quarta-feira, 30 de julho de 2014

Dias is That Damn Good #195 – "TNA, Uma Nova ECW"

Gostou deste artigo? Então clique nos botões ao lado para o curtir! Se assim o desejar, deixe-nos um comentário no fim que nós e os visitantes agradecemos!

Boas Pessoal!



Sejam bem vindos a mais um "Dias is That Damn Good", o espaço com mais história na nossa CWO ;)

A TNA desde a sua génese tem passado por diversas fases e transformações, sendo que as suas estratégias e políticas são, geralmente, bastante inconstantes e alvo de sucessivas alterações. Por consequência, sem um rumo claramente definido e consubstanciado por uma verdadeira aposta de longo prazo, a companhia vê-se de forma recorrente "atolada" em problemas de viabilidade económico-financeira e obrigada a lidar com a instabilidade que essa situação cria na gestão dos seus wrestlers, programas, ppvs e diversos eventos. Ora, ao que parece, depois de ter passado, mais uma vez, por uma dessas fases que acabei de referir, a empresa de Dixie Carter está, novamente, a reorganizar-se e a apontar baterias para o novo plano e estratégia.

No mesmo sentido e em consonância com este novo caminho delineado, personalidades tornadas célebres pelas suas passagens na histórica ECW (como Bully Ray, Tommy Dreamer, Tazz e Al Snow) têm vindo a ganhar, cada vez mais, peso, importância e preponderância no rumo criativo e administração da promotora. Situação evidenciada, acima de tudo, se tivermos em linha de conta a produção e conteúdos apresentados pela TNA nos seus mais recentes programas e eventos e no modo como esta se parece ver a si própria. Neste sentido, aquilo que me proponho abordar ao longo do presente texto versará neste novo plano e estratégia alinhavados pela TNA. Mas, também, nas transformações que dele advêm e suas possíveis consequências, quer positivas, quer negativas.

Não percam, por isso, as próximas linhas...



Quando a TNA foi criada, em 2002, por Jerry Jarrett e Jeff Jarrett, apesar das dificuldades e limitações que representavam um mercado altamente monopolizado pela WWE, ainda o clima e ambiente em redor da modalidade era extremamente efervescente e entusiástico. Por estas razões, e porque não havia uma verdadeira alternativa à promotora de Vince McMahon, a companhia de Orlando, com maior ou menor acerto, foi conseguindo conquistar o seu espaço, consolidar-se e desenvolver-se. Contudo, e como já tive oportunidade de referir na introdução a este texto, a falta de capacidade para preparar uma estratégia de longo prazo e para apostar numa política de opções e decisões complementares à mesma, não permitiu à TNA retirar todos os proveitos e resultados esperados e necessários para estabelizá-la aos mais diversos níveis. Consequentemente, a viabilidade economico-financeira da promotora é uma problemática que está sempre na ordem do dia e, ela própria, obriga a que, de tempos a tempos, se dêem avanços e recuos, se verifique um reagrupar de forças e uma reorganização estrutural. Aconteceu assim com o processo que gradualmente levou Dixie Carter ao topo da empresa e, também, aquando das chegadas de Hulk Hogan e Eric Bischoff. Ora, ao que tudo indica, e penso não restarem grandes dúvidas a este respeito, é o reagrupar e reorganizar do período pós-Hogan e Bischoff que se vive, actualmente, na TNA.

No entanto, ultrapassar com sucesso o anterior momento que a companhia de Dixie Carter vivia não se adivinha uma tarefa fácil. Nós podemos criticar as más opções que foram tomadas e questionar inúmeras oportunidades perdidas durante esse período em que Hogan e Bischoff tinham preponderância no rumo da companhia, mas nunca podemos esquecer que jamais a TNA havia sido tão grande como nessa época, nunca a empresa teve uma organização e estrutura de "main stream" como nessa altura e nunca, como nesse tempo, a TNA conseguiu levar tantos fãs aos seus espectáculos, eventos e arenas. Ainda a este respeito, recordo que nunca como neste período a promotora apresentou uma produção tão moderna e de elevado nível de qualidade. E é, de facto, uma pena que a má administração financeira que se fez nessa época tenha deitado tudo a perder. Tal como é uma lástima, reconheço, que com tanto star power, com tantas personalidades de enorme visibilidade e mediatismo, com storylines de elevado potencial e com talentos de grande qualidade, a TNA não tenha conseguido, de certa forma, rejuvenescer o seu plantel em posições chave através da criação de, pelo menos, um top drawer.



A administração de Dixie Carter tomou, todavia, a sua decisão...a companhia, primeiramente, deu uns passos atrás, reagrupou-se, cortou nas despesas, passou a gravar vários iMPACT's e PPVs de seguida, deu oportunidade a alguns jovens wrestlers, fez regressar o six-sided ring e ficou com um aspecto e dimensão mais "caseiros". Seguidamente, reforçou o poder criativo de algumas personalidades com peso e história na TNA e com um passado célebre na ECW, e decidiu-se por fazer as novas gravações em pavilhões e arenas um pouco mais pequenas. Por consequência, o modelo de produção e os próprios conteúdos apresentados pela empresa sofreram uma profunda alteração. Parece, aliás, que o modo e forma como a companhia se vê e se concebe a si própria se modificou substancialmente. A produção passou a ter uma concepção bastante mais restrita e limitada, mais indy, sem o ecrã tintantron e a clássica pirotecnia, as promos, os videos e as entrevistas de backstage parecem filmadas com uma camera caseira e o ambiente tornou-se bastante mais apertado e claustrofóbico. Por outro lado, ao nível dos conteúdos, reforçou-se a importância da X-Division como factor diferenciador da empresa e deu-se um novo "gás" às divisões de equipas e feminina...fizeram-se regressar alguns nomes fortes da modalidade como Devon, Matt Hardy e Rhino e, acima de tudo, os combates e desenvolvimentos dentro do ringue viram o seu peso e importância serem fortalecidos. Por último, no que respeita exclusivamente às construções de combates e storylines, parece-me que a influência dos "ECW Guys" se tem evidenciado tremendamente...para o compreendermos, julgo que basta estarmos atentos ao tipo de rivalidades que se têm travado, ao facto dos embates se realizarem quase todos sem desqualificações e com muitas "armas" pelo meio, ao tipo de promos e, especialmente, á forma como os wrestlers e restantes talentos interagem com o público e/ou vice-versa.

Podemos concluir, portanto, que a TNA assumiu uma espécie de padrão/modelo bastante semelhante ao que preconizava a extinta ECW. E é neste ponto que a promotora e, sobretudo, quem a gere me deixa desiludido. Eu compreendo as dificuldades pelas quais a TNA passa e percebo que não é fácil dar a volta à situação, reconheço o esforço que os wrestlers, agentes, bookers, produtores e writers têm feito e todo o seu empenho é de salutar...mas é possível melhorar e crescer sem se cometerem erros tão grandes quanto a apresentação de uma replica moderna da ex-promotora de Paul Heyman. E vocês perguntam, mas é um erro assim tão grande porquê?! Vejamos então um pouco da história da ECW...uma pequena empresa de extreme pro wrestling com um núcleo de fãs e seguidores fanáticos mas bastante restrito, envolvida constantemente em problemas financeiros e contraindo sucessivamente dívidas aos seus empregados, lutadores e fornecedores, produtora de espectáculos na sua generalidade selvagens, sem um pingo de psicologia de ringue e onde o efeito surpresa de um acontecimento hardcore e a genialidade da utilização de uma "arma" perdia qualquer relevância de tão generalizada que estava essa prática, uma companhia onde os riscos corridos pelos talentos eram gigantescos e a possibilidade de terminarem prematuramente as suas carreiras tinha uma percentagem elevadíssima e, por essa razão, à mínima oportunidade escapavam para a WWE ou WCW, etc. Confesso que nunca gostei da ECW embora reconheça a importância que teve na criação de um hardcore style mais moderno e inovador e no lançamento de algumas estrelas de grande valor...agora, tudo o que disse, anteriormente, são, a meu ver, razões mais do que suficientes para encarar com pessimismo qualquer tipo de aproximação da TNA àquilo que constituiu a ECW. A TNA precisa reagrupar e reorganizar-se?! Sim. Necessitava dar um passos atrás para poder dar dois passos em frente?! De acordo. Precisava de uma nova estratégia e plano?! Claramente. O caminho que está a seguir é o mais correcto?! Temo e tenho quase a certeza que não...a não ser que a TNA queira ser apenas mais uma indy e tenha deixado de ambicionar constituir-se numa verdadeira "main stream" que, com o tempo, poderia tornar-se concorrente da WWE...a não ser que a TNA tenha deixado de lutar por um verdadeiro spot em prime-time.


E para vocês, a TNA está ou não a ficar cada vez mais parecida com a ECW?! Deve ser esse o seu caminho?!

Um Abraço,
Dias Ferreira



PS: Não se esqueçam de indicar assuntos e temas que gostariam que eu abordasse.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Enviar um comentário

O blog tem os comentários abertos a todos aqueles que gostem de wrestling e o queiram discutir com responsabilidade e sobretudo de maneira construtiva.

Não são permitidos insultos pessoais entre leitores, bem como a autores do blog. Não é permitido spam. Qualquer comentário fora do contexto, fica a cargo da administração a decisão da sua permanência.

19 comentário(s):

Anónimo disse...

essa costela wwe está (infelizmente) cada vez + forte.

é pena, estás a regredir.

Anónimo disse...

Dias.. Não sei porque continuas a escrever.. já não dizes coisa com coisa..

Anónimo disse...

podias avaliar carreiras de wrestlers atuais e o que dodia ser o seu futuro (ex: randy , cesaro ,cena ,kenta ,etc)

Anónimo disse...

acho que deverias mudar o teu estilo de escrita ou os assuntos pois começa a ser um pouco aborrecido ler os teus artigos aos quais já fui grande fã

Art disse...

Pessoalmente tenho gostado do que a TNA tem apresentado, segmentos divertidos, bons combates, um show interessante para se passar a hora e meia assistindo.
Eu já não acompanho os shows da WWE e TNA em direto, o wrestling já não me entusiasma como antes e por isso vejo os Impacts no dia seguinte e os Raw vejo apenas as partes que me interessam, a maior parte passo à frente por achar demasiado aborrecido.
Não sei como está a situação da TNA, mas tenho pena se acabar ou deixar de ter shows na tv, seria uma perda para o negócio em si e eu, provavelmente pararia de ver wrestling, pois já pouco me interessa.
Mas falando do texto em si, eu acho que a TNA está fazendo um bom trabalho, sim, dá um aspeto mais caseiro e pode não agradar à maioria, mas já não agradava à maioria antes, que mesmo com Hogan e companhia, a TNA era criticada em tudo o que fazia e os ratings não alteraram assim muito, por essa razão que concordo com este "retrocesso" como chamaste, pois se eles não conseguem chegar ao mainstream, mais vale preservar a companhia e os fãs que têm, dando uma alternativa a quem, como eu, não quer ficar a ver Raws extremamente aborrecidos.


-Art

Johnmds disse...

A TNA está fadada a mediocridade (no sentido de intermediário). Nunca alcançará o próximo nível em termos de empresa.

Anónimo disse...

bom, sei que como todos vou bater no ceguinho mas...aqui vai:

Dias, crónica fraca e sem necessidade a atacar a TNA numa altura que a wwe kids é a que está mal (punk mandou-os à m...; cena novamente champ, reinado de bryan uma anedota, etc)

Dias Ferreira disse...

Anónimo de 30 Julho, 2014 15:52 - Não tenho costela de parte alguma e, ao que parece, ao contrário de ti, não sou fã da promotora x ou da companhia y, sou adepto de pro wrestling. Como qualquer fã da modalidade há coisas de que gosto mais que outras, há conteúdos que me satisfazem mais que outros e há quem produza melhor que outros...é a minha opinião, são as minhas preferencias, tenho direito a elas e nunca abdicarei dessa condição. Depois, se achas que uma pessoa evoluiu ou regride consoante os seus gostos e preferencias, desculpa dizer-te, mas não compreendes o significado da palavra.

Anónimo de 30 Julho, 2014 17:30 - Nem sei porque te dás ao trabalho de comentar, não escreves coisa com coisa.

Anónimo de 30 Julho, 2014 18:59 - Recentemente publiquei um texto desse género sobre o Roman Reigns, mas aborrece-me um bocado estar sempre a tratar o mesmo tipo de temas...em todo o caso, obrigado pela dica.

Anónimo de 30 Julho, 2014 19:02 - O estilo de escrita não se muda ou altera, ele significa a forma que a pessoa encontrou de estruturar e exprimir os seus pensamentos através de palavras. Se o que tenho escrito te tem despertado menos interesse, compreendo e respeito, mas não posso, nem vou, simplesmente, deixar de me expressar como, acredito, faz sentido, da forma que sei fazer...eu não sou um escritor lol.

Art - Em nenhuma parte do texto referi que a TNA não se estava a esforçar e que não tinha qualidade ou capacidade para fazer algo bom e grande. É aliás por ter essa capacidade que me custam as sucessivas mudanças de plano de quem dirige a companhia e ao invés de a colocar no rumo do crescimento e consolidação como main stream, comete erros atrás de erros, erros que podem custar bem caro á promotora e seus trabalhadores.

johnmds - Não concordo contigo no que respeita á mediocridade, nem á estagnação da sua dimensão e grandeza...se as coisas forem feitas da maneira certa, pode, certamente, constituir-se como uma main stream.

Anónimo de 30 Julho, 2014 19:43 - Se achas que a crónica é fraca e sem necessidade, é contigo, tens direito á tua opinião e eu respeito-a. Agora dizeres que estou a atacar a TNA das duas uma, ou não te deste ao trabalho de ler o que escrevi, ou não compreendeste patavina do que estive a escrever. Mais uma vez, volto a dizer, limitei-me a fazer uma avaliação ao momento que a TNA atravessa e ao plano-estratégia que parece ter montado para o futuro, dando a minha opinião no sentido de demonstrar os riscos que a companhia corre e o que julgo estar a ser mal feito. Se escrevo o que escrevi, foi porque gosto da TNA, porque acredito na sua qualidade e potencial e porque gostava que ela seguisse um caminho que lhe desse a estabilidade que ela e os seus trabalhadores necessitam. Sou fã de wrestling, não sou um cego da WWE ou da TNA...depois, chamares WWE Kids é apenas um sinal de que compreendes muito pouco a modalidade e o momento que ela atravessa. Achas que o Punk os mandou á merda, eu acho que o Punk sempre foi um idiota choramingão que cagou de alto, não na WWE, mas em todos os seus colegas que o ajudaram a atingir o patamar em que se encontrava quando decidiu abandonar. Achas mal o Cena ser campeão actualmente, preferias o que, que o Roman Reigns fosse já exposto e enterrado no main event, ao invés de ser construído aos poucos, de forma coerente e credível, com um push consequente...só o Cena poderia ser o campeão neste momento, só ele poderia perder para o Brock Lesnar sem sair prejudicado dessa situação. Depois achas que o reinado do Bryan foi uma anedota, até parece que alguém tem culpa da sua lesão, enfim...

Se se preocupassem em ver mais wrestling, em conhecer e compreender a história da modalidade e em ouvir mais e melhor o que os seus intervenientes dizem, valiam bem mais.

Um Abraço

Anónimo disse...

dias acho que o wrestling precisa de mais pessoas como tu a acompanha-lo pois não és um cego e percebes a modalidade nos comentários que costumo ler é pessoas a seguir modas o cena não presta o punk é bom e mandou a wwe a merda (eu só como tu nunca gostei dele e também que foi mal agradecido) e até a mentalidade das pessoas mudar o wrestling como outras coisas não vai ser visto por pessoas mas por seguidores de modas

Anónimo disse...

eu acho que precisamos que o dias.....abra os olhos.


ele defende o cena ser champ na wwe pela milésima vez poque não há mais ninguém.


há falta de wrestlers na empresa?


ou será que estão HÁ ANOS!!!! a ser mal preparados e apoiados?

Dias Ferreira disse...

Oh anónimo de 31 Julho, 2014 00:06, eu não preciso de abrir os olhos, muitos pelo contrário, por aquilo que dizes, até de olhos fechados consigo ver mais e melhor que tu.

Tu achas que faz sentido colocar outra pessoa num reinado de transição, apenas para ser squashado pelo Brock Lesnar, isso para mim não faz qualquer sentido. O que faz sentido é o que a WWE está a fazer...coloca o cinto em John Cena, o Brock Lesnar aparece e vai ter, certamente, uma feud excelente com ele, com excelentes combates e promos, aliás, no último RAW a troca de palavras entre o Heyman e o Cena já foi bastante bom. Depois o Lesnar vence e muito provavelmente na Wrestlemania há-de perder o título para o Roman Reigns.

O Roman Reigns, por seu lado, há-de continuar o seu caminho, push e credibilização...há-de continuar a rivalizar com o Orton e a Authority, depois de vencer o Orton há-de rivalizar com o Triple H e depois vencer a Royal Rumble e aí estará completamente lançado.

Muito provavelmente será isto que vai acontecer e é assim que as coisas devem ser feitas...não percebes isto, problema teu.

Anónimo disse...

dias como disse 30 Julho, 2014 22:26
não te dez ao trabalho de responder

VanPersie disse...

Deixa meter um nick senão isto fica uma verdadeira confusão com tanto comentários anónimos.

Desde já saudo-te por mais um excelente texto, é sempre um prazer poder acompanha-los.
Concordo contigo em relação ao passo atrás que a TNA está a dar e acho que é necessários. É uma altura em que a TNA deve refletir e começar a pensar a longo prazo. Este regresso a "casa" pode revelar-se vital para a TNA.
Em relação à ECW, também concordo que a TNA está a fazer uma aproximação aquilo que era a ECW mas julgo que seja algo passageiro. A TNA já deve ter percebido os erros que cometeu e deve saber que com o plantel que tem está na altura de criar uma verdadeira estrela feita por eles. Os ECW guys estarão lá para a que a curto-prazo a companhia atraia algum publico.
Se a TNA se aproximar da ECW na medida em que se dirige a um certo e determinado publico, aquele fanatico da ECW, torna-se uma empresa limitada e tem tudo para falir.

Dias Ferreira disse...

VanPersie...

Eu percebo o que dizes, mas, ao mesmo tempo, os ECW Guys estão a tomar conta do processo criativo e o downsizing da TNA, tornando-a numa promotora de shows mais caseiros e pequenos, leva a que grande parte das vezes os wrestlers se deixem levar pelas plateias e acabem por esquecer o que a generalidade dos que estão de fora gostam e querem ver.

Por outro lado, também compreendo que não é fácil pegar nos ex-talentos da ECW e coloca-los em combates normais, com desqualificação, porque o mind set deles não é esse...

Mas pronto, espero que seja algo temporário como dizes e que não comentam o erro de afunilar a estratégia para uma ECW moderna.

Anyway, obrigado pelo comentário.

Abraço

Anónimo disse...

Só o Dias para conseguir mais comentários do que o Raw. Nada mau.

Anónimo disse...

post sobre a TNA?

check!

para não varia imensas respostas?

check! check! check!


há coisas que nunca mudam...

:)

Anónimo disse...

*para não variar com imensas respostas?

Dias Ferreira disse...

Anónimo de 31 Julho, 2014 15:35, infelizmente há comentários que também não.

Dias Ferreira disse...

Em todo o caso, e a propósito do que escrevi ao longo deste texto, deixo em seguida um comentário feito hoje por Paul Heyman relativamente á TNA...

HEYMAN: I think it's very much time for anybody and everybody to move on, especially on a product that you're trying to push forward. Nostalgia tours are great, but not in a youth oriented and dominated industry. I think the lesson learned in all this is that Spike TV didn't renew them. And one of the reasons has to be that the most passionate reaction they can get is for a product that went away in 2001. And they've been trying to brand themselves since their inception and they can't get it done. They should have spent that time and energy trying to brand themselves and not trying to elicit a response of an audience based on a product that they don't even own.

Ou seja, corrobora tudo quanto eu disse.