Roode desistir com o Ankle Lock. Como disse, com o fim a aproximar-se, começam a vir aquelas emoções e foi tempo de agradecimentos emotivos da parte de Roode e James Storm, que decidiu juntar-se à festa. E já que se chegava aqui, Angle aproveita para deixar um endosso e pedir o tal combate de sonho entre os Beer Money e os Wolves... Que também se juntam e trazem as suas palavras de gratidão ao medalhista. Clima de amizade e respeito em ringue. Um "feel good moment", também são bons esses, não pode ser só porrada. E sabendo os azedumes que estavam por resolver nessa mesma edição do Impact Wrestling, até que foi bom começar desta maneira: excelente acção e boa onda logo a seguir!

5 - Digno


Na história, era um mero teste para o NXT Champion, provar-se frente a um ex-NXT Champion, um dos melhores da ainda crescente história do espaço e do cinto, o do maior reinado. Neville seria um desafio à integridade de Finn Bálor como Campeão. Para nós e no papel era um espectacular combate. Perfeita junção de atletas e era aquele doce que cai bem de vez em quando, de não ser um combate com história para se encher de heat e psicologia. Apenas dois grandes performers a dar um grande combate, fazem bem destes. E esses dois grandes performers eram simplesmente o próximo "big thing" - desculpa, Lesnar - Bálor e o sempre subvalorizado Neville. Voou.se, trocou-se patadas, provas de força, de técnica, tudo. Deu para deliciar. E o desafio era para Bálor e Neville era o que não levava algo a perder. Logo foi Bálor quem cumpriu a sua obrigação e saiu vencedor. Mas não foi fácil, foi uma disputa balançada como devia ser. O cumprimento e respeito mútuo que marcou o final também foi bom de se ver. Agradecemos este "treat" e siga agora para a próxima rivalidade!

Nota: O grande teste de Bálor ser um gajo que não atam nem desatam na "Liga Grande"... É que estraga um bocado a pintura.
Nota2: Dêem lá um medalhão para o Neville pelo sell ao "Pele Kick"!
Nota3: Quem devia estar a ver em algum ecrã, de esguelha, a preparar-se para a próxima semana eram Samoa Joe e Sami Zayn, que têm encontro marcado na próxima semana para definir, finalmente, quem enfrentará Finn pelo título. Será que é desta, num 2 out of 3 Falls?

4 - Campeões ocupados no templo


Duas situações. Na primeira, envolve o próprio Lucha Underground Champion. Que por acaso nem devia estar ocupado. Mas queria. O verdadeiro assunto a resolver era entre Prince Puma e Pentagon Jr. que não ficaram propriamente melhores amigos desde a última vez que se encontraram. Só porque se tentou partir um braço ou dois. O combate lá se desenrolou mas não deu para ninguém saborear uma vitória autêntica. Mil Muertes quis envolver-se. Livrou-se do que lhe limitava a mobilidade no braço lesionado por Pentagon e atacou ambos os competidores. Triple Threat pelo título? Triple Threat pelo título!
Mas o assunto de maior destaque e de fecho era o Gift of the Gods Championship que King Cuerno disputava contra Fénix num Ladder. E já podem preparar as compilações de highlights e o rascunho para a lista dos combates do final do ano. É que saiu daqui um combatão, se é que isso é uma palavra. Combate de causar saltos e de obrigar o Vampiro a sair da mesa de comentários para se juntar ao público. Muitoa boa administração entre a porrada velha de Cuerno a Fénix, a psicologia de uma rivalidade por um prémio mas também pessoal e aqueles spots fantásticos. Por momentos pareciam esquecer-se que havia uma escada por subir. Mas já depois de todo o caos, Fénix lembrou-se do objectivo e subiu a escada para recuperar o seu antigo título. Novo alvo? O também muito activo Mil Muertes!

Nota: King Cuerno com as mesmas indecisões que eu. O que usar na cabeça, um chapéu de cowboy ou a cabeça de um antílope?
Nota2: Fénix a ser aquele que protagoniza muitos dos meus combates favoritos aqui do templo. Curiosamente junta-se a Mil Muertes. Que já deram dos meus espectáculos favoritos juntos. Que venha mais!

3 - As verdadeiras cores?


Explicações por dar, revelações a fazer. Mas ninguém se queria redimir aqui. Quem tinha as explicações a dar estava bem convicto das suas crenças e tinha o seu caso a apresentar. Rockstar Spud. O homem que traiu o seu antigo amigo, EC3, no combate pelo TNA World Heavyweight Championship, na mesma noite em que este se redimiu e lhe agradeceu por uma anterior ajuda. Como justificaria ele essa traição e aliança a Matt Hardy? Expôs o seu caso e tinha os seus pontos de razão. EC3 aprontou-lhe muitas difícies de perdoar. Logo Spud torna-se nele... Para dar a provar um pouco do seu próprio remédio. Matt Hardy apoiou. Ethan Carter reagiu. Desafiou Spud para o final dessa noite, não para um combate mas sim para uma briga, uma rixa... Para andar à porrada à moda antiga. Sem árbitros, sem pins, sem submissões, quando achasse que chegasse. Spud encheu-se de vigor e aceitou o desafio... Porque tinha um plano... Que saiu pela culatra quando EC3 prendeu Tyrus e Matt Hardy num camião quando estes tentaram atacar. Não há ajudas, Spud. Vais levar. E levou. Rixa em que todos brincaram mas na qual o ex-Campeão levou a melhor. Spud por mesa dentro e a ser estrangulado até obrigar árbitros a interferir. Uma mensagem para Spud, para Hardy, para todos. E um segmento do caraças.

Nota: Um contar de história simples mas muito eficaz: Matt Hardy rouba e apodera-se de tudo o que EC3 tinha e este ganha a simpatia do povo. Nem é preciso muito mais que isto.
Nota2: Volto a confessar que estava um pouco relutante em relação à Heel Turn a Rockstar Spud, estrela tão fácil de gostar e de apoiar e que é um underdog natural perfeito. Mas acontece algo que eu até já sabia. Spud é excelente e desempenha qualquer coisa. Esta nova personalidade está a assentar-lhe bem e ele tem sido impecável a trabalhá-la. O meu único problema, então? Já não há mais fatos flamejantes e lacinhos!
Nota3: Não querem deixar o Tyrus preso num camião mais vezes?

2 - Dead Man arrives! Kinda


Que não tenham pestanejado. Muito hype à volta de um retorno de Undertaker, de uma aparição sua no Raw. Que realmente aconteceu mas ele deve ter deixado o forno aceso em casa, uma torneira aberta ou a Michelle McCool mandou-lhe alguma mensagem marota antes de ele se dirigir ao ringue. É que ele estava com muita pressa. E não adiantou muito em relação à história. Enquanto se esperava e procurava que se saciasse a curiosidade em saber se ele realmente lutaria do lado de Vince McMahon contra o seu filho, de boa vontade, ele vira-se ao velho mas para lhe dizer que o sangue do filho estaria nas mãos de Vince e não nas suas. Nem é uma má frase, até pelo contrário, adequa-se ao Undertaker e leva uma boa mística críptica. Mas nem todos queriam enigmas por esta altura. E foi tudo o que fez numa tão rápida aparição que, bem à moda do Dead Man, levou mais tempo na entrada. Deu para o Vince manchar os interiores também.

Nota: É à vez. Shane anunciado para o próximo Raw. Adorava que ele fosse lá, entrasse, fizesse a sua dança de assinatura e fosse embora.
Nota2: Mas existe mais atenção à volta dos McMahons. Nunca é demais para eles. Nem suficiente. Logo Stephanie McMahon teve que dar o seu discurso de aceitação do tão prestigoso prémio. Mas já bem sabia ela que não a iam deixar falar. Decidiu virar a casa ao contrário - literalmente mesmo que em escala pequena - e mandou todas as postas que tinha a mandar ao irmão. Foi uma boa promo, ela sabe o que fazer com o microfone. Mas, para além de ser uma daquelas promos inconvenientes em que se encontra razão num vilão, também não parece ser das mais necessárias. E tresandou a ribalta sobre a Stephanie porque sim.

1 - Partam-no ao meio... Ele volta!


É como funciona Dean Ambrose. Completamente destruído por Brock Lesnar a semana passada, nada o incomodou. Estava na arena esta semana e não estava com paciência para mais uma promo de meia hora de Triple H porque ele é um mero ser humano como todos nós. Mas estava a ouvi-lo porque pôde pegar no que ele estava a dizer em relação a desafiar a autoridade. Era o que ele estava a fazer. E ia mais longe. Desafiar a autoridade... A defender o título! Triple H, sabendo que tinha um show para preencher e um fecho por marcar, deu-lhe um combate contra Alberto Del Rio para se entreter e então depois dizia-lhe se aceitava o desafio ou não. O combate aconteceu e teve aquele típico desfecho com a restante League of Nations a não deixar o encontro ver um fim concreto. Atacaram Ambrose e permitiram a Triple H responder com mais calma que aceitava. Ambrose, como o autêntico Ambrose que ele é, usa todas as forças que lhe restam para... Agradecer. E o tom com que o fez mexeu com Triple H que partiu para mais uma sova, sua nova actividade semanal. O combate ficou marcado para o WWE Roadblock, especial da WWE Network!
Uma sova destas seria suficiente para manter Ambrose de baixa por um bocado. Se calhar não, é o Ambrose. Veio para o Smackdown e falou, mesmo que sentado. Levou com Kevin Owens que o tentou surpreender, mas... Ambrose não é burro, via tudo no ecrã gigante. Tal marcou um combate para o main event porque um corpo humano foi feito para aguentar castigos. E não é que o raio do gajo acaba por ganhar! Vida dificultada para o sempre chateado Owens e para Ambrose também está... Mas não parece!

Nota: Querem Dean Ambrose vs Triple H? Então peguem lá Dean Ambrose vs Alberto Del Rio!
Nota2: Um combate que interessa aos fãs muito mais é o combate de preparação para o combate da Wrestlemania que interessa aos fãs muito menos. Mas ao menos acontece. Pronto, agendam as coisas bem. Só por ordens diferentes, mas pronto é um passinho...
Nota3: E Owens vai tendo coisas a atraplhá-lo. Parece que, depois da vitória por contagem contra Big Show no Smackdown anterior, ficou para o Raw um rematch... Vencido por Show da mesma forma! Mas está mesmo uma feud com Big Show a formar-se? Em direcção à Wrestlemania?
Nota4: Outra coisa que também se especula que esteja a ser construída para o título Intercontinental na Wrestlemania é o Miz a derrotar o Dolph Ziggler em segundos no Raw e vice-versa no Smackdown. Isso é suposto ser alguma coisa, de facto.

Outros acontecimentos de relevo:

- A League of Nations derrota os Lucha Dragons no Raw que, por sua vez, derrotam os Ascension no Main Event. Kalisto é United States Champion e é este todo o rumo que ele tem para a Wrestlemania, para já...

- E a League of Nations então... Envolvidos noutra história paralela, quando derrotam os Usos no Smackdown e abrem alas para os actuais rivais dos gémeos, os Dudleys. Já no Raw, Bubba Ray Dudley derrotara Jey Uso em competição singular e mostraram sinais de alguma hipocrisia. O derradeiro foi no Smackdown quando se equiparam com uma mesinha para confessar que talvez tenham mentido. Ainda vamos ver mesas a partir às custas deles, vamos.

- Ryback está lançado! Ou qualquer coisa. Vitórias sobre Adam Rose no Raw e Heath Slater no Main Event devem construir alguma coisa. Está mais agressivo? Parece que está. Há ideia do que fazer com ele? À vista, não...

- Vaudevillains continuam a usufruir da nova atitude. Vitória sobre os jobbers Hugo Knox e Tucker Knight e mensagem para os Hype Bros, que não parecem ter medo e querem entrar na brincadeira.

- Santana Garrett, anteriormente também já conhecida como Brittany na TNA, dá mais um ar da sua graça no NXT, dando muita luta mas não conseguindo sobrepôr-se a Emma. Relacionado com as Divas, Eva Marie e Nia Jax perdem o pio quando informadas de um belo par de adversárias que lhes calhou na rifa: Bayley e Asuka. Até engolem em seco.

- Ah, Elias Samson... Chegaremos alguma vez a saber se és realmente bom? Um "wanderer" que realmente só tem feito isso. Novo domínio sobre um jobber e mais cantiga. Quero ver o potencial dele, caramba!

- A coisa torna-se física no conflito entre Jimmy Havoc e Rosemary. Mas torna-se física com os protectores Decay que não acham piada às tentativas de reconquista dele. Combate Hardcore resolve tudo. Arame farpado também ajuda. Vitória de Abyss sobre Havoc após um Blackhole Slam na tábua de arame farpado. E não, a Rosemary não parece interessada em voltar para ti, amigo Havoc. É porque fizeste alguma...

- Eric Young e Bram continuam a ser o meu par de doidos favorito. Esta semana a desafiar algum durão Britânico e recebem resposta de Damo, popular lutador independente Inglês que me era desconhecido e sobre o qual posso vir a aprofundar daqui para a frente. Bom desempenho do "rookie" mas é EY, o King of the Mountain Champion, Deus, quem sai vencedor.

- Sexy Star tem competição feminina à altura no Lucha Underground. Perdeu para a recém-chegada Kobra Moon, que também não deixa ninguém indiferente. Mas é claro que o "Moth" - por falar em doidos, mais um dos bons - tinha que estar envolvido nisto...

- Silas Young a arriscar-se. Colocou a sua carreira na Ring of Honor em jogo contra os Boys, tendo o seu recente amigo Beer City Bruiser como parceiro. Era um risco mas ele até sabia o que estava a fazer. Venceu. E ainda bem. É daqueles gajos que mais se adora odiar.

- Uma coisa na qual não me tenho focado o suficiente, muito por culpa de nem sempre assistir à Ring of Honor pontualmente. O torneio "Top Prospect" à procura de uma nova estrela, que dispute o ROH TV Championship. Meias-finais a decorrer nesta edição. Lio Rush vence Punisher Martínez e avança e a oportunidade sorri a um veterano, com Brian Fury - mais uma vez não confundir com o durão Bryan Fury do Tekken - a derrotar Action Ortiz e a avançar.

- "Upset"? É que Matt Sydal derrotou Adam Cole e surpreendeu-me a mim, ao público e até a ele mesmo! Oportunidades mais altas para este talentoso high flyer?

A figura da semana: Rockstar Spud. A revelação do vilão. Mesmo saindo por baixo na briga, marcou o seu lugar e uma nova atitude que ainda dará que falar na Impact Zone.

O desaparecido: Mr. Anderson. Recordações, desvaneios e escritas de outros artigos me fizeram recordar Mr. Kennedy. Lembrei-me que gostava bem mais dele nessa altura. Comparei-o com o actual. Lembrei-me que nem sei onde raio está o actual. Assim até tenho saudades dele de qualquer maneira!

Classificação da semana: *** 1/2 Um Raw mediano, Road to Wrestlemania aos solavancos, NXT de qualidade, Impact Wrestling bastante sólido, convincente e, final e felizmente, memorável, Lucha Underground igual - apenas - a si mesmo. Semana sólida mas dentro dos normais. Deu para se desfrutar. Que se agitem mais todas as águas!

Está aqui a tal conclusão, onde se desenha a linha que fecha a minha palavra e abre a vossa em relação à semana que passou, ao que aqui se destacou dela, ao que não se destacou, ao que vocês acham. Com ou sem favoritismos, algo ao qual não olho, apesar da palavra popular. Tudo é aceite nas vossas reacções e são sempre bem-vindos, espero que tenham gostado. Que seja mais cedinho, mas na próxima semana estou cá outra vez, é o meu objectivo. Espero que me recebam e que se portem bem até lá. Fiquem bem e continuação de uma boa Road to Wrestlemania!

Cumprimentos,
Chris JRM

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Enviar um comentário

O blog tem os comentários abertos a todos aqueles que gostem de wrestling e o queiram discutir com responsabilidade e sobretudo de maneira construtiva.

Não são permitidos insultos pessoais entre leitores, bem como a autores do blog. Não é permitido spam. Qualquer comentário fora do contexto, fica a cargo da administração a decisão da sua permanência.

7 comentário(s):

Manuel Victor Victor disse...

A 1 e 2 posição podia ser TNA em 2 e WWE em 1 tirando isso falou bem dos 3 principais show de wrestling.

Anónimo disse...

sim, de facto a TNA esteve bem melhor que a WWE esta semana.

Mas o chris é um conhecido fan de WWE por isso esquece: todas as semanas vais ver os mesmos no primeiro lugar...independentemente da qualidade que (não) apresentam.

Manuel Victor Victor disse...

Sim mais ele tem que ser imparcial deixa o fanatismo dele de lado e ser justo

Anónimo disse...

- Santana Garrett, anteriormente também já conhecida como Brittany na TNA, dá mais um ar da sua graça no NXT, dando muita luta mas não conseguindo sobrepôr-se a Emma. Relacionado com as Divas, Eva Marie e Nia Jax perdem o pio quando informadas de um belo par de adversárias que lhes calhou na rifa: Bayley e Asuka. Até engolem em seco.

Santana Garrett faz parte da Season 2 da WOW Superheroes também.

https://www.youtube.com/watch?v=V9CYxTVFZro

A WOW tem mais characters do que a WWE atual. lol!

Beach Patrol >>>>>>>>>>>>>>>>>>> All!

Anónimo disse...

santana foi uma grande perda da TNA....muito mau jogado, a meu ver:

bem boa no ringue (superior a velvet, por exemplo) e estava a começar a melhorar cada vez mais e mais no mic e na psicologia de ringue.


Anónimo disse...

Eu concordo sobre a perda da Santana. Gosto da evolução do trabalho dela. A TNA também perdeu a Ivelisse no Gut Check e agora está brilhando no Lucha Underground.

vitor oliveira disse...

Excelente edição