segunda-feira, 28 de março de 2016

DezTaques da Semana (20.03.2016 - 26.03.2016)

Gostou deste artigo? Então clique nos botões ao lado para o curtir! Se assim o desejar, deixe-nos um comentário no fim que nós e os visitantes agradecemos!



As boas-vindas a mais uma edição do DezTaques da Semana. Já cheira a Wrestlemania e por outros lados também não querem deixar a fasquia cair. Isso normalmente é bom sinal. É sinal que acontece muita coisa para destacar aqui. Sem mais prolongamentos e rodeios, avancemos para o que interessa:

10 - Esta gente cansa um gajo...


Não sei o que vai sair do combate na Wrestlemania. Mas a história para o Hell in a Cell entre Undertaker e Shane McMahon tem que ser das coisas em qualquer ponta de sentido. Neste último Raw, deram a última martelada no último prego, a garantir que na Wrestlemania não se saiba por quem raio torcer. Shane McMahon veio com boas falas para convencer o público de que podia mudar o rumo do Raw e livrar-nos da Authority. Temos por quem torcer! Isto é, até se apresentar que o seu adversário, sem precedentes, é Undertaker, um dos favoritos de sempre do povo. Terá que se torcer contra Undertaker ou a favor da Authority, porque é esse o lado em que 'Taker está, mesmo que ele o negue e pareça estar contra Vince. Mas faz-lhe as vontade, como a "bitch dele", que Shane anunciou. Undertaker é pau mandado de Vince mas nega-o, apresentando-se mais como um pau mandado de sabe-se lá quem, já que tem zero razões para ir atrás de Shane O'Mac e desmembrá-lo num Hell in a Cell, quando ele nem sequer andava lá perto há anos sequer. Já há aqui qualquer coisa perto de uma banhada. O "DezTaque" aqui vai para o anúncio de Vince que já dá um propósito a Undertaker que o mova - sim, agora, à última da hora. Que é a sua retirada. Undertaker perde e acabou-se, sua última Mania. Que é algo pelo qual já esperámos há muito tempo e é aceitável, mas duvido que muitos queiram ver a sua reforma forçada por Shane McMahon num palco onde dominou durante toda a sua carreira! Assim ficamos. Ou torcemos para o fim trágico de Undertaker ou para que a Authority permaneça, tudo fique igual e isto seja o mais "pointless" que podiam arranjar. E isto num combate onde nem sabemos o que vai sair daí e parece que só estamos todos à espera de um tremendo bump. Como disse, um gajo até se cansa a esmiuçar isto tudo!

Nota: Agora uma coisa é certa, todos os cestos de fruta para os malditos editores e produtores que fazem as montagens com as imagens e as entrevistas. Sai sempre genial e vendem mesmo isto como um combate épico de uma era!
Nota2: Mesmo procurando os positivos disto, anulam-se facilmente? É fácil prever o resultado? Não, nem por isso. Há curiosidade em saber o que sairá daqui? Com certeza, venha de lá o desfecho. Passava-se melhor com qualquer outro combate ou história na vez deste? Posso afirmar que sim.
Nota3: E diz-se por aí que andam a preparar aberturas novas para os programas, com lutadores exclusivos para cada uma, sugerindo um aguardado retorno da "brand split". Nada confirmado, claro, mas... Assim é mesmo suposto estarmos a torcer contra Undertaker?

9 - Prontíssima


Asuka tinha um bom desafio antes do seu derradeiro desafio no Takeover, contra Bayley, pelo NXT Women's Championship. Sim, temos que assumir que a Asuka também tem desafios, mesmo que seja uma máquina de destruição. A sua derradeira paragem antes do Takeover seria Emma, outra talentosa que ela conhece bem após um anterior combate equilibrado e de qualidade elevada. A ideia é de que Emma vinha bem mais preparada desta vez. E assim parecia. Duas atletas que voltaram a não desiludir no seu encontro e deram um main event digno. Claro que uma ainda lá está para ser dominante e com um propósito de sair forte. Asuka vence mas essa sua batalha não foi nenhum passeio no parque. Talvez Emma não estivesse ainda suficientemente pronta. Olha, a Asuka é que parece!

Nota: E parece que se lembraram mesmo de Emma lá "encima" para a equopa das não Total Divas, em vez de ter que ser o resto do povo a lembrar-se dela, nem que fosse para lhe atribuir uma das prestigiosas medalhas de "lutadores/as mais underrated do plantel"!
Nota2: Mais meninas deram ao litro no NXT e Alexa Bliss continua a mostrar aos seus macacos de serviço, Blake e Murphy, ex-Campeões de Tag Team do NXT, como se vencem combates. Dominou e vitimizou Sarah Dobson - Crazy Mary Dobson para os amigos.

8 - Reunião de Bros!


Beer Money de mãos ocupadas. Mas não é isso que os impede de ainda abrir portas a novos candidatos e surpresas! Já com um pé numa rivalidade com os Decay - que tentaram ajustar ou desajustar mais as contas com Eddie Edwards nesta edição - ainda fazem uma "open challenge" para quem quiser testar o reinado dos Beer Money retornados e reformados e a ver se o encurta. O pouco aparecido Robbie E responde e anuncia uma importante reunião com alguém com quem trocou recentes azedumes mas, aparentemente, não consegue ficar chateado com ele por muito tempo. Adoram-se. Jessie Godderz e Robbie E reúnem-se, trazendo-nos de volta os Bro Mans! Tag Team retornada, tenta um regresso em grande mas não consegue triunfar contra os Tag Team Champions Bobby Roode e James Storm. Não deixou de ser um combate jeitoso. E uma reunião que se pode aproveitar.

Nota: A enumeração de equipas possíveis. James Storm sugere os America's Most Wanted. Storm competir contra ele mesmo seria apenas a segunda coisa mais peculiar nisso. O maior seria o regresso do "Wildcat", o nosso grande Braden Walker a voltar a casa!
Nota2: Na enumeração e na piada de competir contra ele mesmo, Storm omitiu a sua equipa com Gunner, com quem chegou a ser Campeão. Nem ele se lembra que isso já existiu. E nem me refiro à equipa, refiro-me ao Gunner mesmo.
Nota3: Aceito bem o regresso dos Bro Mans, já gostava deles a meio do seu trajecto. No entanto, não é uma adição à divisão. Com Godderz a juntar-se a Robbie, deixa o Eli Drake por sua conta... O que nem o prejudica!

7 - Y2Jackass!


Ainda devem ecoar na nossa cabeça aqueles cânticos de Jericho por AJ Styles que ele utilizou para gozar com ele no passado Smackdown. Aqui sei que ecoam porque já ecoaram por aqui e fizeram virar algumas cabeças cá em casa, em estranheza, a perguntar que raio se passava. Pouco mais podia responder além de "É o Jericho". E é. É o Jericho. Que veio com a mesma cantiga esta semana no Raw para desconcentrar AJ Styles e custar-lhe o combate com Kevin Owens. Mas o "Redneck Rookie" não ia ficar parado. Num rematch de duas Wrestlemanias atrás, Chris Jericho enfrenta Fandango - Ah, pois é! - e Styles irrompe a meio do combate com um lento cântico de "Y2Jackass" que quase desconcentra Jericho. Chega a desconcentrar, mas não o suficiente e Y2J ainda vence. Styles justifica os cânticos do seu nome e lança desafio para a Wrestlemania. Jericho nega. Também negou da última vez. Já sabemos como ele é!

Nota: Os cânticos do AJ Styles eram demasiado lentos e difíceis de acompanhar. Como se estivesse a fazê-los em câmara lenta. Ou a relatar um embate entre o Mark Henry e o Braun Strowman.
Nota2: Styles, já sabes fazer trocadilhos parvos e juvenis e apontar para o placar da Wrestlemania. Vês como te adaptas rápido? Já estás em casa, pá!
Nota3: Jericho grita aos comentadores que nunca perdeu para o Fandango na Wrestlemania. Eu até estou bem com isso, mas sei que não és o único a negar isso, rapaz...
Nota4: Jericho grita "You idiot" repetidamente a Fandango. Ele disse que ele era de Toronto, ou assim?
Nota5: Jericho sabe bem como se proteger de ameaças. Sempre que se sentirem vulneráveis e em risco, utilizem um homem da staff sorridente como escudo!
Nota6: Aquecimento fácil para AJ Styles no Smackdown, ao derrotar Tyler Breeze. Pena que tenha que dizer isso assim...

6 - Elimina o que não interessa!


É assim Samoa Joe. Homem de pouquíssimas palavras, é o que ele aparentava ser na entrevista do backstage. No momento em que o público do NXT ia assistir ao combate mais "pointless" que alguém lhes podia apresentar, entre Danny Burch e Bull Dempsey... Samoa Joe concorda e acha que não há qualquer razão para esse combate e dá uma carga de lenha a cada um. Aí já se serve de palavras e manda a mensagem que tem a mandar, sem necessitar de microfone, apenas de uma câmara e de atenção sobre ele. O alvo? Claro que era o seu adversário do próximo Takeover, o NXT Champion Finn Bálor. Era aproveitar logo que ele tinha uma noite ocupada, ao derrotar o popular e muito talentoso Rich Swann. Bem bom, esse combate. E Samoa Joe com uma intensidade a prometer que é apenas uma amostra do que virá no Takeover deste fim-de-semana...

Nota: Quanto ao combate que se viu cancelado? O povo agradeceu...
Nota2: Só para ter a certeza, o grupo onde me insiro, de povo que quer ver o Rich Swann a ficar e a crescer é extenso, não é?

5 - Mete-se com todos, leva de todos


Caramba, que tremendo combate que abriu o Raw. Kevin Owens e AJ Styles dão aquele show de calibre de PPV para abrir a acção - e desanuviar da chata tradição de abrir o Raw com a Stephanie McMahon a emascular alguém - e Owens volta a vencer após Jericho meter o bedelho. O curioso viria a seguir quando Owens não se consegue manter calado e leva com os seus recentes rivais, Dolph Ziggler, The Miz e Sami Zayn. Mas como ele é bom homem, marca uma Triple Threat para definir o candidato ao título e até é ele próprio quem os anuncia: a maior estrela de toda a companhia Stardust, um atleta mascarado internacionalizado que é Sin Cara e o eterno underdog juvenil que é Zack Ryder. Caramba, quase que parecia que iam ser outros! Todos caíram na brincadeira e todos assistiam àquela Triple Threat à espera de um potencial Kevin Owens vs Sin Cara em plena Wrestlemania! Os outros três injustiçados vêm reclamar e acabam por cancelar o combate e escorraçar Owens. Ninguém é digno da chance ao título. Será assim? É que Stephanie obrigou-o a defender o título... Contra todos os seis num Ladder Match! Ah e estava aí nesse segmento mais uma emasculação, para variar.

Nota: E é assim, a brincar, que temos Zack Ryder, Stardust e Sin Cara a competir por um título em plena Wrestlemania!
Nota2: É para começar nova tradição anual de Wrestlemania, isto da Ladder de sete marmanjos? É que tinham mesmo que ser sete exactamente, para incluir aqueles três à força que podiam estar na Battle Royal? Não é que me importe, até vejo aqui um bom "show stealer" mas mais um pouco e a Wrestlemania é pintada por números!
Nota3: No passado Impact Wrestling, Matt Hardy, punido com uma Triple Threat, ameaçou desqualificar-se até Dixie Carter ser "injusta" e fazer do combate um "No DQ". E eu quase a bracejar para o meu ecrã a tentar dizer-lhes que uma 3-Way/Triple Threat é sempre sem desqualificações. Aqui nesta Triple Threat do Raw, nem falaram no assunto, a desqualificação simplesmente aconteceu. Pronto então, eu desisto de tentar compreender regras!
Nota4: Namedrop da Botchamania por parte de Dolph Ziggler > Tudo
Nota5: Dividir as coisas e fazer um Tag Team no Smackdown porque claro que vão fazer um combate Tag Team no Smackdown. Sami Zayn alia-se a Dolph Ziggler para enfrentar Kevin Owens e The Miz, gajos que não se deram muito bem como parceiros. Com ajuda disso, foi a equipa Face que venceu e partiu tudo para a bulha. Todos os sete participantes. Quem ficou por cima? Zack Ryder! Ah pois é!

4 - Grand Theft Auto: Philadelphia


É, nem o Roman Reigns está com vontade de mais uma promo da Stephanie e/ou da Authority a abrir o Raw. Ainda para mais quando lhe traziam balelas. Diz a menina McMahon que Triple H não estava presente por ter uns assuntos corporativos a tratar, coincidentemente uma semana após a sova de meia-noite que Roman Reigns lhe serviu. E este não acredita. E está com vontade para mais por acaso. Caricato segmento em que Triple H realmente vai à arena, como bom marido, buscar a esposa numa limusine e olha à volta muito preocupado para quem era meramente um empresário e homem de negócios nessa noite. O momento alto do segmento dá-se com a abertura do portão que apresenta um Roman Reigns pronto para mais pancada e que, com o maior dos à-vontade, tira o WWE Champion e COO da viatura e procede a dar-lhe mais umas carícias antes de ele conseguir ir embora. Não sou contra esta abordagem, não senhor!

Nota: Gimmick do Roman Reigns após a Wrestlemania: Repo Man!
Nota2: Reigns, seu descuidado. Irromper assim na privacidade do casal... Sabes lá o que eles iam querer estar a fazer a sós naquele banco de trás! Ainda interrompia ali alguma empolgante partida de dominó!
Nota3: Factor importante a apontar é a reacção do público. Sim, era Philadelphia, já não dão muito por Reigns lá. Mas queimado está ele já a nível universal. Eu gostei do segmento, achei-o engraçado e gosto bem deste Roman Reigns. É o Roman Reigns que agradou o povo no TLC. Mas não trabalharam mais isso depois e Reigns voltou a ser aquele Reigns. E a julgar pelas reacções, já é irreversível!
Nota4: Más decisões dos Dudleys tornaram-nos alvos de Roman Reigns no Smackdown. Bubba Ray Dudley foi o seu adversário mas Reigns até acabou desqualificado. Porque ele queria lá saber. Como diziam na mesa de comentários, era a cara do Triple H que ele via.

3 - Todos querem o doce


Muita gente esteve envolvida no segmento/combate final da anterior edição do Impact Wrestling. Mesmo muitos. E todos têm interesse no mesmo. Pasmem, é o título de Drew Galloway. Vários aproveitaram a abertura do Impact Wrestling com Galloway a prometer ser um Campeão lutador e todos aproveitam para se justificar como justos candidatos ao cinto. Galloway até dá razão a muitos, ele luta com quem seja! Quem queria barulho era o ex-Campeão Matt Hardy, o se irmão Jeff, Ethan Carter III que ainda não sofreu nenhum pin e foi retirado do campeonato da anterior semana, Rockstar Spud e Tyrus por ainda haver um fio que os ligue ao traseiro do Matt Hardy, Eric Young e Bram porque não são os maiores fãs do Jeff Hardy naquela arena e o Mike Bennett porque... É um milagre e cenas assim. E não vai muito com a cara do EC3, vá. A esses junta-se o pedido de Lashley, que tem dado que falar desde que mandou Kurt Angle embora em maus termos e temos uma Gauntlet de 9 homens, com eliminação por cima da corda, para definir um candidato ao TNA World Heavyweight Championship, no main event desta edição do Impact! No final ficaram os irmãos a batalhar e, mesmo com uma aterragem de cabeça na semana passada a poder prejudicar Jeff, este já é tolo desde sempre e conseguiu superar, conseguiu a última e derradeira eliminação sobre o irmão, para se tornar candidato ao título de Drew Galloway. Está para breve!

Nota: E ali estava ele. Tyrus. A lutar arduamente por uma oportunidade que ele já tem. Ainda é suposto lembrarmo-nos disso?
Nota2: E parece que é definitivo que a feud que trará The Pope de volta aos ringues da TNA será com Lashley! Infelizmente não veremos o Josh Matthews a ser partido ao meio e será mesmo um wrestler formado a ter combates em condições, equilibrados e mais não sei quê. BAH!
Nota3: Tensões a criar-se entre Eric Young e Bram? Se assim o é, tem aí um bom portador para o King of the Mountain Championship, visto que o Eric Young lá vai à sua vida...

2 - Serrar também serve!


FUNKEEEEEER! Dean Ambrose anda concorrido. É o que acontece quando te metes em loucuras como enfrentar Brock Lesnar numa Street Fight na Wrestlemania. Já deve ter uma bela de uma Barbie, prenda de Mick Foley, pendurada como decoração da sala. Agora recebe outra visita capaz de virar Philadelphia do avesso. Terry Funk! Um dos maiores ícones e pioneiros do wrestling hardcore como o conhecemos dá um discurso de motivação a Ambrose, num dialecto que só eles entenderão. Isto assumindo que Funk se entende a ele mesmo. E tudo isso para dar mais uma prenda a Ambrose. Uma maldita moto-serra! Nem Ambrose acreditava que aquilo era uma coisa a sério que funcionasse. Teve que testar. Pagou a mesa do bar/café onde descontraía! Uma imagem a recordar por bastante tempo. E que mais valia ser o main event, Dean Ambrose contra uma mesa, num combate de serras. Sempre era melhor que o colocar contra Braun Strowman. Tudo bem que as cadeiradas que cancelaram o combate foram bonitas e serviram de mensageiras para Lesnar, mas arranjava-se melhor.

Nota: Mesmo assim, não é tão de loucos assumir que o Lesnar fosse capaz de parar a serra à mão...
Nota2: Uma moto-serra deve fazer lembrar uns bons velhos tempos de uma CZW em que Ambrose brincava com serras eléctricas à beira da testa...
Nota3: É uma tradição semanal agora, Ambrose ser visitado por lendas do Hardcore? Quem vem a seguir? O New Jack com uma navalha? O Sabu com... Sei lá, cocaína?
Nota4: Brock Lesnar foi ao Smackdown para... Muito pouco. Paul Heyman vendeu o combate, acrescentando pouco a nada. Mas como é o Paul Heyman, vendeu um main event de uma era. No final, diz que Lesnar queria era andar ao soco e chama Ambrose. Leva com a Wyatt Family. Cujo tratamento rápido mostra a sua força e ameaça actual. Serviu de distracção para Ambrose varrer todos com uma cana. Ou tentar. Lesnar estava preparado e um F5 sela o segmento. Vai ser pouca porradinha velha, vai...

1 - Comece a Matanza!


Claro que havia um episódio muito especial guardado para esta edição do Lucha Underground, que começa a entrar na fase de loucura. Aztec Warfare, o célebre combate onde vinte luchadores - mais coisa, menos coisa - brigam pelo Lucha Underground Championship, pertencente a Fénix, punido com a primeira entrada. Factores a reter antes do factor principal:
- BOOYAKA BOOYAKA! Rey Mysterio chega ao templo para histerismo de todo aquele histérico povo. Nós estávamos avisados. Eles não.
- King Cuerno e Johnny Mundo surpreendem com eliminações relativamente rápidas.
- O Joey Ryan continua a ser melhor que vocês todos e as vossas mães juntos.
- A estratégia de Jack Evans de ser o Jeff Hardy não lhe parece ter resultado muito.
- Johnny Mundo continua a sua obsessão em arremessar gente por janelas de vidro dentro, de cabeça. Agora também se virou para os blocos de cimento. Nem que seja só para o Cage provar um pouco do seu próprio remédio.
- PJ Black consegue o seu primeiro pin! Mas ainda assim teve que ser ao mesmo tempo que outro, só mesmo para ofuscar!
- Dragon Azteca Jr. adapta-se muito bem e rapidamente na sua estreia.
- Pobre coitado Mil Muertes. Exigimos um combate entre Vampiro e Catrina no futuro, suponho eu.
O que interessa agora. OK, mal dito, todo o combate interessou. Mas a coisa vinha tremer e abanar tudo quando existe um 21º participante. Dario Cueto regressa perante ovação, reclama o seu poder e apresenta o último participante: o seu irmão Matanza! O monstruoso luchador sobe ao ringue e nada mais faz que varrer aquele ringue. Fénix, o Campeão, foi logo o primeiro a ir! Ainda a plateia a recuperar do choque e Matanza a livrar-se de todos os luchadores, um por um. Ficou no final com o eterno underdog de coração gigante, Rey Mysterio. Matanza é maior ainda e venceu. Eliminou nove corpos sozinho. E promete espalhar o terror no templo agora que se tornou... Lucha Underground Champion!

Nota: Lembram-se dos trocadilhos parvos que eu fazia com o nome do Mil Muertes? Pronto, agora chegou este indivíduo. Estamos todos tramados!
Nota2: Pela primeira vez, vi surgir pelas interwebs algo que se pudesse aproximar de críticas em relação a este combate e à forma como se desenvolveu. Nem todos se mostraram agradados com a rapidez com que Fénix foi eliminado, achando que ele devia ter ficado até ao fim e mostrando-se cépticos em relação à forma como varria a competição com apenas uma manobra. Compreendo esse ponto de vista mas também compreendo que esta execução fosse para nos deixarmos levar pelo choque e impacto.
Nota3: SUPLEX CI... Ah pois, não é...
Nota4: Matanza chega como um dos mais monstruosos e perigosos vilões de que haja memória em qualquer ringue. A ir muito contra o regresso de Dario Cueto que foi recebido como um autêntico babyface retornado a casa!
Nota5: Foi a meio daquele domínio final todo que me apercebi que, pelo que vimos, ele podia ter matado aqueles pobres todos!
Nota6: Não posso esconder o meu encanto com o facto de utilizar o nome Cueto para identificar o seu parentesco com Dario, mesmo que tenha um nome como Matanza. Não resisto à ideia de um cartão de identificação civil com o nome Matanza Cueto e uma fotografia com aquela máscara e sangue salpicado e a escorrer. 
Nota7: Também não posso deixar escapar o facto de que o Joey Ryan levou com o Mascarita Sagrada na cabeça. Processem bem isso e dêem-me lá razão pelo meu encanto!

Outros acontecimentos de relevo:

- Enquanto se antecipa o 4-on-3 da Wrestlemania, entre os New Day e a League of Nations, trocam-se vitórias e alternam. Se no Raw, as distracções exteriores favoreceram Big E para derrotar Rusev, no Smackdown as distracções exteriores favoreceram Sheamus para derrotar Kofi Kingston. São bem mais semelhantes que o que parecem, estas duas equipas...

- As Divas já não têm mais a desenvolver em direcção à Wrestlemania, ficando este tempo para aquecer e para umas estaladas umas às outras. Esta semana foi a Campeã a mais activa da seita, derrotando Natalya no Raw, mas perdendo para Sasha Banks no Smackdown. Sempre com mais alguém a assistir de perto. No Smackdown, a Becky Lynch leva a taça de "badass" para casa ao atacar com um T-Bone a cada uma e a retirar-se como se aquilo fosse dela e ela fizesse o que queria. E se calhar até é.

- Dudleys vs Usos é um combate que vai acontecer na Wrestlemania, caso seja necessário lembrar. Eles vão combatendo, com Bubba Ray Dudley a derrotar R-Truth e a proporcionar um salvamento de Goldust - porque a cena dos Golden Truth ainda se mantém - e os Usos a derrotar os Ascension no Smackdown porque ainda ninguém fez isso antes. Até deu para uns Splashes para umas mesas e tudo. Também os Dudleys se quiseram armar em espertos no Smackdown, mas... Como já disse, não foi propriamente o melhor alvo.

- Johnny Gargano rompe a streak e derrota o infame Elias Samson. Isso proporciona um ataque a ser interrompido por Apollo Crews. Porquê? Porque os dois bem precisam de uma feud, esse é o porquê!

- Prolongam-se os problemas entre os Wolves e os Decay na TNA, com Eddie Edwards a agir por sua conta. Viu-se numa Street Fight com Crazzy Steve algo que, devido à loucura do indivíduo em questão, e aos parceiros no exterior, podia resultar contra si. Teve pouco efeito porque Edwards conseguiu vencer.

- Definiu-se uma nova candidata ao Knockouts Championship e não é Maria Kanellis. E, sim, orquestrado por ela. Instalou a confusão nas Dollhouse e obrigou-as a todas a lutar entre elas, numa Triple Threat para definir a candidata. Sabiam bem o que estavam a fazer quando a vitória sorriu a Jade, superior do grupo, de longe. Não tomaria a mal a separação definitiva do grupo. Deu o que tinha a dar e foi muito pouco. E ainda bem que a Maria não se tornou realmente na nova líder. Senão era sinal que daqui a nada também saía da companhia.

A figura da semana: Matanza. Tiveram bons sonhos depois daquilo?

O desaparecido: Los Matadores. Remodelação e tal, tomo totalmente a bem.

Classificação: **** Mais uma vez, há coisas boas. Um excelente Aztec Warfare foi o destaque, Impact Wrestling mantém a solidez e mesmo não sendo das mais quentes, há implicações altas nesta Road to Wrestlemania. Quanto a esta... É bom que as próximas duas semanas aumentem esta classificação!

E assim fecho este DezTaques da Semana pós-Pascoal. Estejam lá à vontade para comentar os acontecimentos, rearranjá-los, comentar a semana para vós. É sempre dentro do mesmo, manifestem-se lá, que não é por isto estar mais controlado que não se podem manifestar se tiverem algo de jeito a dizer. Estão em maioria, como gosto de acreditar! Comentem lá, marquem presença na próxima semana, que agora entramos em clima de Takeover e Wrestlemania! - vejo alguns de vós a detestar as próximas edições. Boa Wrestlemania a todos e vejo-vos depois!

Cumprimentos,
Chris JRM

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Enviar um comentário

O blog tem os comentários abertos a todos aqueles que gostem de wrestling e o queiram discutir com responsabilidade e sobretudo de maneira construtiva.

Não são permitidos insultos pessoais entre leitores, bem como a autores do blog. Não é permitido spam. Qualquer comentário fora do contexto, fica a cargo da administração a decisão da sua permanência.

5 comentário(s):

André Ribeiro disse...

Obviamente que o episódio da Lucha Underground estaria em destaque, com Matanza a ser a figura da semana. Num combate conseguiram fazer dele um monster heel e convergir todas as histórias desta season. Óptimo.

A aparição surpresa do Funk foi gira - mas não a colocava tão acima. AJ vs. Owens foi bem giro e poderia estar aqui no topo - trocava isso pela interferência do Styles no combate do Jericho. De resto concordo com a maioria deste topo.

Manuel Victor Victor disse...

Bom artigo e o destaque para mesmo dessa semana foi Lucha Underground e Matanza realmente .

Chris JRM disse...

Não resisti aos encantos do Ambrose a serrar a mesa como quem lhe serrava a testa há uns anos atrás! xD

heyjohn disse...

Otimo artigo, sensacional a forma que tratou cada detalhe de forma tão especifica, keep it up!

vitor oliveira disse...

Boa edição. Legal ver o Tyrus lutando por uma oportunidade que ele já tem, e um novo LU Champion Matanza que eu sinceramente não vejo tanto potencial nele